Uma aventura Paraguaia!

Yamaha

Olá, amigos leitores do blog!

Após algumas semanas, desde que estreei aqui no BRMX com meu blog, muitas coisas aconteceram. Por isso, vou dividir a postagem. Hoje, contarei um pouco da minha ida ao Paraguai para uma corrida. Neste domingo, vou falar das minhas “férias”, e na segunda-feira apresentarei nosso novo projeto (com valores) e uma dica de pilotagem. É muito assunto! Rs, rs, rs…

Peixe que meu amigo Dani preparou para nos receber!

::
Depois da Monster Cup e duas semanas intensivas de cursos de pilotagem no Brasil, tinha programado mais um curso na cidade de Petrópolis-RJ, e em seguida tirar alguns dias de férias.

Mas, nem sempre as coisas acontecem como planejamos. E, sinceramente, tenho percebido cada vez mais que é quase impossível seguir metas e planejamentos correndo no Brasil, já que os calendários mudam constantemente.

Recebi a convocação para correr no Paraguai e, sinceramente, fiquei bastante feliz. A única coisa ruim foi ter que cancelar o curso que tinha programado. Felizmente, os alunos entenderam e fui ao PY bastante empolgado!

Tinha bons motivos para isso. O primeiro é que poderia visitar Dani Florentin e sua família. Ele morou comigo durante um ano no Brasil e começamos ali uma grande amizade. Além disso, sentia que na minha última participação no Campeonato Paraguaio tinha deixado a desejar um pouco.

Antes do PY, passei em São Paulo, no Salão da Motocicleta, onde junto com a Mobil fizemos uma tarde de autógrafos que foi muito proveitosa. Eu gosto deste contato com os fãs de uma forma mais descontraída, onde não estou focado em correr. Foi divertido!

 


No dia seguinte fui para PY, direto para casa do Dani, onde fui recebido com um dos meu pratos favoritos: peixe na brasa! Era sexta-feira e aproveitamos para bater um papo. A casa dele ficou cheia! Vieram vários paraguaios que gostam e seguem o MX brasileiro. Muito legal!

Na manhã seguinte, partimos para pista, ao trabalho. Apesar de estar a quase duas semanas sem treinar, me senti bem nos treinos e, posso até estar enganado, mas o fato de ensinar me fez aprender também. De tanto falar com meus alunos sobre a técnica correta, acabei prestando mais atenção na minha própria pilotagem.. rs, rs, rs…

No Paraguai, o campeonato é como era no Brasil ano passado: uma bateria da MX1 e outra da MX2. Sabia que a tarefa mais difícil seria na MX2, já que não estou tão habituado com a moto, além de ter a concorrência do excelente piloto Carlos Eduardo Mendes Franco, que também corre pelo meu principal patrocinador, a Pro Tork.

Mas consegui vencer as duas categorias (aproveito também para deixar os parabéns ao Carlos Eduardo, que foi campeão nas duas). Na 250, larguei em terceiro, imprimi um ritmo forte e já no fim da segunda volta consegui a ultrapassagem! Daí andei leve, me divertindo, como sempre faço de 250, pois sinto que tenho o domínio total da motocicleta!

Na MX1, estava bem mais tranquilo, pois trabalhei o ano inteiro nessa classe e confiava bastante na minha moto e na maneira em que venho pilotando. Larguei mais atrás e fui paciente no início, já que os organizadores molharam MUITO a pista. No fim, consegui mais uma vitória. Quem chegou em segundo foi o argentino Jose Felipe.

Feliz com o resultado, voltei para casa e finalmente consegui tirar alguns dias de ferias!

Yamaha