Mundial de MX 2019: prévia GP de Portugal

Águeda recebe o GP de Portugal do Mundial de Motocross 2019 neste fim de semana – Foto: mxgp.com

 

Passado o GP da Lombardia, em Mantova na Itália, o Mundial de Motocross 2019 prossegue neste fim de semana, com mais uma rodada do campeonato. É o GP de Portugal, que será disputado em Águeda pelo terceiro ano consecutivo.

A expectativa é boa, já que nos dois últimos anos os fãs portugueses presenciaram boas disputas para torcer pelos seus pilotos favoritos. Águeda está situada entre as duas maiores cidades de Portugal, Lisboa (capital) e Porto.

 

MXGP

A KTM dominou o GP da Lombardia em Mantova, na semana passada, por isso chega com tudo para o GP de Portugal neste fim de semana. Líder da categoria MXGP, Antonio Cairoli, da Red Bull KTM, fez uma corrida quase impecável em Mantova, vencendo as duas baterias e somando mais 50 pontos, enquanto seu principal adversário, Tim Gajser, da HRC Honda, lutou com um erro após o outro.

Pesa a favor de Cairoli também o bom retrospecto no GP português. São cinco vitórias do italiano, a mais recente delas em 2017. No total, foram 11 pódios em 12 corridas, seu pior resultado foi um 5º lugar em 2004. Já Gajser só correu aqui nas últimas duas temporadas. Foi 6º em 2017 e 3º no ano passado.

 

Antonio Cairoli – Foto: mxgp.com

 

Ex-campeão mundial da MX2, Pauls Jonass, da Rockstar Energy Husqvarna está fazendo sua estreia na categoria MXGP em 2019. Em Mantova, ele subiu no pódio pela primeira vez nesta temporada, naquela que foi apenas sua quinta corrida na categoria, algo surpreendente para quem teve uma pré-temporada difícil por causa de uma lesão. O letão foi aos poucos se adaptando à moto de 450 cilindradas e recuperando sua forma física, à medida que a temporada avança. Suas duas últimas corridas em Águeda foram ainda no tempo da MX2. Ele foi respectivamente 2º e 5º.

Em Mantova, Gautier Paulin, da Monster Energy Wilvo Yamaha MXGP, subiu ao pódio pela terceira vez em 2019, mas pareceu sentir que era capaz de muito mais. Paulin parece estar melhorando continuamente à medida que ganha confiança e sente-se mais confortável em sua nova moto. Com nova confiança na moto e em si próprio, o francês estará em busca de outro bom resultado em Águeda, antes do GP da França, que acontece na semana que vem. Apesar de ter terminado em 12º nos dois últimos GPs portugueses, ele venceu em Águeda na temporada 2013.

Companheiro de Jonass na Rockstar Energy Husqvarna, Arminas Jasikonis atualmente ocupa o quarto lugar na classificação da MXGP, como resultado de suas consistentes performances até agora nesta temporada. Jasikonis teve dificuldades ao longo das últimas rodadas, mas se ele conseguir uma boa largada em Águeda, poderemos vê-lo no pódio. Apesar do lituano ter ido mal no GP de Portugal do ano passado, ele subiu ao pódio em Águeda em 2017 (melhor resultado de sua carreira até então) e venceu a corrida classificatória do sábado nesta mesma ocasião.

Outros bons pilotos para ficar de olho são os garotos da Standing Construct KTM, Max Anstie, Ivo Monticelli e Glenn Coldenhoff, além dos belgas; Clemente Desalle, da Monster Energy Kawasaki, e Jeremy Van Horebeek, da Honda SR Motoblouz.

Anstie e Monticelli tiveram azar em Mantova, mesmo pilotando forte, o que pode fazer chega-los com sangue nos olhos em Águeda, enquanto Coldenhoff marcou seu primeiro top 5 desde o ano passado. Quanto aos belgas, tanto Desalle quanto Van Horebeek são pontos de interrogação, já que ambos se recuperam de cirurgias feitas durante o intervalo que teve após o GP de Trentino.

Notável também é o retorno de Romain Febvre, da Monster Energy Yamaha neste fim de semana em Águeda, depois de ter sofrido uma fratura no tornozelo na rodada de abertura do campeonato, o GP da Argentina.

 

Romain Febvre – Foto: mxgp.com

 

MX2

Líder da MX2, Thomas Kjer Olsen, da Rockstar Energy Husqvarna, perdeu um punhado de pontos na Itália, enquanto Jorge Prado, da Red Bull KTM, continuou com seu recorde dominante e invicto. Prado chega em Portugal com 7 pontos de desvantagem para Olsen, mas ele venceu as duas baterias em Águeda no ano passado, ou seja, tanto a história quanto o momento estão do seu lado para recuperar o number plate vermelho neste domingo.

 

Disputa da MX2 no momento é entre as equipes Red Bull KTM e Rockstar Energy Husqvarna – Foto: mxgp.com

 

Embora Olsen tenha perdido pontos em Mantova, sua situação poderia ter sido muito pior. E o retrospecto em Portugal é bom. Nos dois últimos GPs ele foi 4º colocado em 2017 e segundo no ano passado.

 

Thomas Kjer Olsen – Foto: mxgp.com

 

Enquanto Olsen conseguiu salvar seu fim de semana, Henry Jacobi, da F & H Racing Kawasaki, foi mal em Mantova. O alemão andou excepcionalmente bem, mas a sorte estava longe dele, já que problemas mecânicos o fizeram abandonar a corrida.

Outro piloto que pretende se recuperar em Águeda é Tom Vialle, da Red Bull KTM, que sofreu uma queda na classificatória de sábado em Mantova, antes de enfrentar outra infelicidade na primeira bateria. Será o primeiro GP de Portugal na carreira do jovem francês da MX2.

Pilotos que querem manter um bom ritmo neste fim de semana são Davy Pootjes, do Team DIGA Procross, que conquistou seu primeiro pódio na semana passada, depois de quatro anos na categoria, e o novato Mitch Evans, da Honda 114 Motorsports, que terminou em 4º em Mantova.

Outro piloto para ficar de olho é Jed Beaton, da Rockstar Energy Husqvarna. Beaton andou forte em Mantova, fazendo algumas das voltas mais rápidas da MX2, mas um acidente prejudicou seus resultados. Mas o retrospecto em Águe é bom. No ano passado ele conquistou no GP português o segundo pódio de sua carreira.

 

Jed Beaton – Foto: mxgp.com