Mundial de Motocross 2020: prévia do GP da Letônia

Mundial de Motocross volta neste domingo após 5 meses de paralisação – Foto: mxgp.com

 

O Mundial de Motocross está de volta! Após um intervalo de 5 meses devido ao surto de COVID-19, a temporada 2020 volta neste fim de semana, com a primeira de três rodadas consecutivas na Letônia. Neste domingo, 9 de agosto, teremos o já tradicional GP da Letônia. Na quarta-feira, dia 12, será a vez do GP de Riga, e no outro domingo, dia 16, acontece o GP de Kegums.

Todas estas 3 corridas serão disputadas no clássico e arenoso circuito de Kegums (distante menos de 50km da capital Riga), mas com traçados diferentes a cada etapa. As provas na Letônia serão válidas respectivamente pela terceira, quarta e quinta rodada do campeonato.

Várias mudanças acompanham este retorno, as mais notáveis são a programação toda no domingo (treinos livres e cronometrados pela manhã e corridas a partir do meio-dia), para dar mais tempo de recuperação física aos pilotos, e o limite de público, respeitando as regras impostas por cada país.

Mesmo assim, podemos esperar muita emoção e batalhas intensas ao longo destes 3 GPs na Letônia. Vale destacar também que o canal por assinatura BandSports irá transmitir ao vivo a primeira bateria da categoria MXGP, a partir das 7h, a segunda bateria da MX2, a partir das 9h, e a segunda da MXGP, a partir das 10h. A partir das 16h acontece a reprise das corridas.

Corridas deste domingo serão transmitidas ao vivo no canal por assinatura BandSports – Foto: mxgp.com

 

MXGP

Atual campeão da categoria MXGP, em 2019 Tim Gajser, da equipe HRC Honda, foi o grande vencedor do GP na Letônia, embora tenha empatado em pontos com o 2º e o 3º colocado, respectivamente Romain Febvre e Arnaud Tonus. Com os três pilotos com exatamente 40 pontos cada, foi a vitória na segunda bateria que garantiu para Gajser o degrau mais alto do pódio na soma geral.

Com raras exceções, o esloveno costuma ter bons desempenhos em circuitos de areia, o que o coloca em boas condições contra seus principais adversários na briga pelo título, a dupla da Red Bull KTM Jeffrey Herlings e Antonio Cairoli, mesmo quando é pressionado pelos dois. Na classificação, Gajser é o vice-líder, apenas 9 pontos atrás de Herlings.

Tim Gajser – Foto: mxgp.com

 

Companheiro de Gajser na equipe HRC Honda, Mitch Evans retorna junto com o campeonato na Letônia, após meses se recuperando de uma lesão, sofrida no GP da Holanda, em Valkenswaard. Antes, na rodada de abertura, o GP da Grã Bretanha em Matterley Basin, o australiano mostrou do que pode ser capaz, ao finalizar em 3º na soma geral.

O GP da Letônia do ano passado traz uma lembrança ruim para a equipe Red Bull KTM. Tanto Jeffrey Herlings quanto Antonio Cairoli abandonaram a segunda bateria com lesões que os deixaram fora do campeonato pelo resto da temporada.

Se serve de consolo, o espanhol Jorge Prado (hoje na MXGP) venceu as duas baterias da MX2.

Outro fato importante a destacar é que os três possuem um bom histórico na Letônia. Cairoli venceu em Kegums 4 vezes (2009, 2011, 2012 e 2013), Herlings 5, sendo 3 delas na MX2 (2010, 2013, 2016, 2017 e 2018).

Jeffrey Herlings – Foto: mxgp.com

 

Falando agora da turma que corre por fora, começamos pelo suíço Arnaud Tonus que, conforme já mencionado, fez uma corrida fantástica em Kegums no ano passado, quando terminou em 1º na soma geral, empatado em pontos com Gajser e Febvre.

Tonus também chegou perto, mas ficou fora do pódio nos dois primeiros GPs da temporada, mais um motivo para encarar as corridas deste domingo com grande motivação. Seus companheiros na equipe Monster Energy Yamaha, o francês Gautier Paulin e o belga Jeremy Seewer, ocupam respectivamente o 5º e o 9º lugar na classificação do campeonato.

Vale a pena ficar de olho também na dupla da equipe Monster Energy Kawasaki, o francês Romain Febvre e o belga Clement Desalle. Febvre venceu na Letônia em 2015 e 2016, e Desalle em 2009.

As corridas deste domingo serão ainda mais especiais para Febvre, que fará sua estreia na temporada, já que o francês ficou fora dos dois primeiros GPs, respectivamente na Grã Bretanha e na Holanda, por causa de uma lesão sofrida ainda nos treinos em Matterley Basin.

O lituano Arminas Jasikonis terá a dura missão de ser o único representante da equipe Rockstar Energy Husqvarna em Kegums, já que o letão Pauls Jonass se recupera de 3 costelas fraturadas e sabe-se lá se ainda irá disputar alguma corrida em 2020. Jasikonis já mostrou que tem habilidade em circuitos de areia, foi o 3º colocado na soma geral do GP da Holanda em Valkenswaard.

Fechando a lista de postulantes à vitória entre as equipes oficiais de fábrica, temos o holandês Glenn Coldenhoff e o italiano Ivo Monticelli, que possuem a responsabilidade de representar a “estreante” equipe oficial da GasGas. Coldenhoff atualmente é o 6º na classificação e Monticelli o 23º.

Único nome de peso numa equipe satélite, o belga Jeremy Van Horebeek, da Honda SR Motoblouz, foi mal no GP da Grã Bretanha em Matterley Basin, mas se recuperou em Valkenswaard na Holanda, finalizando em 5º na soma das baterias. Acrescentamos à isso a parada da pandemia, que lhe deu mais tempo para treinar e se preparar.

 

Classificação MXGP

  1. Jeffrey Herlings – 94 Pts
  2. Tim Gajser – 85 Pts
  3. Antonio Cairoli – 68 Pts
  4. Clement Desalle – 60 Pts
  5. Gautier Paulin – 58 Pts
  6. Glenn Coldenhoff – 56 Pts
  7. Arminas Jasikonis – 53 Pts
  8. Jorge Prado – 47 Pts
  9. Jeremy Seewer – 42 Pts
  10. Jeremy Van Horebeek – 39 Pts

 

MX2

Na MX2, o atual campeão Jorge Prado subiu para a MXGP, deixando o caminho aberto para um novo campeão em 2020. O atual líder na classificação é o francês Tom Vialle, da Red Bull KTM.

Vialle subiu no pódio em Matterley Basin e conquistou sua primeira vitória em Valkenswaard. Apesar de ter finalizado apenas em 7º em Kegums no ano passado, ele possui pelas condições de vencer as corridas deste ano.

Tom Vialle – Foto: mxgp.com

 

Seu companheiro de equipe e estreante na MX2, o austríaco Rene Hofer, também teve um início de temporada positivo, finalizando todas as corridas dentro do top 5, mas ainda sem conseguir um pódio na soma geral. Seu melhor resultado foi na 2ª bateria em Matterley Basin, quando foi o 2º colocado.

A Monster Energy Yamaha MX2 aposta todas as suas fichas no belga Jago Geerts, que já mostrou alguns resultados fantásticos nesta temporada, apesar de ter tido problemas em várias ocasiões. Ele venceu a segunda bateria e a soma geral no GP de abertura em Matterley Basin, saindo da Grã Bretanha como o líder na classificação. Em Kegums, no ano passado, foi o 2º colocado, ficando atrás apenas do campeão Jorge Prado.

Jago Geerts – Foto: mxgp.com

 

Companheiro de equipe de Geerts, Ben Watson também vai para a Letônia em busca do pódio. Após terminar em 4º no campeonato do ano passado (apenas 4 pontos atrás do 3º colocado), o britânico terá mais uma oportunidade de mostrar que pode ser um forte candidato ao título.

Vice-campeão no ano passado, Thomas Kjer Olsen, da Rockstar Energy Husqvarna MX2 teve seu início de temporada comprometido por uma lesão, que o fez perder os dois primeiros GPs do campeonato. Mas ele teve tempo de sobra para se recuperar durante a parada da pandemia e vale destacar que dinamarquês costuma ser forte em Kegums. Ele foi o 3º colocado no GP do ano passado e venceu em 2017 e 2018.

Segundo piloto da equipe, o australiano Jed Beaton também vinha fazendo uma temporada consistente antes da parada, finalizando em 4º nos dois primeiros GPs do ano.

Representantes da equipe F&H Kawasaki Racing, Mikkel Haarup, Roan Van de Moosdijk e Mathys Boisrame mostraram bom desempenho nos dois primeiros GPs do ano, apesar da má sorte, especialmente em Valkenswaard. Os três andam muito bem em circuitos de areia, especialmente Van de Moosdijk, que venceu a rodada de Kegums do Europeu de Motocross da categoria 250 no ano passado.

Fechando a lista dos demais pilotos que podem impressionar na Letônia, destacamos Bas Vaessen, da Hitachi KTM, 5º colocado na soma geral em Kegums no GP do ano passado, Alvin Ostlund, da Honda Assomotor, e Maxime Renaux, da SM Action Miglori J1 Racing. Este último atualmente é o 4º na classificação geral do campeonato e foi o 2º na soma geral das baterias em Valkenswaard.

 

Classificação MX2

  1. Tom Vialle – 87 Pts
  2. Jago Geerts – 82 Pts
  3. Jed Beaton – 74 Pts
  4. Maxime Renaux – 61 Pts
  5. Rene Hofer – 53 Pts
  6. Mikkel Haarup – 52 Pts
  7. Thomas Kjer Olsen – 51 Pts
  8. Ben Watson – 48 Pts
  9. Conrad Mewse – 48 Pts
  10. Jeremy Sydow – 35 Pts