“Sou pago para estar no pódio todo fim de semana. E não tem sido assim”, desabafa Justin Barcia

Yamaha
barcia_cudby
Barcia vive um momento frustrante na carreira – Fotógrafo: Simon Cudby

 

A temporada 2015 de Justin Barcia estava de mal à pior até que ele melhorou repentinamente na metade do AMA Motocross. O americano venceu em Budds Creek, depois em RedBud e quase levou outra vitória em Washougal – fechando o campeonato em terceiro lugar. No Motocross das Nações, foi o primeiro americano a vencer desde 2011. Mas, em seguida, uma lesão acabou com a temporada 2016, antes mesmo da abertura do AMA Supercross.

E quando voltou às pistas, a adaptação foi lenta.

Barcia vive uma luta contínua, à espera de que as coisas melhorem e se transformem, como aconteceu na temporada passada. Até então, o piloto não conquistou nenhum pódio neste ano, mas chegou perto na sexta etapa do AMA Motocross, em RedBud. Barcia até tentou alcançar Broc Tickle – para garantir o terceiro lugar – mas não conseguiu.

Em conversa com o site norte-americano Racer X, o piloto da Yamaha chegou a comentar que um quarto lugar não significa nada. Para um atleta experiente, e com todo o salário que recebe, realmente não deve significar.

Na quinta etapa, Barcia parecia um pouco mais agressivo na pilotagem, o que lhe custou uma queda com o companheiro de equipe, Phil Nicoletti, quando tentou forçar uma ultrapassagem – levando os dois ao chão. Mais tarde, o piloto teve problemas com o motor da moto.

– A moto estava um pouco melhor só na sexta etapa. Nós trabalhamos um pouco e estamos lutando com algumas coisas. Mas definitivamente estava melhor. Sinto que estou andando bem. A etapa foi boa, mas ao mesmo tempo frustrante, porque estava acelerando para chegar em Tickle e simplesmente não conseguia. Eli Tomac e Ken Roczen estão andando muito bem também. Há vários pilotos ausentes agora, mas os que continuaram são muito fortes. Estou dando o meu melhor e ainda assim é difícil! As pessoas podem comentar que os bons estão de fora, mas existem ótimos pilotos dentro da pista também – comentou o americano.


Para Barcia, correr só faz sentido se ele vencer. Então, ele continua tentando…

– Sei que é frustrante para todos, tanto para a equipe quanto para mim. Eles me pagam muito e estou aqui para ganhar e nós não estamos ganhando. Eu me sinto mal. Sinto que estou andando bem e não acho que estamos tão longe da vitória quanto parece. Honestamente, seria muito melhor se eu fosse pago de acordo com os resultados que tenho. As pessoas podem falar o que quiserem, mas eu sou pago para estar no pódio todo fim de semana. E não tem sido assim. Tenho vivido uma luta por mais de um ano com várias coisas ruins acontecendo. A vida é assim. Estamos fazendo o nosso melhor. E tudo vai melhorar – finalizou o piloto.

Yamaha