Romain Febvre é campeão mundial de motocross 2015 com duas rodadas de antecedência

febvre_mxgp
Febvre ganhou 12 das 32 baterias disputadas nesta temporada

 

Romain Febvre, piloto francês da Yamaha, se consagrou campeão mundial de motocross 2015 neste domingo, 30, após a realização da 16ª das 18 etapas do campeonato. O atleta de 23 anos tem 102 pontos de vantagem sobre o vice-líder, Gautier Paulin (Honda), e como restam somente 100 pontos em jogo (GP do México e GP dos Estados Unidos), ele já pôde comemorar ao fim das corridas no autódromo de Assen, na Holanda.

Febvre campeão é uma surpresa por diversos fatores. Este é seu ano de estreia na categoria MXGP e também sua primeira temporada na equipe de fábrica da Yamaha. Além disso, Febvre nem figurava nas listas de pilotos favoritos antes de começar o campeonato. Nomes como Antonio Cairoli, Ryan Villopoto, Max Nagl, Clement Desalle, Gautier Paulin e Jeremy Van Horebeek eram citados como postulantes ao título, não Febvre.

Muitos se lesionaram, é verdade, mas o jovem francês mostrou qualidade para vencer em todas as situações e tipos de terreno e pista. Venceu 12 baterias em 32 disputadas, enquanto o vice-líder do campeonato, Paulin, ganhou apenas três, e Cairoli e Nagl – que aparecem em segundo neste quesito – ganharam cinco provas cada um. Febvre também ganhou seis etapas e esteve em 11 pódios das 16 etapas já disputadas.

Sua ascensão na temporada demorou um pouco para acontecer. Seu primeiro pódio foi na sexta etapa, na Espanha, e sua primeira vitória em bateria chegou na sétima rodada, na Inglaterra. Desde então, mostrou audácia, regularidade, capacidade técnica, física e mental, e assumiu a liderança do campeonato na décima etapa, na Alemanha. Neste domingo, confirmou e devolveu o título mundial para a Yamaha, que não conquistava esse troféu desde 2009, quando Tony Cairoli ainda corria de azul e conquistava, coincidentemente, seu primeiro título na categoria principal (com a mesma idade de Febvre).

 

Tributo ao campeão

 

 

Shaun Simpson vence etapa de Assen

115210_Simpson_MXGP_2015_R16_RX_6133_1024
Simpson comemora com Claudio De Carli, chefe da Red Bull KTM – Crédito: Ray Archer

 

A pista montada sobre o autódromo de Assen, na Holanda, lembrou bastante o circuito de Lommel, na Bélgica. Formado de 1.520 metros, com poucos saltos e muita areia fofa, o traçado se modificava a cada volta e exigia técnica e preparo físico dos atletas. Coincidência ou não, o vencedor de Lommel e de Assen foi o mesmo: o britânico Shaun Simpson.

Correndo com moto da equipe de fábrica da Red Bull KTM, Simpson ganhou a primeira bateria e ficou em terceiro na corrida final na Holanda. Romain Febvre ganhou a segunda bateria após conquistar o quinto lugar na primeira corrida do dia. Na soma dos resultados, o britânico ficou com o lugar mais alto do pódio (fez 45 pontos) e Febvre ficou em segundo na etapa (41 pontos). O holandês Glenn Coldenhoff, da Rockstar Energy Suzuki, completou o pódio com 4-3 nas baterias (40 pontos na etapa).

 

MX2 segue embolada após vitória de Gajser

Se a MXGP já está definida, a disputa pelo título da MX2 deve se estender até a última rodada. Neste domingo, o eslovendo Tim Gajser foi o mais regular entre os postulantes à vitória e ganhou a etapa e abriu 13 pontos de vantagem sobre Pauls Jonass, o vice-líder, que teve um resultado ruim na segunda bateria. Max Anstie, outro que está na briga, ganhou uma bateria, mas foi mal na outra.

Veja os resultados e a classificação abaixo.

 

:: Melhores momentos

 

 

Resultados da 16ª etapa

MXGP – soma das baterias
mxgp_assen_16etapa2015

 

MX2 – soma das baterias
mx2_assen_16etapa_mundialmx

 

 

Classificação do campeonato

MXGP
mxgp_classificacao_16etapas

 

MX2
mx2_classificacao_16etapas