Chad Reed: “não importa o que aconteça, eu estarei em Anaheim 1”

Chad Reed em ação durante o Supercross de Paris 2019

 

Quando Chad Reed sofreu uma queda no segundo Main Event da segunda noite de disputas do Supercross de Paris 2019, haviam poucas preocupações com a sua condição física. Mesmo ficando fora do último Main Event, ele cumpriu suas obrigações habituais com a imprensa, com diversas entrevistas.

Mais tarde, descobriu-se que ele havia fraturado duas costelas na queda. Foi a esposa de Reed, Ellie, quem deu a notícia nas mídias sociais.

– No fim de semana passado, CRTwoTwo sofreu lesões durante o acidente em Paris. Ele pilotou hoje em Auckland (rodada do Australiano de Supercross 2019) com duas costelas quebradas. Quem já teve essa lesão sabe o quanto isso é doloroso. Mas, sempre fiel ao seu personagem, Chad Reed resolveu aparecer aqui em Auckland. O nível de decepção e o retrocesso que estas lesões trazem para a pré-temporada são óbvios. Mas ao invés de permitir que a tristeza aconteça, ele revidará no melhor estilo #22, provando que não importa o quão duramente você seja derrubado, ele sempre se levantará e tentará novamente! Você é um guerreiro e suas ações diante dos contratempos continuam inspirando os outros. NUNCA DESISTAM – escreveu ela.

Reed tentou correr na rodada de Auckland, mas só conseguiu dar algumas voltas durante a corrida classificatória, antes de abandonar. E uma pequena nova queda o fez perceber que era melhor se concentrar em sua recuperação, para estar apto para a próxima rodada, que acontece em Melbourne, dentro de duas semanas.

Antes, ainda na semana anterior em Paris, ele conversou com o pessoal do site Racer X Online. Confira a seguir a tradução da entrevista na íntegra.

 

Hoje as coisas não deram muito certo pra você. O que aconteceu no segundo Main Event, foi algum problema com a moto ou com o seu corpo?

Com o corpo. Infelizmente com o corpo.

 

 

Pois é, você caiu logo na largada…

Sim. Cara, foi bem parecido com o acidente que sofri em Seattle. E lá a culpa foi minha, só que claro, me machuquei muito mais. Seria fácil dizer que foi um erro estúpido, que paguei o preço e acabei saindo numa ambulância. Mas são coisas típicas de corrida, acontecem. Eu assisti no vídeo depois, e, sinceramente, não sei se poderia ter feito algo melhor para evitar isso. Infelizmente eu estava no lugar errado na hora errada e acabei colidindo com o outro piloto. No vídeo, o ângulo é horrível. Não dá pra ver o que realmente aconteceu. Meio que me sinto muito mal, mas agradecido por não ter sido pior.

 

Você praticamente não teve tempo para treinar, tanto é que suas largadas foram horríveis. Como você se sentiu neste fim de semana?

Sim, minhas largadas foram horríveis. Definitivamente essa é a coisa mais importante que tenho na minha mente agora: o que fazer e como fazer para entrar de novo no ritmo das corridas. Óbvio que eu já tenho algumas ideias a respeito.

 

 

Jeremy Martin fez ótimas largadas e ele anda de Honda que nem você…

Sim, e eu sei exatamente o que ele está fazendo para largar tão bem. Precisamos fazer algumas mudanças na embreagem da minha moto. Deixá-la mais suave, para que eu possa ser muito mais agressivo em minhas largadas.

 

A programação do evento aqui também é um pouco diferente dos Estados Unidos. Isso pode afetar o desempenho dos pilotos até que eles estejam adaptados?

Sim, no começo tivemos alguns problemas internos. Mas no meu caso, como você disse, não tive o tempo ideal de preparação, mas isso não é uma desculpa. É apenas um fato. Recentemente fui campeão mundial de Lamborghini. Então, acho que o tempo que fiquei afastado da moto foi por uma boa causa e colhi ótimos frutos. Pelo bem ou pelo mal, tive um fim de semana incrível aqui em Paris.

 

 

Você nunca esteve aqui nesta arena, certo?

Não. E você não acha que deveríamos ter eventos de nível mundial, como o AMA Supercross, num lugar como esse?

 

Sim, claro. Por que não? Eles querem fazer isso. Parece que nos próximos anos teremos rodadas na Arábia Saudita ou algo parecido.

Seria incrível. O estádio aqui é incrível, a pista estava ótima, os fãs franceses são apaixonados pelo esporte. Se desejamos que o supercross atinja patamares ainda maiores, não teria porquê não fazer uma rodada aqui.

 

 

Seria legal e os fãs daqui parecem gostar muito de você. Pareciam entusiasmados de ver Chad Reed novamente, 12 anos depois…

Com certeza. Obviamente, foi um fim de semana movimentado. Eu provavelmente era o segundo cara mais popular aqui. E é sempre difícil competir com os franceses no país deles, são adversários bem duros.

 

Agora você vai disputar corridas na Nova Zelândia e na Austrália…

Sim, Nova Zelândia é no próximo fim de semana, então será interessante. Estou um pouco nervoso porque caí hoje e tenho a sensação de que posso ter quebrado uma das minhas costelas novamente. De qualquer forma, vamos descansar. Tenho 20 horas de voo amanhã. Na minha opinião, o Supercross de Paris é sempre a corrida mais importante e de maior prestígio. Mas Austrália e Nova Zelândia se igualaram neste quesito na minha opinião. Acho que estas corridas de pré-temporada, na Austrália e na Nova Zelândia, são muito mais importantes para mim do que o Monster Energy Cup. O Monster Energy Cup não é realmente um supercross. Sinto que todas as coisas que aprendi e senti neste final de semana aqui em Paris são totalmente relacionadas ao que vou sentir na abertura do AMA Supercross 2020 em Anaheim.

 

Sim, foi uma prova bem disputada. Todos os pilotos estavam num nível bem alto de competitividade. Como jornalista, uma das melhores corridas de supercross que já vi aqui em Paris.

Sim, o ritmo estava bem alto. A pista era complicada, mas desafiadora. A sessão de costelas estava bem difícil. Nessas condições, geralmente me sinto bastante competitivo. Estive a menos de um segundo do líder, cheguei a andar em quarto na geral. Então, mesmo com tão pouco tempo para treinar, dá para tirar aspectos positivos deste fim de semana. Acho que a minha experiência por aqui foi boa.

 

Qual é a chance de vermos você em Anaheim 1?

Posso garantir que estou confiante de que estarei lá.

 

Sim, mas se formos colocar em porcentagem, qual é a chance?

Você não vai gostar disso, mas hoje eu diria que é apenas 50%. Me sinto bem com as pessoas que tenho ao meu redor, trabalhando para mim. Todos estão trabalhando muito duro. Tenho confiança em todos na minha equipe. Se não pudermos estar em Anaheim 1, não será por falta de trabalho. É difícil dar uma resposta concreta. No momento eu diria que a chance é de 50%.

 

Mas se você estiver e se classificar para a final, será o 250º Main Event de sua carreira na categoria 450SX

E existe lugar melhor para conquistar essa marca do que Anaheim? Então, acho que não importa o que aconteça, eu estarei em Anaheim 1.