Rinaldi alerta para lei que proíbe uso de pneus reformados em motocicletas

Segurança do motociclista pode ser comprometida devido a deformação na geometria e instabilidade da direção

 

O uso de pneus reformados em veículos de duas rodas é proibido pela legislação brasileira desde 2004, porém, ainda há quem arrisque a própria segurança e de seus passageiros.

Um estudo realizado pela Abraciclo aponta que 8% dos acidentes com motociclistas são causados por problemas de manutenção, sendo que o pior item de conservação observado foi o pneu (11%).

Andar de moto pode ser considerada uma atividade de risco, por isso, a Rinaldi alerta: é essencial que o usuário esteja com todos os equipamentos em ordem, especialmente os pneus, que são os únicos pontos de contato do veículo com o solo.

– Eles são responsáveis pela aderência nas acelerações e frenagens, todo o cuidado é pouco – explica o gerente de tecnologia e qualidade da marca, Silvio Grecco.

Silvio é claro quando fala do desenvolvimento de um pneu.

– Ele não é projetado para ter uma segunda vida. A carcaça passa por um grande desgaste e isso afeta a estrutura como um todo, não sendo possível reformá-la com qualquer garantia de qualidade, havendo risco de formação de bolhas, rugas e má adesão do material, podendo ocasionar um grave acidente – complementa.

A deterioração ainda interfere na geometria, o que acaba sendo agravado pela má condição das ruas e estradas.

Por sua vez, a geometria da suspensão da motocicleta é de extrema importância para a dirigibilidade.

Alguns ângulos são fundamentais para isto, principalmente quando a moto se inclina em uma curva.

Em casos de pneus reformados é muito comum que o motociclista escorregue na pista.

Investir em segurança deve ser primordial e não custa tanto no bolso se analisado bem o mercado.

Há várias opções de pneus com ótima relação custo/benefício, como é o caso dos oferecidos pela fabricante gaúcha Rinaldi.

A marca conta com mais de 100 medidas, todos com cinco anos de garantia, muito mais que os apenas três meses exigidos pelo Inmetro.

 

Prática é ilegal no mercado

Como dito no início desta matéria, a recapagem de pneus para motocicletas é considerada uma prática ilegal do mercado.

A Resolução 158/2004 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e a Portaria 554/2015 do Inmetro proíbem, respectivamente, o uso e o serviço de reforma de pneus em todo o território nacional.

A fiscalização é feita pelo Inmetro, Instituto Estadual de Pesos e Medidas (IPEM), Polícia Militar, Polícia Rodoviária e Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Rinaldi oferece pneus com boa relação custo/benefício