Jeremy Martin, primeiro piloto a vencer duas vezes a 250 Leste no AMA SX, comenta a corrida em Saint Louis

martin_stlouis_amasx (4)
Jeremy Martin foi o único a vencer duas vezes a 250 Leste – Crédito: AMA Supercross

 

Foi apenas uma questão de tempo para que algum piloto da 250 Costa Leste vencesse duas vezes na temporada 2016 do AMA Supercross. Até o último sábado, 16, foram cinco etapas e cinco vencedores. Mas Jeremy Martin mudou o rumo da conversa.

O piloto da Yamaha fez uma corrida perfeita em Saint Louis, Missouri, na 14ª etapa do campeonato. Largou em primeiro e manteve a posição até a bandeirada final – sendo sua terceira vitória na carreira.

Mesmo com duas vitórias, Martin ocupa a terceira posição do campeonato com 99 pontos. O piloto segue atrás de Malcolm Stewart, atual líder com 115 pontos, e Aaron Plessinger, que está com 114. O site norte-americano RacerX conversou com o piloto após a corrida. Confira!

 

Parabéns! Bela corrida!
Jeremy Martin: Sim! Conquistar o holeshot foi muito legal, acho que foi o primeiro deste ano. Saí na frente, fiz minha própria corrida e ninguém foi capaz de me ultrapassar. Foi muito bom, os outros finais de semana foram meio complicados.

Você chegou a cair na Heat 1. Essas coisas afetam você?
Jeremy Martin: Para ser honesto, me senti muito mal no início do dia. Estava lutando, tentando me encontrar nos saltos. Até que consegui me ajeitar e as coisas melhoraram. Saí do treino pensando “ok, estamos bem, podemos escolher um lugar bom no gate”. Então fui para a Heat 1 e pensei “vocês devem estar brincando comigo”, porque estava muito pior. Mas no Main Event consegui me soltar. Trabalhamos muito para isso acontecer.

Quando Aaron Plessinger ficou em segundo lugar, vocês tinham uma grande diferença e nós pensamos que ele poderia chegar. Mas isso não aconteceu. Você estava no seu limite, ou ainda tinha como ir mais longe?
Jeremy Martin: Eu poderia dar mais. Cheguei a enxergá-lo e não daria esperança a ele para que chegasse em mim. Se ele fosse encostar em mim, provavelmente seria no final da corrida. Aaron é muito bom. Ele tem esse estilo, alto e magro, e se solta. É até engraçado de assistir. Se formos analisar as imagens, são dois estilos totalmente diferentes.

Como estava a pista? Parecia um pouco complicada nos treinos.
Jeremy Martin: Sim, definitivamente estava complicada nos treinos, o que é normal. Depois eles colocam mais terra e fica escorregadio. Mas para o Main Event, fizemos alguns ajustes na suspensão e ficou incrível.

Quão boa é a sensação de voltar a ganhar depois da semana passada?
Jeremy Martin: É um sentimento bom! Este é o lugar onde deveríamos estar todos os fins de semana. Algumas vezes temos azar. Tivemos cinco vencedores diferentes esse ano, e fui o primeiro a vencer novamente. É muito bom!

O campeonato não está muito bom pra você. É hora de mudar o foco para o AMA Motocross?
Jeremy Martin: Acho que sim. Fui campeão duas vezes e você sabe, esse é o meu foco. Atualmente estou focado em vencer as últimas corridas e vamos ver o que acontece até o final do ano. A liderança está longe, por isso vamos apenas ser consistentes e fazer o que fiz nessa noite, vencer.

 

martin_daytona_amasx (2)
Primeira vitória da temporada em Daytona – Crédito: Simon Cudby / RacerX

 

martin_daytona_amasx (1)
Pódio em Daytona – Crédito: Simon Cudby / RacerX

 

martin_stlouis_amasx (2)
Com o parceiro de equipe, Aaron Plessinger, no gate – Crédito: Simon Cudby / RacerX

 

martin_stlouis_amasx (1)
Comemoração no pódio em Saint Louis – Crédito: Simon Cudby / RacerX

 

martin_stlouis_amasx (3)
Jeremy Martin – Crédito: AMA Supercross