Romagnolli Promoções e Eventos oficializa fim da Superliga Brasil de Motocross


À direita, Carlos Romagnolli durante a festa em comemoração aos 25 anos de sua empresa – Foto: Vipcomm

Carlos Romagnolli, presidente da empresa que organiza a Superliga Brasil de Motocross – Romagnolli Promoções e Eventos – emitiu comunicado nesta segunda-feira, 8, oficializando que o campeonato não terá edição em 2013.

Segundo Romagnolli, “a não realização da Superliga marca um retrocesso no esporte, por todos os benefícios que a competição proporcionava para pilotos, equipes, imprensa, patrocinadores e fãs. Coincidência ou não, a decisão de não mais fazer o campeonato vem no momento em que a empresa é reconhecida como a melhor do mundo na organização do principal campeonato de Motocross do mundo, elevando o patamar do esporte no Brasil”.

Com três edições realizadas nos anos de 2010, 2011 e 2012, a Superliga vinha se consolidando como um dos campeonatos mais importantes do motocross brasileiro.

“A Superliga nasceu de uma parceria da Romagnolli com a Honda, quando o Motocross no Brasil passava por um momento delicado e de muitas incertezas dentro da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo), com riscos de não acontecer o Campeonato Brasileiro. Nas três edições em que permaneceu no cenário teve um crescimento muito grande, tendo como principal objetivo a divulgação da modalidade no país, o que acredito que conquistamos com êxito, através das transmissões ao vivo na Rede TV! e na internet, e através das parcerias com jornais, rádios, revistas e sites, que fizeram da Superliga o campeonato de Motocross com maior exposição do Brasil. No último ano, notamos que as equipes estavam com dificuldades para acompanhar todas as competições de Motocross e começou uma grande campanha pela unificação dos campeonatos Superliga e Brasileiro. Como a união não se concretizou, entendemos não ter sentido manter dois campeonatos nacionais, dividindo esforços dos envolvidos\”, explica a nota, que prossegue:

\”É lamentável que os interesses dos dirigentes das principais entidades do Motocross no país, que deveriam ter como principal objetivo trabalhar pelo crescimento do esporte, ainda insistam em caminhar na contramão dos maiores campeonatos do mundo. Mas temos a certeza de fazemos nossa parte\”.

O BRMX conversou com os pilotos Antonio Jorge Balbi Junior e Jean Ramos, e com o chefe de equipe Gui Lima, todos influenciados diretamente pela decisão. Os três lamentaram o fim da Superliga.

– Acho que o motocross brasileiro perde com o fim da Superliga. Sempre defendi que os dois campeonatos (Brasileiro e Superliga) fossem unificados, mas que isso acontecesse para termos uma melhor organização e um calendário com mais etapas. Não adiantaria unificar e continuar com sete ou oito rodadas – diz Balbi Junior, campeão da Superliga e do Brasileiro em 2011.

– É uma grande perda para o motocross brasileiro. A gente vinha dois anos com mais de dez etapas nacionais, com nível forte. Seis da Superliga e mais oito do Brasileiro, 28 baterias, ritmo forte. Isso fez todo mundo evoluir. E a Superliga era o campeonato com mais mídia, passava ao vivo na RedeTV. Fico triste, e espero que a CBM faça um bom trabalho para suprir esse vazio que vai ficar – pede Jean Ramos, vice-campeão da MX2 em 2011.

– Sempre fui contra a união dos campeonatos para que tivéssemos um número grande de etapas. Com os dois, eram 14 corridas boas no ano, e agora vão ser oito. É uma grande perda. A gente precisa correr, precisa trabalhar. Sei que alguns pilotos não gostam de viajar todo fim de semana, mas esse é o único jeito de ter ritmo – justifica Gui Lima, pai de Dudu Lima, campeão da MX2 em 2012.

Assim, a Romagnolli Promoções e Eventos promete foco no Arena Cross, que ganha uma etapa a mais em 2013 e começa ainda no primeiro semestre, além das etapas do Mundial de Motocross, nas categorias MX1/MX2 e MX3. O Arena terá transmissão ao vivo em canal aberto, pela RedeTV!, e em canal por
assinatura, o SporTV!. O site Brazilian Motorsport TV – www.brmtv.com.br
–  também estará nas competições e exibirá ao vivo todas as provas.

Na quarta-feira, 3, em festa de comemoração por seus 25 anos de atividade, a empresa anunciou as competições e calendários para a próxima temporada. Entre as novidades está a criação do Kart dos Artistas, campeonato com cinco etapas que terá presença de atores e atrizes do teatro e da televisão, como Marcelo Novaes, Marcos Pasquim, Marcelo Serrado, Luigi Baricelli, Fernanda Pontes, Emanuelle Araújo e Regiane Cesnique, entre outros. Felipe Massa também deve fazer participações especiais.

:: Calendário

Mundial de Motocross MX1 e MX2 – GP Brasil

18 e 19 de junho – Beto Carrero World, Penha (SC)

Mundial de Motocross MX3 – GP Brasil
3 e 4 de agosto – Brasília (DF)

Arena Cross
1ª etapa: 6 e 7 de abril – Indaiatuba (SP)
2ª etapa: 8 e 9 de junho – Curitiba (PR)
3ª etapa: 29 e 30 de junho – Brasília (DF)
4ª etapa: 24 e 25 de agosto – Goiânia (GO)
5ª etapa: 21 e 22 de novembro – Balneário Camboriú (SC)
6ª etapa: 26 e 27 outubro: – Recife (PE)