Mundial de Motocross: Paulin, Tonus, Seewer, Geerts e Watson seguem na Yamaha em 2020

Yamaha decidiu concentrar forças numa única equipe para a temporada 2020 do Mundial de Motocross

 

A Yamaha Motor Europe realizou uma conferência de imprensa no domingo, 18, em Ímola, Itália, durante a 15ª rodada do Mundial de Motocross 2019, para anunciar uma grande mudança em sua estrutura de equipes para a temporada 2020.

Após 28 anos de trabalho, o lendário Michele Rinaldi deixará o cargo de chefe de equipe. Ele ficará com a parte de pesquisa e desenvolvimento, concentrando-se, junto com sua equipe altamente qualificada, na pesquisa e desenvolvimento das motocicletas YZ450FM e YZ250FM, na sede da equipe em Parma, na Itália.

Alguns dos melhores técnicos de sua equipe viajarão para todas as rodadas do Mundial de Motocross 2020 para dar suporte aos pilotos da equipe nas categorias MXGP e MX2.

Outra mudança é a fusão da equipe oficial de fábrica Monster Energy Yamaha com a equipe satélite Wilvo Yamaha. Ambas agora passam a ser um único time, chefiadas por Louis Vosters (chefe da Wilvo nesta temporada) e baseadas na atual sede da Wilvo, em Bergeijk, na Holanda.

A equipe também anunciou que em 2020 vai manter os pilotos Gautier Paulin e Arnaud Tonus (que disputam a atual temporada pelo Wilvo), bem como o atual piloto da equipe oficial de fábrica, Jeremy Seewer.

E para finalizar, reforçando a estratégia de concentrar esforços numa única equipe, a equipe Monster Energy Kemea Yamaha será transformada na equipe oficial de fábrica da Yamaha na categoria MX2 do Mundial de Motocross 2020 (Paulin, Tonus e Seewer disputam a MXGP).

O time vai alinhar com os mesmos talentosos pilotos da temporada 2019: Jago Geerts e Ben Watson.