Ezra Lusk fala do fim da carreira, do momento atual, do acidente do irmão e relembra pega com Chad Reed

Quem acompanhou a década de 90 do AMA SX/MX vai se lembrar dele. Era um dos pilotos mais rápidos e agressivos, capaz de fazer frente a Jeremy McGrath, Jeff Emig, Ricky Carmichael e Chad Reed.

Ezra Lusk respondia pelo apelido de Yogi, geralmente grafado na parte traseira de suas calças. Na maior parte de sua carreira usou numeral #3, #4 e #11. Começou na Suzuki, passou por Kawasaki, Honda e Yamaha, voltou a Suzuki. Virou profissional em 1992, foi campeão na 125cc Leste em 1994, ganhou muitas provas de supercross na 250cc.

Parou de correr em 2004. Fez uma aparição especial no US Open em 2009, e agora, vez ou outra, está nos bastidores do MX ajudando Davi Millsaps. Se dedica mais à família e à partidas de tênis. Pilota só por diversão.

Nesta quarta-feira, 28, a Racer X – publicação norte-americana – divulgou uma entrevista com Lusk, falando de sua vida pós-aposentadoria. Vale a pena ler e assistir aos vídeos que o BRMX separou para você relembrar essa fera!

>>> LEMBRE-SE de responder a Pesquisa de Mercado BRMX!

Como vai sua vida?
Tudo bem. Me aposentei em 2004, depois que meu irmão teve um grave acidente (Shane Lusk caiu enquanto treinava motocross e fraturou as vértebras 6 e 7 da coluna cervical). Nunca anunciei “o fim”, mas depois de passar um ano ajudando ele a se recuperar, nunca mais voltei profissionalmente. Não fiz muita coisa naquele ano, e então comecei a jogar tênis e me afastei das corridas. Lá por 2006, Brock Sellards ainda corria, e vinha me visitar, e nós pilotamos muito. Mas pra mim era puro divertimento. Na maioria do tempo eu jogava tênis, e meus interesses foram para outras áreas.

Como está seu irmão?
Obrigado por perguntar. Ele está bem. Está terminando os estudos. Acho que ele tem os neurônios da família. Obteve seu diploma de bacharel em saúde pública e um mestrado em ciências biológicas. Caminha com uma muleta de braço e se vira bem, levando em consideração o estado que estava.

Fale um pouco de sua tentativa de retorno, no US Open de 2009?
Estávamos pilotando (Sellards, Lusk e Millsaops), eu por divertimento. Aí, em 2008 minha mulher comprou uma moto para mim. Meu irmão estava se recuperando bem, mas eu nem pensava em voltar a competir. Aí o Brock fazia o Arenacross, e o Arenacross é mais fácil, você não precisa treinar tanto quanto supercross.

Então fiz aquela tentativa de retorno em 2009. Mas, para competir, as coisas são diferentes. Tem que se manter com uma saúde muito boa, e eu não estava afim de fazer todo este esforço. Treinei muito, fiz meio Ironman, fiz maratonas, e fiz coisas que eu gostava. Mas não fazia as partes que não gostava. Então, quando voltei, vi que aquilo não me fazia a cabeça mais. Também machuquei o pulso, um pulso que já me incomodava antes. Foi isso.

Qual a sua melhor memória da carreira?
Bem, eu fiz parte de uma época com os melhores. Brigava com Jeremy, o melhor piloto de todos os tempos, e eu o ameaçava. Me entusiasmo de pensar que fiz parte daquela Era. Jeremy e eu tivemos algumas brigas quentes, a ponto de não gostarmos um do outro por um longo período. Não tenho nada contra ele, só respeito. Ele é incrível.

E sua vida em casa? (Ezra Lusk é casado e tem dois filhos)
Estamos morando em Cartersville, Georgia, perto de Atlanta. Haydon (um de seus filhos) nasceu em 2003, na semana seguinte a minha última vitória, em Phoenix. Foi onde tive aquela batalha com Chad Reed. Foi uma boa semana na minha vida. Agora ele tem nove anos, joga tênis e baseball, coisas de criança. Hudson (outro filho) tem quatro anos. Nenhum deles está focado no esporte profissional.

Você também está envolvido com o Millsaps. Podemos dizer que agora você é uma espécie de técnico dele?
Sim e não. Tudo isso começou anos atrás com o Brock Sellars. Ele ainda corrida Arenacross e treinava comigo. Davi vivia por perto, e a gente ia treinar com ele. Comecei a ajudar e, há dois anos, estamos trabalhando juntos. Neste momento estamos na Califórnia. Ele está aqui para testes. A Rockstar Energy Suzuki acabou de construir uma pista em Milestone, e nós estamos trabalhando na moto. Estou tentando ajudar ele a tomar boas decisões. Muito das coisas que ele passa, eu passei.

:: US Open 2009
Nos dois vídeos que seguem, você vê a prova final daquele ano. Lusk pouco aparece, mas a batalha Villopoto X Bubba vale o PLAY. Logo abaixo, o treino livre de Ezra Lusk naquele ano

:: Lusk x Reed em Phoenix
Em duas partes, a final da corrida citada por Lusk na entrevista. É muito nostálgico ver as 2T