Sertões 2021 começa com disputas acirradas

Adrien Metge – Foto: Gustavo Epifânio

O Sertões 2021, em sua 29ª edição, começou pra valer neste sábado (14), com os pilotos percorrendo mais de 400 quilômetros, sendo 235 deles de especial cronometrada. Largaram da Praia da Pipa, no Rio Grande do Norte, para chegar em Patos, na Paraíba. Os pilotos da Yamaha IMS Rally Team tiveram que encarar o verdadeiro sertão, em região montanhosa e baixas médias de velocidade, com partes bem travadas em trechos de piçarras, pedras e terreno seco, com poeira.

Adrien Metge foi o mais rápido, mesmo com um problema no GPS na parte final, que o fez voltar para passar por um waypoint e perder bastante tempo. Acelerou forte na parte final e – depois de liderar todo o dia, mas passar pela parcial 4 na 9ª posição – se recuperou e conseguiu o melhor tempo. Porém, com uma penalização divulgada no início da noite, caiu para a 13ª colocação.

Primeiro a largar e abrindo a prova, o mineiro Túlio Malta andou de forma bem consistente e fez o terceiro melhor tempo, o mais rápido da sua categoria, a Moto2, com mais de 5 minutos de vantagem para o segundo colocado. Mas também sofreu uma penalização em zona de radar e caiu para a oitava colocação e terceira posição na categoria Moto2.

Atual campeão da prova, Ricardo Martins esteve sempre entre os primeiros do dia, mas optou por não arriscar na parte final, de muitas pedras, pra não comprometer o equipamento. Com a atualização nos resultados, finalizou na terceira colocação.

Vencedor do prólogo na sua categoria, o catarinense Gabriel Bruning também foi o mais rápido da Moto3, sendo a quarta melhor moto na classificação geral. Luciano Gomes repetiu o feito e também venceu sua categoria, a Over (MOV).

O maior rally das Américas continua neste domingo entre as cidades de Patos (PB) e Araripina (PE). A segunda etapa do Sertões leva o nome do “santo” brasileiro Padre Cícero, porque passa bem perto de Juazeiro do Norte, a cidade em que o lendário padre Padim Ciço morreu e se transformou em uma estátua de 30 metros, mesmo tamanho do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Serão mais de 500 quilômetros de percurso, sendo 249 de especial cronometrada.

 

Classificação Motos

Geral
1º) Gregório Caselani – 04h33m27s
2º) Jean Azevedo – 04h35m32s
3º) Ricardo Martins – Yamaha IMS Rally Team – WR450F – 04h35m32s
4º) Gabriel Bruning – bLU cRU IMS Rally Team – WR450F – 04h38m58s
5º) Bissinho Zavatti – 04h40m23s
7º) Túlio Malta – Yamaha IMS Rally Team – WR450F – 04h43m13s
10º) Adrien Metge – Yamaha IMS Rally Team – WR450F – 04h48m42s
13º) Luciano Gomes – bLU cRU IMS Rally Team – WR450F – 04h50m30s

 

Moto1
1º) Gregório Caselani – 04h33m27s
2º) Jean Azevedo – 04h35m32s
3º) Ricardo Martins – Yamaha IMS Rally Team – WR450F – 04h35m32s
4º) Adrien Metge – Yamaha IMS Rally Team – WR450F – 04h48m42s
5º) Marco Antônio Pereira – 04h48m57s

Moto2
1º) Júlio “Bissinho” Zavatti – 04h40m23s
2º) Vitor Siqueira  – 04h41m18s
3º) Túlio Malta – Yamaha IMS Rally Team – WR450F – 04h43m13s
4º) Guilherme Bissoto – YZ450FX – 04h49m46s
5º) Rafael Espíndola – 04h55m07s

Moto3
1º) Gabriel Bruning – bLU cRU IMS Rally Team – WR450F – 04h38m58s
2º) Ryan de Medeiros – 04h51m16s
3º) João Paulo Fornazari – 04h53m06s

MOV (Over)
1º) Luciano Gomes – bLU cRU IMS Rally Team – WR450F – 04h50m30s
2º) Moara Sacilotti – YZ450FX – 05h05m12s
3º) Rogério Kistenmacker – 05h07m06s

*Resultados extra-oficiais


RICARDO MARTINS
Moto 1 – Yamaha WR450F

“Especial muito bacana! A primeira especial já mostrou o que vai ser o Sertões. Especial dura, bem travada, com bastante pedra. Eu andei bem até o finalzinho da prova, depois na parte final eu poupei um pouco porque era um lugar com muitas pedras. Mas foi bom, os cinco primeiros estão bem próximos. O rally tem mais oito dias pela frente, só está começando”.

 


ADRIEN METGE
Moto 1 – Yamaha WR450F

“Especial muito bonita, mas bem quente! Não foi muito rápida, com um pouco de tudo, pedras, um pouco de piso mais rápido, mas no geral de baixa pra média velocidade, então estava legal de andar, eu gostei. Tive alguns problemas com o GPS no final, então tive que voltar pra buscar um waypoint que o GPS não bloqueou na primeira passagem. Mas enfim, no final deu certo. A parte engraçada do dia é que às vezes cortamos um pedacinho da curva e deixamos a moto abrir no final, fazemos uma curva ‘mais larga’, e no final de uma curva dessas tinha uns cactos na saída, do lado de fora, e um estava meio deitado pra dentro da pista, eu vi os cactos, mas bati com a bota e imaginei que não ia dar nada. Mas entraram dois espinhos dentro da minha bota! Não furou, mas incomodou muito, ficou roçando meu pé e tive que andar uns 30 kms até a zona de radar, quando eu consegui quebrar os espinhos. Doeu e incomodou, meu dedão está todo ralado!”


TÚLIO MALTA
Moto 2 – Yamaha WR450F

“Hoje o Sertões já começou a mostrar a cara! Eu abri a prova, então tive que acelerar de forma bem contenciosa, mas deu pra imprimir um bom ritmo. Me senti bem confiante. Vamos arrumar tudo e deixar 100% porque amanhã é um novo dia”.