Numerologia Caboclanti! O jeito mais destrambelhado de ver AMA Supercross

topoblogcaboclo

caboclopaint

Buenas! Buenas! Enquanto no Mundial de Motocross só dá Cairoherlings (ou seria Jeffreiroli?), no AMA SX, o a coisa tá fervendo de novo!

Será que o James Stewart tomou aquele banho de sal grosso recomendado por este destrambelhado Caboclo que agora vos fala? Sei não…

O que sei é que o Bubba grudou feito Bubbalu na sola da bota de Cole Seely. (Seely? Ei! Este não era o azarado da 250, que perdia na última volta? Desta vez começou a perder posições já no começo. Mas, como infiltrado na 450, até que se saiu bem. Só saiu, porque chegou mal, em 15º).

E o Short, pode até ter encontrado um caminho mais CURTO, mas faz tempo que não o vejo pelo caminho mais rápido. Sempre no meio do pelotão, ou num interminável quase.

O alemão, que começou com tudo, contudo, vai perdendo pontos preciosos e ficando para trás. Talvez somente o Smeagle entenda quão preciosos são esses pontos.

Será que foi algum dos anéis das engrenagens que o deixou ali parado, longe do alto do pódio, mas no alto da montanha da perdição! Haha! Que coisa besta! Perdição! Só porque perdeu? Sei lá. Pareceu uma boa piada quando escrevi e li pela primeira vez.

Mas, vamos em frente.

Ou para trás:
Queria saber se o número 800 de Mike Alessi tem a ver com aqueles 0-800-como-estou-dirigindo? Espero que não, porque se alguém resolver ligar, ele perde o emprego já já!

Um bom candidato à vaga deste cidadão seria o Justin Barcia. Este seria por causa de um efeito numerologicamente besta , ligado à Caninha 51? Pois é. Se for, não poderia pilotar depois da cana. Vai perder pontos, se não na carteira, na classificação.

Agora sim. Vamos adiante. Ou ao início, e falemos novamente do Bubba:

James Stewart, número 7, conseguiu a terceira vitória na temporada, largando logo atrás do número 21. Será coinscidência? 3×7=21. E se simplificarmos este 21 em 2+1, temos, por óbvio, o nº 3. Sei não hein!

E tem mais: chegou à vitória de número 48 no AMA SX, igualando-se a Ricky Carmichael. Notem que 4+8=12, que também se decompõe na somatória de 2+1=3, além de ser o 21 no espelho.

E o que tudo isso significa e que importância tem esta numerologia bagaceira no resultado do campeonato? Certamente, nadica de nada.

No entanto, entretanto e portanto: Bom dia sol? Não, deixa isso para o Coração Noturno do Raulzito, e vamos adiante.

Estava olhando as placas de publicidade da Suzuki e da Makita e pensando, cá com meus botões: e se elas se misturassem e formassem a equipe Sukita? Kkkkk essa foi demais até pra mim. Até porque a cor seria da KTM e aí seria uma bagunça daquelas – maior que essa que estou fazendo no texto desta semana.

É quase um strike nas ideias de concatenação, coerência e coesão que ensinam nas aulas de redação, seja do colégio ou da faculdade.

O negócio é que Villopocotó vai no trote da regularidade, está na ponta da tabela, e não deixar diferença cair muito.

Está indo pelos caminhos de Dungey, e ambos parecem compartilhar, além do nome, a Ryangularidade! Haha!

Na 250 o bicho pegou! Começando pelo galope de Davalos, que cavalgouvolos para o holeshot, mas acho que as ferraduras estavam soltas, e acabou se ferrando numa das tantas curvas em ferradura da pista, e caiu. Como no dizer popular: vão-se as ferraduras, ficam os cascos! Haha!

Mas animal mesmo está o estreante Adam Cianciarulo, que, ainda no campo da minha numerologia barata, fez jus ao numberplate colorado e foi nota 4+6! Dez pro piá que ainda vai arrepiá!

Venceu mais uma, mantendo a hegemonia das Kawasaki, que só não tomaram conta do pódio novamente porque o Justin GOOGLE encontrou um resultado mais adequado ao que procura! Haha! Piada nerd é pra moer! Google, busca, resultados… que coisa!

Não sei se o Decotis deu muita abertura, mas não conseguiu seguir firme e foi ficando para trás. Mesmo quando tentou apertar e não deixar brecha, Decotis acabou abrindo ainda mais e caiu ainda mais posições. Acho que viu o numeral 30 e lembrou do Faustão. Acabou se virando nos trinta. Pena que se virou no chão e terminou na péssima décima colocação.

SXonline 2014 Detroit (23)
Pódio da etapa de Detroit – Foto: Feld Motorsports

 

Blake Bagget, que não tem nada a ver com o decote de ninguém, sovou a massa e socou a mão, recuperando posições e terminando em terceiro.

Matt Lemoine não poderia estar em uma moto de cor mais apropriada! Verde Kawasaki! A pergunta é: se é mate de limão, é tererê?

Não é Guantanamera, mas Quantabobagem! Haha…

Um abraço e até a próxima!

Caboclo!