Antonio Jorge Balbi Junior desiste da pré-temporada 2012 no AMA Supercross

Antonio Balbi Junior havia iniciado sua pré-temporada nos EUA em dezembro de 2011 – Foto: Arquivo Pessoal

Antonio Jorge Balbi Junior revelou nesta semana que desistiu de participar do AMA Supercross 2012. A lesão sofrida no braço, em dezembro passado, atrasou seus treinamentos e o atleta focará seu trabalho para se preparar para a temporada brasileira de motocross. 
Em entrevista ao BRMX, o mineiro patrocinado pela Pro Tork, Kawasaki, Mobil, Martplus e RaceTech, revelou os motivos que o fizeram desistir de um plano traçado ainda em 2011. Confira!

O que motivou você a desistir da pré-temporada no AMA SX, já que você havia dito que estava recuperado da fratura no braço?
Balbi – Estou recuperado, porém não 100% ainda. Só voltei a treinar na quarta-feira dessa semana (25 de janeiro). Treinei motocross, que é mais fácil. 

Desde a metade de 2011, venho sofrendo lesão atrás de lesão e, talvez por compromisso e também por querer muito, acabei não respeitando meus limites. Não quero começar 2012 cometendo o mesmo erro.

Então, a decisão foi pensando principalmente na temporada brasileira?
Balbi – Sim, com certeza. Seria arriscar uma temporada por duas corridas, já que neste fim de semana ainda não teria treinado supercross o suficiente para entrar na pista (em Oakland). 
Escutei as pessoas que trabalham comigo, que eu respeito muito. Ryan Hughes, Max, meu pai, todos eram da opinião de focar nos treinos de motocross e entar na pista 100%, o que não aconteceria caso eu fosse correr semana que vem.
Você deve ter levado em consideração também a “agressividade” no AMA desta temporada, que está prejudicando muitos pilotos…
Balbi – Sim, o Trey Canard foi um exemplo claro disso. Me conheço bem e sei que quando entro na pista dou tudo o que tenho. Não teria como correr o supercross me poupando.
E você tentaria brigar pelo TOP10 da Lites, como no ano passado…
Balbi – Se não tivesse me machucado em dezembro, brigaria, com certeza. Porém, voltar na metade do caminho seria diferente.
Fiquei muito triste porque estava andando muito bem em dezembro. Agora é bola pra frente. Já estou muito focado na temporada brasileira.
O quanto você acredita que a ausência dessa pré-temporada nos EUA pode influenciar no seu desempenho no Brasil?
Balbi – Pensamos nisso, e acredito que o fato de começar a focar na moto 450cc e no motocross mais cedo, pode ser muito benéfico. Além disso, talvez eu faça algumas corridas de motocross aqui, nos EUA, no no fim de fevereiro. Outra coisa positiva é que o Ryan Hughes, no MX, vai pra pista e anda junto comigo. Assim pode me ajudar mais ainda. O cara ainda é muito rápido.
Você fica nos EUA até fim de fevereiro?
Balbi – Ainda não sei exatamente quando volto ao Brasil. Estou esperando o calendário oficial. Ninguém sabe quando realmente começa, tanto Brasileiro quanto Superliga. 

Leia mais:
>>> Relembre o episódio da queda e fratura de Balbi, em dezembro