Rodney Smith sobre Lommel: ‘Parecia que eu nem sabia andar de moto’

rodneysmith
Preparador da equipe Honda no Brasil, Rodney Smith já foi um dos melhores pilotos do mundo – Foto: Elton Souza / BRMX

 

O norte-americano Rodney Smith, campeão brasileiro de motocross em 1986 e atual preparador da equipe Honda Mobil, conversou com o BRMX sobre a pista de Lommel, que vai receber o Motocross das Nações neste ano, na Bélgica.

Rodney conta que correu lá nas temporadas de 1988 e 1989 do Mundial de Motocross, época em que ele figurava entre os melhores do mundo, porém teve dificuldade até para classificar naquela pista.

Um dos personagens mais importantes do motocross brasileiro não teve vergonha em dizer que, naquele traçado arenoso, era apenas mais um, que parecia até “não saber andar de moto”.

– Minha equipe (Suzuki) me mandou um mês antes da corrida para treinar. Eu andava todos os dias mas, sabe, aquela pista é meio estranha. Eu era um dos três primeiros do Mundial, mas quando eu andava em Lommel, parecia que eu nem sabia andar de moto – comenta.

– Em compensação, aparecia uns pilotos que eu nunca tinha ouvido falar, que andavam muito forte lá. Na semana seguinte, nem classificavam no Mundial – diz.

Com um terreno muito fofo, a pista se transforma a cada volta, os saltos se deformam, e a exigência do preparo físico aumenta.

– Eu já vi pistas de areia aqui no Brasil, mas não tem muito buraco, até porque não tem muitos pilotos aqui. Lá vai ter muitos pilotos e muitos buracos. Nas curvas, vão se formar buracos de um metro. Não tem como sentar. É pilotar em pé toda volta. Vai ser uma experiência muito diferente para os pilotos brasileiros. Vai ser duro! – prevê, Rodney.

Até mesmo para o belga Stefan Everts, segundo Rodney, esta é uma das pistas mais difíceis de se pilotar.

– Eu estava acostumado ser um dos primeiros, e quando andei lá, fui oitavo, se não me engano. Na corrida classificatória, que eu geralmente ganhava, fiz vigésimo. Já falei com muitos pilotos sobre isso, até mesmo Stefan Everts acha uma das pistas mais difíceis do mundo – relata.

– Mas, se eu pudesse falar uma coisa para os brasileiros, diria que vai ser difícil para os outros também. Holanda, Bélgica, Finlândia vão andar bem porque têm muitas pistas de areia nestes países. Mas para o resto vai ser complicado. Até mesmo para os Estados Unidos vai ser difícil – completa.

Questionado se torceria para os EUA conquistarem seu 23º título, Rodney não exitou:

– Vou torcer para os Estados Unidos. Acho que eles têm chances. É um bom time. Se pegassem os três melhores da Europa e os três melhores da América, seria mais parelho. América é grande, e Itália, por exemplo, é muito pequena. É difícil para um país europeu ter três pilotos fortes como os Estados Unidos – finaliza.

A seleção brasileira, formada por Gabriel Gentil, Marçal Müller e Rafael Faria, embarca para a Bélgica uma semana antes do Motocross das Nações 2012, que acontece no fim de semana dos dias 29 e 30 de setembro. O BRMX viaja no mesmo dia para trazer todas as informações sobre o evento. Acompanhe!