Romagnolli festeja novo formato para GP Brasil do Mundial de Motocross

Yamaha

Ansioso para ver essa moto no Brasil outra vez? – Foto: Arquvio BRMX

O novo formato para os GPs do Mundial de Motocross no Brasil, Catar, México e Tailândia em 2013, agradou a Romagnolli Promoções e Eventos, organizadora do GP Brasil.

Carlos Romagnolli, presidente da empresa, comentou sobre o
que espera da novidade, que consiste em três baterias importantes no domingo, sendo uma de cada classe (MX1 e MX2) e uma \”Superfinal\”, com as categorias misturadas, conforme anunciado pela Youthstream na segunda quinzena de janeiro.

Em conversa com Giuseppe Loungo, presidente da Youthstream, antes do anúncio oficial, Romagnolli se mostrou satisfeito com as condições que a etapa brasileira terá e viu o novo formato como um bônus para o público brasileiro.

– Fiquei feliz com o formato do campeonato para o Brasil. Desde o anúncio das mudanças no regulamento no ano passado fomos os primeiros e encaminhar nosso pedido para que o campeonato seguisse como foi em 2012, com quatro baterias. A Youthstream além de atender a todos, ainda criou um formato que é o melhor que já vi nos últimos anos. Ao meu ver, o campeonato Mundial de Motocross ganha ainda mais força – avaliou o promotor.

Desta forma, a etapa brasileira do campeonato gera ainda mais expectativas para os amantes do motocross. Considerada a melhor na temporada 2012, a promotora brasileira promete repetir e surpreender ainda mais este ano e, no mínimo, o público ganha em ver as elites das categorias MX1 e MX2 correndo juntas.

O Mundial de Motocross abre a temporada 2013 dia 2 de março e o Catar é o primeiro a ter a experimentar o novo formato. O Brasil recebe a sétima etapa no Beto Carrero World, em Santa Catarina, nos dias 18 e 19 de maio.

O ingressos para a competição já estão disponíveis para compra no site Blue Ticket – clique aqui. Informações sobre os setores podem ser encontradas no site oficial www.mundialdemxbrasil.com.br.

A FIM (Federação Internacional de Motociclismo) e Yothstream acreditam que com este novo formato, mais equipes conseguirão participar das etapas fora da Europa, além de tornar o campeonato mais atraente para o público e a TV.

No formato, as categorias MX1 e MX2 disputam separadamente os treinos pré-classificatórias e corridas classificatórias no sábado. No domingo, cada categoria terá seu warm-up e uma bateria de corrida. Por fim, correm juntas para uma \”repescagem\” e mais uma final que está sendo chamada de \”Superfinal\”.

Na \”Superfinal\”, apenas 40 motos participam, com 20 pilotos de cada categoria. Estes serão os 10 melhores da MX1 e da MX2 no campeonato, os oito pilotos mais bem colocados na primeira bateria em ambas as categorias (sem contar o TOP 10 na classificação do campeonato, pois já estão selecionados) e os dois melhores de cada categoria que correram na “repescagem”. Somente os 20 primeiros colocados de cada categoria pontuam no campeonato.

A programação do fim de semana será (mais ou menos) assim:

Sábado
Treino livre MX2
Treino livre MX1

Treino pré-classificatório MX2
Treino pré-classificatório MX1

Corrida classificatória MX2 (20min + 2 voltas)
Corrida classificatória MX1 (20min + 2 voltas)

Domingo
Warm-up (aquecimento) MX2
Warm-up (aquecimento) MX1

Corrida MX2 (35min + 2 voltas)
Corrida MX1 (35min + 2 voltas)

Repescagem MX1/MX2 juntas (20min + 2 voltas)

SUPERFINAL MX1/MX2 juntas (35min + 2 voltas)


* Com informações da assessoria de imprensa Romagnolli Promoções e Eventos

Yamaha