Pepê Bueno analisa seus resultados no Monster Energy Mammoth MX 2013

Yamaha

O brasileiro Pepê Bueno participou do Monster Energy Mammoth Motocross 2013, que aconteceu entre os 21 e 29 de junho, no estado da Califórnia, Estados Unidos.

Entre mais de 70 competidores, Pepê chegou às finais e conquistou duas vezes o 15º lugar, tanto na categoria 250B quanto na Schoolboy. O piloto considera bons os resultados e enaltece a experiência adquirida ao participar de um dos maiores eventos de amadores do mundo.

– Estou satisfeito. Vi que tenho condições de andar entre os oito melhores dessas categorias. Não fosse alguns tombos que levei, teria conseguido algo melhor. Mas valeu pela experiência. Valeu por estar entre os melhores pilotos dos Estados Unidos nestas categorias. Estamos no caminho certo – resume o atleta.

A prova da Schoolboy aconteceu na sexta-feira, 28. O piso da largada era de concreto, algo que o paranaense não está acostumado. Por isso, Pepê largou mal e precisou fazer uma prova de recuperação. Com pouco tempo, já que era uma corrida de apenas cinco voltas, conseguiu se recuperar a ponto de chegar em 15º, ultrapassando cerca de dez pilotos.

A corrida da 250B foi no sábado. Pepê se enroscou (não chegou a cair) com outro piloto na largada e o manete da moto do adversário acabou fazendo um furo no cotovelo do brasileiro. Com o braço sangrando e sem sentir a mão por alguns segundos, o brasileiro caiu para a 33ª posição. Conseguiu se recuperar e chegou ao 12º posto. Então caiu outra vez, demorou para se levantar, e teve que retomar sua recuperação. Acabou a bateria em 15º depois de fazer cinco ultrapassagens na última volta. Ambas as provas foram vencidas pelo norte-americano Jordan Smith, da equipe GEICO Honda, uma das maiores formadoras de pilotos nos EUA.

Vale ressaltar que antes de participar destas finais, Pepê precisou passar por baterias classificatórias. Eram 40 pilotos em cada corrida, e só os 15 melhores se classificavam. O piloto brasileiro conquistou o sexto lugar em cada uma delas.

 -Foi a melhor e mais difícil pista que andei na minha vida. Nunca vi tanto buraco. Pista toda destruída, difícil mesmo de andar. Eles nunca reformavam ela. Só o fato de correr em uma pista assim já foi válido. No Brasil eu nunca tinha enfrentado esse nível técnico – destaca.

Nesta quinta-feira, 4, Pepê volta ao Brasil para correr a quarta etapa do Brasileiro de Motocross na categoria MX2. A corrida será em Aracaju, Sergipe, no dia 14 de julho.

Depois, o atleta retorna aos EUA para o grande objetivo da temporada, que é a participação no Loretta Lynn’s, maior competição de amadores do mundo que acontece anualmente nos Estados Unidos. A edição deste ano será entre os dias 29 de julho e 3 de agosto.

Yamaha