Rafael Faria estreia em competições internacionais com participação no Motocross das Nações 2012


Rafael Faria, na MX2, será o único brasileiro a manter a 250cc para o Motocross das Nações – Foto: Mau Haas / BRMX

É a primeira vez que Rafael Faria, 23 anos, vai ao exterior por causa do motocross. Representante brasileiro na MX2 do Motocross das Nações 2012, ele nem passaporte tinha até ser chamado por Manuel Carlos Hermano, o Cacau, para integrar a seleção brasileira.

A convocação pegou Rafael de surpresa. Nesta temporada, ele competiu apenas em duas etapas do Brasileiro de Motocross, priorizando a Superliga Brasil de Motocross, na qual terminou em quarto na classificação final sem vencer uma bateria sequer. Seu melhor desempenho foi sempre o segundo lugar, alcançado em quatro das 12 baterias.

Nesta segunda-feira, 17, ele atendeu ao telefonema do BRMX para falar sobre a experiência que o espera no fim de semana dos dias 29 e 30, em Lommel, Bélgica.

A seleção brasileira de motocross embarca no dia 24 de setembro. O
BRMX viaja para a Bélgica na mesma data. Acompanhe a cobertura!

BRMX: Você nem fez o Brasileiro, mas foi chamado para o MXoN. Esperava esse convite?
Rafael Faria:
Não esperava porque todo mundo pensava que o Brasil nem iria mais. Dois dias antes do anúncio oficial, recebi uma ligação do Cacau perguntando se eu queria ir para o Motocross das Nações. Disse pra ele: “isso é a mesma coisa que pedir para um cachorro se ele quer linguiça”. Defender uma Nação é um sonho de qualquer piloto. Nem analisei muito, aceitei na hora. Acho que estou bem preparado, terminei bem a Superliga e estou bem no Arena Cross (venceu a primeira etapa).

BRMX: Não deu nem um frio na barriga?
Rafael Faria:
Deu. Sempre dá. E eu estava meio ansioso porque não tinha passaporte. Fui fazer assim que fui chamado para o Nações, e ele já chegou. Agora estou mais tranquilo, apesar de que a pista parece “casca grossa”.

BRMX: Você conhece a pista?
Rafael Faria:
Vi alguns vídeos de Mundial. Só vi que a areia é bem escura e tem muitos buracos e cavas. Mas eu adoro cavas, é onde mais gosto de andar. Estou bem confiante em fazer uma boa participação.

BRMX: E esta será a sua primeira vez…
Rafael Faria:
Nunca saí do Brasil para correr motocross. Nem para assistir. Fui no MX das Nações do Brasil, em 99, mas nem me lembro de nada. Tinha dez anos. Imagino que seja algo muito diferente, ainda mais na Bélgica. Vai ser como uma Copa do Mundo, eu imagino.

BRMX: Você é o único que se mantém na 250 para o Nações. Foi exigência sua?
Rafael Faria:
Cacau me perguntou o que eu queria. Falei: “faz uns três anos que não ando de 450, estou liderando um campeonato de 250 e não gostaria de perder o foco do Arena, que é o mais importante pra mim nesse ano\”. Ele aceitou.

BRMX: O que você espera da participação do Brasil?
Rafael Faria:
Tem que pensar positivo. Somos novos. Eu vou tentar ir sem pensar no resultado e dar o meu melhor. É assim que dá certo. Me dou bem com o Gabriel, conheço um pouco o Marçal e acho que vamos nos dar bem.

BRMX: Você já falou com eles, já troucou informações?
Rafael Faria:
Conversei com o Gabriel pelo Facebook, e ele parece bem empolgado. Com o Marçal ainda não falei.


:: Perfil

Rafael Faria
Idade: 23 anos
Cidade natal: Rio Branco do Sul, Paraná
Principais títulos: Campeão brasileiro de Velocross nas categorias VX1 e VX2 e tetra-campeão paranaense de motocross
Categoria no MXoN 2012: MX2
Número da moto no MXoN: #80

Leia também
>>> Marçal Müller fala das dificuldades que vai enfrentar no MXoN
>>> Gabriel Gentil diz estar pronto para representar o Brasil no MXoN