Trey Canard diz que está pronto para reestrear no AMA Supercross 2013, em Anaheim 1

A temporada 2013 do AMA SX se aproxima e uma das grandes expectativas é referente a performance de Trey Canard.

Depois do grave acidente no início do ano em que ele e Ryan Morais ficaram com as costas machucadas e tiveram que abandonar a temporada 2012, todos esperam que Canard volte em alto nível já na etapa de abertura, em Anaheim 1, dia 5 de janeiro.

O piloto da equipe Honda Muscle Milk – time de fábrica que ainda conta com Justin Barcia – concedeu entrevista ao site norte-americano Racer X, que a publicou nesta segunda-feira, 3. Abaixo, o BRMX traz a tradução dos melhores trechos. Confira!

Onde vocês está agora?
Estou no Reynard Raceway, em Shawnee, Oklahoma, cerca de 20 minutos longe da minha casa. Gosto de sair da rotina de vez em quando. Tenho um par de pistas diferentes em casa, mas é bom pilotar pistas diferentes.

Qual a sua programação?
Estou treinando muito, esse é meu foco agora. Perdi os últimos dois anos, o que é um tempo considerável. Ainda sinto uma certa resistência. Estou tomando cuidado pra não chegar tão “guloso” em Anaheim. Tem sido difícil.

Por que não a Califórnia?
Eu amo isso aqui. Estou em casa. Neste verão, passei muito tempo aqui com meus amigos e familiares. É difícil sair. O povo aqui é muito descontraído, não tem estresse. Você vai para a pista, leva seu cachorro, não tem tempo restrito. Todos se importam um com outro, e na Costa Oeste sinto um pouco falta disso. Mas vou para a Califórnia até o Natal para sessão de fotos e essas coisas.

Em que ponto você acha que está em relação a Villopoto, Bubba, Reed, Dungey?
É difícil dizer porque estive fora por muito tempo. Não corro 100% há um ano e meio. Difícil dizer em que nível estou. Posso dizer que pilotar com Justin Barcia foi muito bom. Ele acabou de ganhar o MEC, e isso me ajudou um pouco a perceber onde estou.

Você ainda pensa no acidente?
Tenho memórias, mas não olho para isso como uma coisa ruim. É quase algo positivo. Estou em paz em relação a isso. Isso me trouxe um olhar sobre algumas coisas que eu não via antes. Tive tempo para minha família e amigos.

Quais aprendizados você tira disso?
Aprendi muito durante esse lesão, mas uma coisa que pegou é que “perdi” amigos. O telefone para de tocar, os repórteres não ligam mais. Mas eu entendo, é assim que as coisas funcionam. Você começa a ver quem são seus verdadeiros amigos. Nosso esporte é viciante, você vai do alto ao baixo muito rápido. No fim, você entende que a vida normal é mais importante.

:: Relembre a queda