Galeria dos campeões brasileiros de motocross desde 1973

Largada da primeira etapa do Brasileiro de Motocross de 1974, em Curitiba – Foto recuperada pela página Heróis do Motocross, no Facebook

 

NOTA DA REDAÇÃO: Muitas das fotos desta matéria foram digitalizadas por Kowalski V-8, entusiasta do motocross brasileiro e proprietário da página Heróis do Motocross, no Facebook – acesse aqui. Outras foram “googladas” – se for seu o crédito, por favor nos avise.

Muito tempo já se passou e muitos nomes fizeram história no Brasileiro de Motocross. Mas, ao longo destes 48 anos, quem foram os campeões desde a primeira edição do campeonato, realizada lá em 1973?

Dedicamos essa matéria especial a todos aqueles que fizeram e estão fazendo parte da história da principal e mais importante competição da modalidade no país.

 

Nos anos 1970…

O início do motocross no Brasil teve três grandes nomes – Nivanor Bernardi, Roberto Boettcher e Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” – que foram apelidados de “Os Três Mosqueteiros”. Você vai ver que estes nomes dominaram o Brasileiro de Motocross até meados dos anos 1980.

 

1973

250 – Nivanor Bernardi (Yamaha)
125 – André Alves (Yamaha)

Abertura do Carioca de Motocross de 1973. Disputa entre Luizmar Muniz (#79), o “Chaveta”, e Nivanor Bernardi (#78), o “Touro do Paraná”. Neste mesmo ano de 73 seria realizada a primeira edição do Brasileiro de Motocross, que consagraria Nivanor Bernardi o primeiro campeão da história na categoria 250cc

 

1974

250 – Nivanor Bernardi (Yamaha)
125 – Nivanor Bernardi (Yamaha)

Em 1974, Nivanor Bernardi sagrou-se campeão nas duas categorias do Brasileiro de Motocross: 250cc e 125cc

 

1975

250 – Roberto Boettcher (Yamaha)
125 – Roberto Boettcher (Yamaha)

Roberto Boettcher, campeão brasileiro de motocross de 1975 nas categorias 250cc e 125cc

 

1976

250 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Yamaha)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Yamaha)

Pedro Bernardo Raymundo, o “Moronguinho”, campeão brasileiro de motocross de 1976 nas categorias 250cc e 125cc

 

1977

250 – Nivanor Bernardi (Yamaha)
125 – Nivanor Bernardi (Yamaha)

Repetindo o feito de 1974, Nivanor Bernardi voltou a vencer, em 1977, as duas principais categorias do Brasileiro de Motocross

 

1978

250 – Nivanor Bernardi (Yamaha)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Suzuki)

Nivanor Bernardi (#23), campeão brasileiro de motocross na categoria 250cc em 1978, durante prova do Latino-Americano de Motocross de 78, disputado em San José no Uruguai. O número #1 é Gustavo Cerdeña e o #24 é Pedro Bernardo Raymundo, o “Moronguinho”

 

1979

250 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Suzuki)
125 – Roberto Boettcher (Yamaha)

Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho”, campeão brasileiro de motocross de 1979 na categoria 250cc

 

 

E vieram os 80s…

1980

250 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Yamaha)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Yamaha)

Repetindo a façanha de 1976, em 1980 Moronguinho voltaria a se consagrar campeão brasileiro de motocross nas duas principais categorias: 250cc e 125cc

 

1981

250 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)

Foto de 1981, temporada que mais uma vez consagrou Moronguinho nas categorias 250cc e 125cc do Brasileiro de Motocross. Da esquerda para a direita: Roberto Boettcher, Álvaro Cândido Filho, o “Paraguaio”, Nivanor Bernardi, Carlos Augusto Morey Ourique, o “Scateninha”, e Moronguinho

 

1982

250 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)

Em 1982, pela terceira temporada consecutiva, Moronguinho sagrou-se campeão brasileiro de motocross nas categorias 250cc e 125cc

 

1983

250 – Álvaro Cândido Filho “Paraguaio” (Honda)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)

Álvaro Cândido Filho, o “Paraguaio”, campeão brasileiro de motocross de 1983 na categoria 250cc

 

1984

250 – Álvaro Cândido Filho “Paraguaio” (Honda)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)

Álvaro Cândido Filho (#3) e Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (#1) numa disputa da categoria 125cc em 1984. O primeiro se sagraria campeão brasileiro de motocross na categoria 250cc, e o segundo na 125cc

 

1985

250 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)
125 – Pedro Bernardo Raymundo “Moronguinho” (Honda)

Abertura do Brasileiro de Motocross de 1985 na cidade de Marília, São Paulo. Moronguinho (#2) “cercado” pelos norte-americanos Rodney Smith (#31) e Kenny Keylon (#30). Ao final da temporada o brasileiro levaria a melhor sobre os gringos, ficando mais uma vez com o título nas categorias 250cc e 125cc

 

1986

250 – Rodney Smith (KTM)
125 – Rodney Smith (Cagiva)

Norte-americano Rodney Smith sagrou-se campeão brasileiro de motocross de 1986 nas categorias 250cc e 125cc

 

1987

250 – Jorge Negretti (Yamaha)
125 – Jorge Negretti (Yamaha)

Em 1987, deu Jorge Negretti, o “Lourinho Maravilha”, campeão brasileiro de motocross nas categorias 250cc e 125cc

 

1988

250 – Eduardo Saçaki (Yamaha)
125 – Jorge Negretti (Cagiva)

O “Japonês Voador” Eduardo Saçaki foi o campeão brasileiro de motocross de 1988 na categoria 250cc

 

1989

250 – Eduardo Saçaki (Kawasaki)
125 – Rogério Nogueira (Honda)

Repetindo o feito do ano anterior, Eduardo Saçaki sagrou-se campeão brasileiro de motocross de 1989 na categoria 250cc

 

 

A nova geração nos idos de 1990…

Nomes como Jorge Negretti e Eduardo Saçaki começaram a aparecer no fim dos anos 1980 e se consagraram nos anos 1990 junto com Milton Becker “Chumbinho”, Cássio Garcia, Rogério Nogueira, Nuno Narezzi, Cristiano Lopes, entre outros. Veja:

1990

250 – Jorge Negretti (Kawasaki)
125 – Jorge Negretti (Kawasaki)

Assim como em 1987, Jorge Negretti foi campeão brasileiro de motocross de 1990 nas categorias 250cc e 125cc

 

1991

250 – Jorge Negretti (Honda)
125 – Cássio Garcia (Honda)

Em 1991, Jorge Negretti conquistou seu terceiro título brasileiro de motocross na categoria 250cc. Embora tenha disputado o campeonato de Honda, na foto, que também é de 1991, aparece pilotando uma Suzuki no Supercross Open, competição realizada em Viña Del Mar, no Chile, entre os dias 15 e 23 de fevereiro daquele ano, e que também foi vencida por Negretti

 

1992

250 – Milton Becker “Chumbinho” (Yamaha)
125 – Gilberto “Nuno” Narezzi (Honda)

Milton Becker, o “Chumbinho”, campeão brasileiro de motocross de 1992 na categoria 250cc. Na foto, durante uma rodada do Hollywood Supercross do mesmo ano

 

1993

250 – Gilberto “Nuno” Narezzi (Honda)
125 – Gilberto “Nuno” Narezzi (Honda)

Gilberto “Nuno” Narezzi, campeão brasileiro de motocross de 1993 nas categorias 250cc e 125cc. Na foto, representando o Brasil no Motocross das Nações de 1997, em Nismes, na Bélgica

 

1994

250 – Rogério Nogueira (Honda)
125 – Cristiano Lopes (Honda)

Rogério Nogueira (#67) durante uma largada do Motocross das Nações de 1997 em Nismes, na Bélgica. Antes de representar o Brasil no célebre evento, Nogueira foi campeão brasileiro de motocross de 1994 na categoria 250cc

 

1995

250 – Cristiano Lopes (Honda)
125 – Milton Becker “Chumbinho” (Suzuki)

Cristiano Lopes, outro que fez parte da equipe brasileira no Motocross das Nações de 1997 em Nismes, na Bélgica. Antes, em 1995, foi campeão brasileiro de motocross na categoria 250cc

 

1996

250 – Rogério Nogueira (Honda)
125 – Gilberto “Nuno” Narezzi (Honda)

Repetindo o feito de 1994, Rogério Nogueira (#92) sagrou-se campeão brasileiro de motocross de 1996 na categoria 250cc. Na foto, largada de uma rodada do Paulista de Motocross do mesmo ano, em Bragança Paulista. Nogueira aparece ao lado de outras feras, como Rafael Ramos (#6) e Nuno Narezzi (#18)

 

1997

250 – Cristiano Lopes (Honda)
125 – Paulo Stédile (Yamaha)

De Yamaha, Paulo Stedile foi o campeão brasileiro de motocross de 1997 na categoria 125cc. Na 250cc o título ficou com Cristiano Lopes

 

1998

250 – Jorge Negretti (Honda)
125 – Massoud Nassar (Suzuki)

Massoud Nassar, campeão brasileiro de motocross de 1998 na categoria 125cc. Na 250cc o campeão foi Jorge Negretti

 

1999

250 – Antony Pocorobba (Suzuki)
125 – Jorge Balbi Jr. (Yamaha)
Open – Wellington Valadares (Yamaha)

Jorge Balbi Jr foi o campeão brasileiro de motocross de 1999 na categoria 125cc. Na 250cc, o título ficou com o norte-americano Antony Pocorobba

 

Mais categorias, mais campeões…

Os anos 2000 trouxeram a consolidação de categorias de base e de veteranos no Brasileiro de Motocross. Novos campeões nacionais então foram surgindo…

2000

250 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
125 – Roosevelt Assunção (Honda)
Open – Leonardo Müller (Yamaha)

Milton “Chumbinho” Becker, campeão brasileiro de motocross de 2000 na categoria 250cc. Na foto, 3 anos antes, durante uma rodada do Skol Supercross em Esteio, no Rio Grande do Sul

 

2001

250 – Milton Becker “Chumbinho’ (Honda)
125 – Ismael Pereira Maia (Yamaha)
Open – Marco Müller (Yamaha)

Chumbinho também foi o campeão brasileiro de motocross de 2001 na categoria 250cc. Na foto, outra vez em ação durante uma rodada do Skol Supercross, entre os anos de 96 e 98

 

2002

250 – Massoud Nassar (Honda)
125 – Roosevelt Assunção (Honda)
Open – Cássio Garcia (Honda)

Massoud Nassar conquistou o seu primeiro (e único) título brasileiro de motocross na categoria 250cc em 2002

 

2003

250 – Jorge Balbi Jr. (Honda)
125 – Milton Becker (Honda)
Open – Cássio Garcia (Honda)

Jorge Balbi Jr foi o campeão brasileiro de motocross de 2003 na categoria 250cc

 

2004

250 – Jorge Balbi Jr. (Honda)
125 – Kristofer Florenzano (Yamaha)
Open – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)

Em 2004, o título do Brasileiro de Motocross na categoria 250cc novamente ficou com Jorge Balbi Jr

 

2005

MX1 – João Paulino da Silva Jr. “Marronzinho” (Suzuki)
MX2 – Marcello Lima “Ratinho” (Yamaha)
MX3 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)

João Paulino da Silva Jr, o “João Marronzinho”, em seu primeiro título no Brasileiro de Motocross, em 2005, na categoria MX1

 

2006

MX1 – João Paulino da Silva Jr. “Marronzinho” (Suzuki)
MX2 – Leandro Silva (Honda)

MX3 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
85 – Rodrigo Rodrigues (Honda)
65 – Cesar Zamboni (KTM)

Em 2006, João Marronzinho garantiu o bicampeonato da categoria MX1 no Brasileiro de Motocross

 

2007

MX1 – Wellington Garcia (Honda)
MX2 – Wellington Garcia (Honda)

MX3 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Jean Ramos (Kawasaki)
85 – Hector Assunção (Honda)
65 – Gustavo Roratto (Kawasaki)

Wellington Garcia foi o campeão brasileiro de motocross de 2007 nas duas principais categorias: MX1 e MX2

 

2008

MX1 – João Paulino da Silva Jr. “Marronzinho” (Kawasaki)
MX2 – Rodrigo Selhorst (KTM)

MX3 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Thales Vilardi (Honda)
CRF230 – Carlos Eduardo Mendes Franco (Honda)
85 – Rodrigo de Andrade Santos (Honda)
65 – Kaio Miranda (KTM)

De Kawasaki, João Marronzinho sagrou-se tricampeão brasileiro de motocross na categoria MX1 em 2008

 

2009

MX1 – Wellington Garcia (Honda)
MX2 – Wellington Garcia (Honda)

MX3 – Cristiano Lopes (Honda)
MXJR – Rodrigo Rodrigues (Honda)
CRF230 – Marcos Roza Moraes (Honda)
85 – Endrews Armstrong (Honda)
65 – Rodrigo Riffel (LEM)
50 – Enzo Lopes (KTM)

Repetindo o feito de 2007, em 2009 Wellington Garcia garantiu o título do Brasileiro de Motocross nas categorias MX1 e MX2

 

2010

MX1 – Scott Simon (Kawasaki)
MX2 – Scott Simon (Kawasaki)

MX3 – Davis Guimarães (Kawasaki)
MXJR – Marçal Müller (Kawasaki)
MXF – Brunna Bartz (Kawasaki)
Nacional Pró – Carlos Eduardo Mendes Franco (Honda)
85 – Anderson Amaral (Honda)
65 – Kioman Navarro Muñoz (KTM)
50A – Lucas Torres da Costa (LEM)
50B – Arthur Piva Todeschini (KTM)

Norte-americano Scott Simon foi o campeão brasileiro de motocross de 2010 nas categorias MX1 e MX2

 

2011

MX1 – Jorge Balbi Jr. (Kawasaki)
MX2 – Jean Ramos (Honda)

MX3 – Douglas Parise (Kawasaki)
MX4 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Francisco Martins de Araujo Neto
MXF – Brunna Bartz
Nacional Pró – Marcos Roberto Roza de Moraes (Honda)
85 – Gustavo Henn (Kawasaki)
65 – Enzo Lopes (KTM)
55A – Gabriel Andrigo
55B – Matheus Favero

Em 2011, Jorge Balbi Jr foi o último piloto brasileiro a se sagrar campeão na principal categoria do campeonato, a MX1

 

2012

MX1 – Carlos Campano (Yamaha)
MX2 – Hector Assunção (Honda)

MX3 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MX4 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Enzo Lopes (KTM)
MXF – Maiara Basso (KTM)
Nacional Pró – Carlos Eduardo Mendes Franco (Kawasaki)
65 – Arthur Piva Todeschini (KTM)
50A – Garmichel Giehl (KTM)
50B – Yan Jose Hilario Machado (Honda)
50C – Rafael Ribeiro de Araujo “Bubbinha” (Honda)

 

O início de uma era dominante: espanhol Carlos Campano, em 2012, durante o seu primeiro título brasileiro de motocross na categoria MX1

 

2013

MX1 – Adam Chatfield (Honda)
MX2 – Paulo Alberto (Honda)

MX3 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MX4 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Enzo Lopes (KTM)
MXF – Mariana Balbi (Kawasaki)
Nacional Pró – Fabiano Nestor dos Santos (Honda)
65 – Leonardo Nunes (Honda)
50A – Cristyan Ryan Eckhardt (KTM)
50B – Gabriel Andrigo (KTM)

Britânico Adam Chatfield foi o campeão brasileiro de motocross de 2013 na categoria MX1

 

2014

MX1 – Carlos Campano (Yamaha)
MX2 – Hector Assunção (Honda)

MX3 – Davis Guimarães (Honda)
MX4 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Enzo Lopes (KTM)
MXF – Stefany Serrão (Honda)
Nacional Pró – Caio Lopes (Honda)
65 – Matheus Favero (Kawasaki)
50 – Diogo Moreira (Kawasaki)

Carlos Campano durante rodada do Brasileiro de Motocross de 2014, ano em que conquistou o bicampeonato na categoria MX1

 

2015

MX1 – Carlos Campano (Yamaha)
MX2 – Hector Assunção (Honda)

MX3 – Douglas Parise (Honda)
MX4 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Leonardo Almeida (Kawasaki)
MXF – Stefany Serrão (Honda)
65 – Carlos Eduardo Baltazar (KTM)
50 – Rafael Becker (KTM)

Campano em 2015, comemorando o tricampeonato brasileiro de motocross na categoria MX1

 

2016

MX1 – Jetro Salazar (Honda)
MX2 – Fabio Santos (Yamaha)

MX3 – Roman Jelen (Honda)
MX4 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Leonardo Nunes (Honda)
MXF – Maiara Basso (KTM)
65 – Henrique Henicka (KTM)
50 – Rafael Becker (KTM)

Equatoriano Jetro Salazar conquistou o Brasileiro de Motocross de 2016 na categoria MX1

 

2017

MX1 – Carlos Campano (Yamaha)
MX2 – Gustavo Pessoa (Honda)

MX2JR – Tallys Nathan (Yamaha)
MX3 – Willian Guimarães (Kawasaki)
MX4 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MX5 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Bruno Schmitz (KTM)
MXF – Maiara Basso (KTM)
Nacional Pró – Gabriel Montagner Silva (Honda)
65 – Rafael Becker (KTM)
50 – Felipe de Menezes Marques (KTM)

Quatro dedos, em alusão ao tetracampeonato de Carlos Campano na categoria MX1 do Brasileiro de Motocross, em 2017

 

2018

MX1 – Carlos Campano (Yamaha)
MX2 – Fabio Santos (Yamaha)

MX Elite – Jetro Salazar (Honda)
MX2JR – Tallys Nathan (Yamaha)
MX3 – Marcos Cordeiro (Kawasaki)
MX4 – Willian Guimarães (Kawasaki)
MX5 – Milton Becker “Chumbinho” (Honda)
MXJR – Gabriel Andrigo (KTM)
MXF – Maiara Basso (KTM)
Nacional Pró – Caio Lopes (Kawasaki)
65 – Garmichel Giehl (KTM)
50 – Gustavo Mauricio Torres (KTM)

Em 2018, Campano faturou seu quinto título brasileiro de motocross na categoria MX1

 

2019

MX1 – Jetro Salazar (Honda)
MX2 – Fabio Santos (Yamaha)

MX Elite – Jetro Salazar (Honda)
MX2JR – Joaquim Neto (Yamaha)
MX3 – Roosevelt Assunção (Kawasaki)
MX4 – Willian Guimarães (Yamaha)
MX5 – Ricardo Sebbe (Kawasaki)
MXJR – Guilherme Bresolin (KTM)
MXF – Maiara Basso (KTM)
Nacional Pró – Wellington Garcia (Yamaha)
65 – Bernardo Tiburcio (KTM)
50 – Caio Grosbelli (KTM)

Jetro Salazar foi o último campeão brasileiro de motocross da categoria MX1, em 2019. Quem será que vai ficar com o título na temporada 2020 (se é que teremos campeonato)?

 

2020…?

 

Os campeões das principais categorias em quantidade:

Moronguinho
14 títulos no total
250 – 6 títulos
125 – 8 títulos

Jorge Negretti
7 títulos no total
250 – 4 títulos
125 – 3 títulos

Nivanor Bernardi
6 títulos no total
250 – 4 títulos
125 – 2 títulos

Chumbinho
5 nas categorias principais. 21 títulos no total
250 – 3 títulos
125 – 2 títulos
Open – 1 título
MX3 – 6 títulos
MX4 – 7 títulos
MX5 – 2 títulos

Carlos Campano
5 títulos no total
MX1 – 5 títulos
MX2 – nenhum

Nuno Narezzi
4 títulos no total
250 – 1 título
125 – 3 títulos

Balbi Junior
4 títulos no total
MX1 – 1 título
250 – 2 títulos
125 – 1 título

Wellington Garcia
4 títulos nas categorias principais. 5 títulos no total
MX1 – 2 títulos
MX2 – 2 títulos
Nacional – 1 título

Roberto Boettcher
3 títulos no total
250 – 1 título
125 – 2 títulos

Rogério Nogueira
3 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – 1 título

Cristiano Lopes
3 títulos nas categorias principais. 4 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – 1 título
MX3 – 1 título

Marronzinho
3 títulos no total
MX1 – 3 títulos
MX2 – nenhum

Fabio Santos
3 títulos nas categorias principais
MX1 – nenhum
MX2 – 3 títulos

Hector Assunção
3 títulos nas categorias principais. 4 títulos no total
MX1 – nenhum
MX2 – 3 títulos
MXJR – 1 título

Massoud Nassar
2 títulos no total
250 – 1 título
125 – 1 título

Paraguaio
2 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – nenhum

Rodney Smith
2 títulos no total
250 – 1 título
125 – 1 título

Saçaki
2 títulos no total
250 – 2 títulos
125 – nenhum

Roosevel Assunção
2 títulos nas categorias principais. 3 títulos no total
250 – nenhum
125 – 2 títulos
MX3 – 1 título

Scott Simon
2 títulos no total
MX1 – 1 título
MX2 – 1 título

Jetro Salazar
2 títulos nas categorias principais. 4 títulos no total
MX1 – 2 títulos
MX2 – nenhum
MX Elite – 2 títulos

Cássio Garcia
1 título nas categorias principais. 3 títulos no total
250 – nenhum
125 – 1 título
Open – 2 títulos

Jean Ramos
1 título nas categorias principais. 2 títulos no total
MX1 – nenhum
MX2 – 1 título
MXJR – 1 título

 

Quem tem 1 título nas principais categorias

André Alves – 125cc (1973)
Paulo Stedile – 125cc (1997)
Antony Pocorobba – 250cc (1999)
Kristofer Florenzano – 125cc (2004)
Marcello “Ratinho” Lima – MX2 (2005)
Leandro Silva – MX2 (2006)
Rodrigo Selhorst – MX2 (2008)
Adam Chatfield – MX1 (2013)
Gustavo Pessoa – MX2 (2017)

 

Maiores campeões das categorias complementares:

Enzo Lopes
5 títulos no total
50cc – 1 título
65cc – 1 título
MXJR – 3 títulos

Maiara Basso
5 títulos no total
MXF – 5 títulos

Gabriel Andrigo
3 títulos no total
50ccA – 1 título
50ccB – 1 título
MXJR – 1 título

Rafael Becker
3 títulos no total
50cc – 2 títulos
65cc – 1 título

Willian Guimarães
3 títulos no total
MX3 – 1 título
MX4 – 2 títulos

Tallys Nathan
2 títulos no total
MX2JR – 2 títulos

Carlos Eduardo Mendes Franco
2 títulos no total
CFR230 – 1 título
Nacional Pró – 1 título

Brunna Bartz
2 títulos no total
MXF – 2 títulos

Stefany Serrão
2 títulos no total
MXF – 2 títulos

Douglas Parise
2 títulos no total
MX3 – 2 títulos

Davis Guimarães
2 títulos no total
MX3 – 2 títulos

Marcos Moraes
2 títulos no total
CFR230 – 1 título
Nacional Pró – 1 título

Caio Lopes
2 títulos no total
Nacional Pró – 2 títulos

Leonardo Nunes
2 títulos no total
65cc – 1 título
MXJR – 1 título

Arthur Todeschini
2 títulos no total
50ccB – 1 título
65cc – 1 título

Matheus Favero
2 títulos no total
50ccB – 1 título
65cc – 1 título

Garmichel Giehl
2 títulos no total
50cca – 1 título
65cc – 1 título

 

Quem tem 1 título nas categorias complementares

Wellington Valadares – Open (1999)
Leonardo Müller – Open (2000)
Ismael Pereira Maia – 125cc (2001)
Marco Müller – Open (2001)
Rodrigo Rodrigues – 85cc (2006)
Cesar Zamboni – 65cc (2006)
Gustavo Roratto – 65cc (2007)
Rodrigo Andrade Santos – 85cc (2008)
Kaio Miranda – 65cc (2008)
Carlos Eduardo Mendes Franco – CRF230 (2008)
Rodrigo Rodrigues – MXJR (2009)
Endrews Armstrong – 85cc (2009)
Rodrigo Riffel – 65cc (2009)
Marçal Müller – MXJR (2010)
Anderson Amaral – 85cc (2010)
Kioman Navarro Muñoz – 65cc (2010)
Lucas Torres da Costa – 50ccA (2010)
Francisco Martins de Araujo Neto – MXJR (2011)
Gustavo Henn – 85cc (2011)
Yan Jose Hilario Machado – 50ccA (2012)
Rafael Ribeiro de Araujo “Bubbinha” – 50ccB (2012)
Fabiano Nestor dos Santos – Nacional Pró (2013)
Cristyan Ryan Eckhardt – 50ccA (2013)
Diogo Moreira – 50cc (2014)
Leonardo Almeida – MXJR (2015)
Carlos Eduardo Baltazar – 65cc (2015)
Roman Jelen – MX3 (2016)
Henrique Henicka – 65cc (2016)
Bruno Schmitz – MXJR (2017)
Gabriel Montagner Silva – Nacional Pró (2017)
Felipe de Menezes Marques – 50cc (2017)
Marcos Cordeiro – MX3 (2018)
Gustavo Mauricio Torres – 50cc (2018)
Joaquim Neto – MX2JR (2019)
Ricardo Sebbe – MX5 (2019)
Guilherme Bresolin – MXJR (2019)
Bernardo Tiburcio – 65cc (2019)
Caio Grosbelli – 50cc (2019)