Quem é o maior campeão brasileiro de motocross de todos os tempos?

O que é mais importante? Ganhar mais vezes a MX1? Ganhar mais vezes MX1 e MX2 (ou 250 e 125). Ou ainda, ganhar mais títulos somando todas as categorias?

É assunto para mais de décadas.

Clicando neste link aqui você tem a lista completa de todos os campeões brasileiros de motocross de todos os tempos, desde 1973.

Abaixo, você vê uma lista de quantidade para tirar a sua própria conclusão sobre quem foi/é o maior piloto do motocross brasileiro nestes (quase) 50 anos.

Eu tenho meus conceitos.

Na minha opinião, Moronguinho é o maior vencedor de todos os tempos por ter ganhado CATORZE TÍTULOS NAS CATEGORIAS PRINCIPAIS. Um monstro! Fenômeno indiscutível.

Moronguinho em 2013, durante treino na pista de São José – Motódromo Marronzinho

 

Jorge Negretti e Nivanor Bernardi são outras duas lendas que marcaram seus nomes na história com uma quantidade quase inatingível de títulos nas principais categorias. Negretti é Hepta. Nivanor é Hexa. Fantásticos!

Milton Chumbinho Becker é o rei da longevidade e do número extraordinário de 21 títulos juntando todas as categorias! Tem 5 conquistas nas principais classes, sendo uma épica em 2003, na 125cc, entre garotos quando já acumulava idade (36 anos) para correr na MX3. Se manter ativo por tanto tempo – e ganhando – merece todos os aplausos do mundo.

O pentacampeão Carlos Campano faz seu nome da história do Brasileiro de Motocross em um tempo que só pode escolher uma categoria para disputar. Arrematou quase todos os títulos a partir de 2012, quando iniciou sua jornada em Terra Brasilisis. Ultrapassou Nivanor e Negretti, os únicos Tetracampeões na categoria principal. E ainda tem a chance de igualar ou ultrapassar Moronguinho, que é Hexa na 250 (atual MX1).

Os tetracampeões também merecem destaque especial. Nuno Narezzi, Balbi Junior e Wellington Garcia estão em uma prateleira onde poucos conseguiram chegar. Ser Tetra é para poucos, seja qual for o esporte.

O que dizer dos Tricampeões e Bicampeões? Todos têm mérito. Ser campeão nacional uma vez já é difícil, repetir isso é quase impossível.

Parabéns, pilotos!

 

 

Os campeões das principais categorias em quantidade:

Moronguinho
14 títulos no total
250 – 6 títulos
125 – 8 títulos

Jorge Negretti
7 títulos no total
250 – 4 títulos
125 – 3 títulos

Nivanor Bernardi
6 títulos no total
250 – 4 títulos
125 – 2 títulos

Chumbinho
5 nas categorias principais. 21 títulos no total
250 – 3 títulos
125 – 2 títulos
Open – 1 título
MX3 – 6 títulos
MX4 – 7 títulos
MX5 – 2 títulos

Carlos Campano
5 títulos no total
MX1 – 5 títulos
MX2 – nenhum

Nuno Narezzi
4 títulos no total
250 – 1 título
125 – 3 títulos

Balbi Junior
4 títulos no total
MX1 – 1 título
250 – 2 títulos
125 – 1 título

Wellington Garcia
4 títulos nas categorias principais. 5 títulos no total
MX1 – 2 títulos
MX2 – 2 títulos
Nacional – 1 título

Roberto Boettcher
3 títulos no total
250 – 1 título
125 – 2 títulos

Rogério Nogueira
3 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – 1 título

Cristiano Lopes
3 títulos nas categorias principais. 4 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – 1 título
MX3 – 1 título

Marronzinho
3 títulos no total
MX1 – 3 títulos
MX2 – nenhum

Fabio Santos
3 títulos nas categorias principais
MX1 – nenhum
MX2 – 3 títulos

Hector Assunção
3 títulos nas categorias principais. 4 títulos no total
MX1 – nenhum
MX2 – 3 títulos
MXJR – 1 título

Massoud Nassar
2 títulos no total
250 – 1 título
125 – 1 título

Paraguaio
2 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – nenhum

Rodney Smith
2 títulos no total
250 – 1 título
125 – 1 título

Saçaki
2 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – nenhum

Roosevel Assunção
2 títulos nas categorias principais. 3 títulos no total
250 – nenhum
125 – 2 títulos
MX3 – 1 título

Scott Simon
2 títulos no total
MX1 – 1 título
MX2 – 1 título

Jetro Salazar
2 títulos nas categorias principais. 4 títulos no total
MX1 – 2 títulos
MX2 – nenhum
MX Elite – 2 títulos

Cássio Garcia
1 título nas categorias principais. 3 títulos no total
250 – nenhum
125 – 1 título
Open – 2 títulos

Jean Ramos
1 título nas categorias principais. 2 títulos no total
MX1 – nenhum
MX2 – 1 título
MXJR – 1 título

 

Quem tem 1 título nas principais categorias

André Alves – 125cc (1973)
Paulo Stedile – 125cc (1997)
Antony Pocorobba – 250cc (1999)
Kristofer Florenzano – 125cc (2004)
Marcello “Ratinho” Lima – MX2 (2005)
Leandro Silva – MX2 (2006)
Adam Chatfield – MX1 (2013)
Gustavo Pessoa – MX2 (2017)

 

Maiores campeões das categorias complementares:

Enzo Lopes
5 títulos no total
50cc – 1 título
65cc – 1 título
MXJR – 3 títulos

Maiara Basso
5 títulos no total
MXF – 5 títulos

Gabriel Andrigo
3 títulos no total
50ccA – 1 título
50ccB – 1 título
MXJR – 1 título

Rafael Becker
3 títulos no total
50cc – 2 títulos
65cc – 1 título

Willian Guimarães
3 títulos no total
MX3 – 1 título
MX4 – 2 títulos

Tallys Nathan
2 títulos no total
MX2JR – 2 títulos

Carlos Eduardo Mendes Franco
2 títulos no total
CFR230 – 1 título
Nacional Pró – 1 título

Brunna Bartz
2 títulos no total
MXF – 2 títulos

Stefany Serrão
2 títulos no total
MXF – 2 títulos

Douglas Parise
2 títulos no total
MX3 – 2 títulos

Davis Guimarães
2 títulos no total
MX3 – 2 títulos

Marcos Moraes
2 títulos no total
CFR230 – 1 título
Nacional Pró – 1 título

Caio Lopes
2 títulos no total
Nacional Pró – 2 títulos

Leonardo Nunes
2 títulos no total
65cc – 1 título
MXJR – 1 título

Arthur Todeschini
2 títulos no total
50ccB – 1 título
65cc – 1 título

Matheus Favero
2 títulos no total
50ccB – 1 título
65cc – 1 título

Garmichel Giehl
2 títulos no total
50cca – 1 título
65cc – 1 título

 

Quem tem 1 título nas categorias complementares

Wellington Valadares – Open (1999)
Leonardo Müller – Open (2000)
Ismael Pereira Maia – 125cc (2001)
Marco Müller – Open (2001)
Rodrigo Rodrigues – 85cc (2006)
Cesar Zamboni – 65cc (2006)
Gustavo Roratto – 65cc (2007)
Rodrigo Andrade Santos – 85cc (2008)
Kaio Miranda – 65cc (2008)
Carlos Eduardo Mendes Franco – CRF230 (2008)
Rodrigo Rodrigues – MXJR (2009)
Endrews Armstrong – 85cc (2009)
Rodrigo Riffel – 65cc (2009)
Marçal Müller – MXJR (2010)
Anderson Amaral – 85cc (2010)
Kioman Navarro Muñoz – 65cc (2010)
Lucas Torres da Costa – 50ccA (2010)
Francisco Martins de Araujo Neto – MXJR (2011)
Gustavo Henn – 85cc (2011)
Yan Jose Hilario Machado – 50ccA (2012)
Rafael Ribeiro de Araujo “Bubbinha” – 50ccB (2012)
Fabiano Nestor dos Santos – Nacional Pró (2013)
Cristyan Ryan Eckhardt – 50ccA (2013)
Diogo Moreira – 50cc (2014)
Leonardo Almeida – MXJR (2015)
Carlos Eduardo Baltazar – 65cc (2015)
Roman Jelen – MX3 (2016)
Henrique Henicka – 65cc (2016)
Bruno Schmitz – MXJR (2017)
Gabriel Montagner Silva – Nacional Pró (2017)
Felipe de Menezes Marques – 50cc (2017)
Marcos Cordeiro – MX3 (2018)
Gustavo Mauricio Torres – 50cc (2018)
Joaquim Neto – MX2JR (2019)
Ricardo Sebbe – MX5 (2019)
Guilherme Bresolin – MXJR (2019)
Bernardo Tiburcio – 65cc (2019)
Caio Grosbelli – 50cc (2019)