Renato Dalzochio: minha segunda vez no AMA Supercross, em 2014

 

No dia 21 de abril relatei para vocês como foi a primeira viagem minha e de meu pai aos Estados Unidos para assistir duas rodadas do AMA Supercross, em 2011.

Além de explicar como surgiu minha paixão por motos off-road (algo que no meu caso foi passado de pai para filho), também contei como foi incrível realizar um sonho que eu alimentava desde a infância, vendo de perto as corridas e os grandes pilotos do campeonato, além é claro, de conhecer meu maior ídolo, o australiano Chad Reed (se você perdeu essa reportagem, leia aqui).

Hoje quero compartilhar com vocês nossa segunda viagem aos Estados Unidos para assistir duas rodadas do AMA Supercross, desta vez em 2014. Nessa ocasião, decidimos assistir a quarta rodada em Oakland e a quinta em Anaheim 3.

Além de assistirmos duas corridas inéditas, também seria mais interessante em termos de turismo, já que iríamos conhecer outros lugares do Estado da Califórnia (na primeira viagem assistimos a segunda rodada em Phoenix, Arizona, e a terceira em Los Angeles, o que nos permitiu conhecer o Parque Nacional do Grand Canyon, Las Vegas, letreiro de Hollywood, etc).

Uma semana antes da viagem, no sábado à noite, lá estava eu no sofá de casa “madrugando” para assistir a terceira rodada do AMA Supercross em Anaheim 2. Nesta rodada, Reed venceu após um jejum de quase 2 anos sem conquistar uma vitória no AMA Supercross, ultrapassando Roczen e James Stewart nas últimas voltas, depois de largar em quinto.

Na comemoração lembro que ele subiu no parapeito que separa a arquibancada da pista, para comemorar mais próximo do público, levando os fãs ao delírio. Na hora vi aquilo e pensei:

– Putz, que baita inveja dessa galera!

Por que estou contando isso? Mais para frente vocês irão entender.

 

Primeira semana nos Estados Unidos

Embarcamos de Porto Alegre no dia 21 de janeiro, uma terça-feira. Após escala em Guarulhos e mais ou menos umas 13 horas de voo, desembarcamos em Detroit na quarta-feira, 22. É curioso notar que, nesta época do ano, você sai de um verão sufocante no Brasil e, ao chegar nos Estados Unidos, dependendo da região onde está, se depara com frio abaixo de zero e muita neve (como foi o nosso caso em Detroit!).

Foto tirada na janela do Aeroporto de Detroit. Será que estava frio?

 

Após os trâmites imigratórios, mais umas 5 horas de voo e finalmente desembarcamos em Los Angeles. Assim como na nossa primeira viagem, em 2011, após a retirada do carro na locadora (desta vez alugamos um Dodge Avenger!) procuramos um hotel e usamos a quarta-feira para descansar da viagem.

Dodge Avenger que alugamos para esta trip

 

Na quinta, 23, pegamos a estrada rumo ao nosso primeiro destino: Oakland, que seria palco da quarta rodada do AMA Supercross. Mas antes fomos conhecer o famoso píer de Santa Mônica, no litoral de Los Angeles.

Píer de Santa Mônica, na Califórnia

 

Praia de Santa Mônica, com o píer ao fundo

 

Quase 600 km separam Los Angeles e Oakland (mesma distância de Los Angeles para Phoenix, na nossa primeira viagem em 2011).

Quando começou a anoitecer, preferimos parar no caminho para descansar e deixamos para continuar a viagem no dia seguinte. Pernoitamos em San Luis Obispo, simpática cidadezinha com pouco mais de 47 mil habitantes.

Na sexta, 24, pegamos de novo a estrada e finalmente chegamos em Oakland. Garantimos nossos ingressos para o AMA Supercross (além dos Pit Pass, para ter acesso livre o dia todo no paddock), deixamos nossas coisas no hotel e, como havíamos chegado cedo, aproveitamos para ir até San Francisco conhecer os principais pontos turísticos da cidade.

Ponte Golden Gate, Lombard Street, Twin Peaks e a Prisão de Alcatraz eram alguns dos lugares que estavam no nosso roteiro. É lógico que não conseguimos fazer tudo em um único dia, então o que faltou deixamos para o domingo, já que o sábado estava reservado para o AMA Supercross em Oakland.

Ponte Golden Gate em San Francisco

 

AMA Supercross em Oakland

No sábado, 25, a rotina foi exatamente a mesma descrita na primeira viagem: acordamos cedo, tomamos nosso café da manhã e seguimos para o estádio Oakland Coliseum, palco da quarta rodada do AMA Supercross.

Dentre os momentos mais bacanas do paddock (como vocês podem ver nas fotos abaixo), posso destacar um caminhão chamado “Legends and Heroes of Supercross” (Lendas e Heróis do Supercross) que conta a história do AMA Supercross através das motos dos grandes ídolos do passado do campeonato (e claro, você pode tirar fotos ao lado delas).

Legends and Heroes e as motos dos grandes ídolos do passado

 

Kawasaki com a qual Ricky Carmichael conquistou seu primeiro título na principal categoria do AMA Supercross, em 2001, acabando com o longo reinado de Jeremy Mcgrath. Sem dúvida uma moto que marcou muito a minha infância

 

Também tirei fotos ao lado das réplicas das motos de Ryan Villopoto e Eli Tomac (este último estava estreando na categoria 450SX e ainda era piloto GEICO Honda).

Moto de Ryan Villopoto

 

Moto de Eli Tomac, na época piloto da equipe GEICO Honda

 

No que diz respeito aos pilotos e suas respectivas sessões de fotos e pôsteres autografados, tirei foto ao lado de Ryan Villopoto, Malcom Stewart, e claro, meu ídolo maior, Chad Reed.

Chad Reed

 

Malcom Stewart

 

Ryan Villopoto

 

Andrew Short

 

Como vocês podem ver abaixo, também tirei foto ao lado de algumas beldades (e não estou falando da moto obviamente kkkk).

Muito bem acompanhado kkkk!

 

Nas corridas, vitória de Jason Anderson na categoria 250SX Costa Oeste (que viria a ser o campeão desta categoria ao final do campeonato) e Ryan Villopoto na 450SX (idem campeão também ao final da temporada). James Stewart em 2º e Reed em 3º completaram o pódio.

Eu e meu pai, dentro do Oakland Coliseum, momentos antes das corridas começar

 

Torcendo muito!

 

Segunda semana na Califórnia

Passado o AMA Supercross em Oakland, na segunda-feira, 26, precisávamos iniciar o nosso retorno para o sul da Califórnia, afinal de contas, a quinta rodada do AMA Supercross, no sábado seguinte, seria em Anaheim.

Pensando novamente no lado turístico da viagem, decidimos voltar por um caminho diferente, um pouco mais longo. A rodovia número 1, conhecida como Pacific Coast Highway. Ela corta o Estado da Califórnia de norte a sul pelas margens do oceano Pacífico, o que proporciona imagens de tirar o fôlego, como vocês podem ver nas fotos a seguir.

Uma das muitas belas paisagens da Pacific Coast Highway, rodovia que corta o Estado da Califórnia de norte a sul as margens do Oceano Pacífico

 

Mais algumas belas imagens (na sequência) feitas na Pacific Coast Highway

 

 

 

Novamente paramos para pernoitar na cidade de San Luis Obispo, deixando para continuar no dia seguinte. Na terça, 27, pé na estrada de novo e finalmente chegamos em Anaheim, cidade da região metropolitana de Los Angeles, distante uns 45 minutos do centro da capital mundial do cinema.

Na chegada fomos dar mais uma volta no píer de Santa Mônica. Antes, no caminho, aproveitamos para tirar algumas fotos em Malibu, outra cidade litorânea de Los Angeles, famosa por ser a moradia de muitos artistas de Hollywood, com suas casas bem “pobrezinhas” (kkkk).

Praia de Malibu

 

Nos dias que antecederam o AMA Supercross em Anaheim, decidimos nos dedicar a um turismo mais voltado à paixão pelo motocross: na cidade de San Bernardino, visitamos a famosa loja da Chaparral e a pista de Glen Helen; em Riversidade, fomos até a loja Malcom Smith Motorsports (da lenda Malcom Smith) e o complexo de pistas Milestone MX Park (infelizmente não encontramos nenhum piloto famoso treinando).

Loja Chaparral em San Bernardino

 

Interior da loja Chaparral. Verdadeiro parque de diversões para quem é apaixonado por motos off-road

 

Famosa curva do final da reta de largada no circuito de Glen Helen

 

Loja Malcom Smith Motorsports, em Riverside

 

Interior da loja Malcom Smith Motorsports

 

Em Corona, fomos até a fábrica da Pro Circuit conhecer o famoso museu que a marca mantém com itens dos pilotos que já foram campeões pela equipe Pro Circuit no supercross e no motocross: capacetes, roupas, motos, placa de campeão, etc.

Museu da Pro Circuit, anexo a fábrica da empresa

 

Para encerrar, fomos até a cidade de Costa Mesa conhecer a loja Three Brothers Racing, dos irmãos brasileiros Paulo, André, Ricardo e Roberto Barbosa. No dia em que fui na loja, apenas o Roberto estava presente.

Brasileiro Ricardo Barbosa, um dos sócios da loja Three Brothers Racing, em Costa Mesa. Um cara muito gente boa

 

E claro, não podíamos deixar de ir no Angel Stadium em Anaheim garantir nossos ingressos e Pit Pass para a quinta rodada do AMA Supercross.

Angel Stadium em Anaheim

 

AMA Supercross em Anaheim 3: uma grata surpresa

Vou evitar falar dos bastidores do AMA Supercross em Anaheim 3 porque foi praticamente a mesma coisa de Oakland (e das rodadas que fui assistir em 2011). Único destaque que posso fazer é que conheci o ex-piloto de Motocross Freestyle Clifford Adoptante, que incomodou Travis Pastrana na disputa pela medalha de ouro dos X-Games 2001.

Clifford Adoptante, ex-piloto de FMX que incomodou Travis Pastrana nos X-Games 2001

 

Mas quero falar das corridas em Anaheim 3, que é o motivo mais importante desta edição da minha coluna. Após a vitória de Dean Wilson na categoria 250SX costa Oeste, chegou o momento mais aguardado da noite, o Main Event da 450SX.

Eu e meu pai momentos antes das corridas começarem no Angel Stadium em Anaheim

 

Na cerimônia de abertura eu havia notado que Reed era muito querido pela maior parte do público em Anaheim, praticamente uma unanimidade, o que me deixava confiante na possibilidade de vê-lo vencer (confira abaixo o vídeo que fiz).

 

AMA Supercross 2014: cerimônia de abertura em Anaheim 3

 

Na largada, James Stewart fez o holeshot, com Villopoto em segundo, Reed em terceiro e Roczen em quarto. Logo Villopoto, Reed e Roczen deixaram Stewart para trás.

Ao completarem a primeira volta, na curva após a sessão de costelas, Reed ultrapassou Villopoto e assumiu a liderança, para delírio meu e da multidão presente. Ali tive certeza que ele era o favorito da galera em Anaheim, pois no momento da ultrapassagem parecia que o público no Angel Stadium estava comemorando um gol do time da casa numa partida de futebol.

Para quem sonhava em ver de perto uma vitória do seu maior ídolo, a corrida foi um verdadeiro teste para cardíaco (como diz Galvão Bueno). Pressão total até a bandeira quadriculada, primeiro com Villopoto, depois com Roczen (que ultrapassou o piloto da Kawasaki e assumiu a vice-liderança).

Me lembro que no setor onde eu estava, todo mundo assistiu a corrida de pé, tamanho era o nosso nervosismo. Agora vocês se lembram o que eu disse lá no início desta coluna? Lembram que ao assistir a vitória de Reed em Anaheim 2 fiquei com uma baita inveja daquela galera que ficou bem próxima dele quando ele subiu no parapeito que separa a pista da arquibancada para comemorar com os fãs?

Pois bem. Quando Reed e Roczen abriram a última volta, me dei conta que eu estava exatamente naquela mesma arquibancada e pensei:

– Será que se vencer ele vai fazer isso de novo? Talvez sim, por que não?

Pensando nisso, resolvi descer até o último setor, bem lá embaixo, praticamente no mesmo nível da pista. Confirmada a vitória (com aquela dramaticidade já descrita), não é que foi exatamente isso que ele fez (para delírio meu e dos fãs que ali estavam)?

Assistir in loco uma vitória do meu maior ídolo no AMA Supercross e ainda ficar bem próximo dele na comemoração foi a cereja do bolo! A foto abaixo, do site Racer X Online, registra o exato momento citado (e pensar que duas semanas antes eu estava em casa vendo ele fazer exatamente isso, e sentindo uma baita inveja daquela galera na arquibancada). Sou o penúltimo cara no canto inferior direito, de preto, com os punhos erguidos.

O momento mais memorável da viagem: sou o penúltimo de preto no canto inferior direito, com os punhos erguidos

 

Também apareci no DVD Oficial do campeonato, Bar to Bar 2014. A corrida de Anaheim 3 começa aos 14 minutos e 43 segundos. A comemoração é aos 16 minutos e 24 segundos. Da mesma forma, sou o penúltimo cara no canto inferior direito, com o punho direito erguido e com a mão esquerda apontando batendo no boné (que era da equipe TwoTwo Motorsports kkkkk, comprei na Chaparral).

 

Bar to Bar 2014

 

Último passeio e retorno para casa

No domingo, 2 de fevereiro, fomos até Newport Beach, no extremo sul da cidade, quase na saída para San Diego, onde fizemos um passeio de barco muito bacana pela costa litorânea de Los Angeles. Passeio longo diga-se de passagem, terminando quase ao anoitecer.

Passeio de barco em Newport Beach

 

Na segunda, 3, pegamos nosso voo de volta para o Brasil, fazendo exatamente o caminho inverso da ida: Los Angeles – Detroit; Detroit – Guarulhos; – Guarulhos – Porto Alegre. Ao desembarcar no Brasil na terça, 4, o sentimento foi o mesmo de quando retornamos da primeira viagem em 2011: missão cumprida e momentos inesquecíveis, lembranças que jamais se apagarão da nossa memória.

É isso galera, espero que vocês tenham gostado dos relatos das minhas duas viagens aos Estados Unidos para assistir o AMA Supercross. Estou louco pela próxima viagem, mas do jeito que as coisas estão no Brasil, só Deus sabe quando irei de novo.

Espero que esse momento delicado que nosso país está vivendo passe logo. Será bom para todo mundo, e quanto antes eu puder fazer uma nova viagem, logo irei trazer para vocês, aqui no BRMX, os bastidores in loco.

Os recursos estão melhores do que antes, agora posso fazer até lives para vocês nas redes sociais (kkkk)!