Mundial de Enduro 2018: Crivilin finaliza no top 10 e já mira o Six Days 2018

Yamaha
Crivilin finalizou o Mundial de Enduro 2018 na oitava colocação e agora se prepara para o Six Days

 

Terminou no último domingo, 14, na Alemanha, a temporada 2018 do Mundial de Enduro.

Único brasileiro na competição, o piloto Bruno Crivilin, da Orange BH KTM América Racing finalizou a disputa entre os 10 melhores.

Ele obteve a oitava colocação na sua categoria, a Enduro Júnior 1 (EJ1), para pilotos até 23 anos e motos de 100 a 250 dois tempos e 175 a 250cc quatro tempos.

Crivilin encerrou o primeiro dia na oitava colocação e no domingo teve que abandonar com dores no pulso, fruto de uma lesão na mão direita.

Foi a primeira temporada do capixaba no mundial.

O piloto esteve muito perto do pódio em algumas ocasiões e chegou a figurar entre os cinco primeiros colocados na classificação.

Mas, as viagens – com grandes distâncias percorridas e diferenças de fuso horário, além de algumas contusões, atrapalharam os planos do tetracampeão brasileiro.

Apesar de almejar resultados ainda melhores no maior campeonato de enduro do mundo, o saldo é extremamente positivo pelo fato de ser a sua primeira temporada.

Ainda serviu como aprendizado e experiência para o ano que vem, já que a equipe tentará viabilizar sua temporada completa no exterior em 2019.

Para realizar a temporada no mundial, o jovem piloto teve que enfrentar – além das disputas nas pistas – muitas horas de viagens e grandes distâncias percorridas.

Foram mais de 66 mil quilômetros percorridos para disputar as provas, o suficiente para dar mais de uma volta e meia na terra, ou percorrer 16 vezes o Brasil de uma ponta a outra, do Oiapoque ao Chuí.

Isso sem contar as viagens pelo Brasil, para disputar, e vencer, o Brasileiro de Enduro.

– Foi meu primeiro ano no Mundial, um campeonato de altos e baixos, onde acabei abandonando duas provas por contusão, mas acredito que ganhei experiência, consegui bons resultados e mostrei que os brasileiros têm condições de brigar pelo campeonato. Por poucos segundos estive muito perto do pódio e finalizar a temporada de estreia com um oitavo lugar é para ser comemorado – disse Crivilin.

Apesar dos problemas enfrentados, o brasileiro encerrou a temporada de cabeça erguida e muito grato a seus patrocinadores e a equipe.

– Espero voltar no ano que vem mais forte e colocar o Brasil no lugar que ele merece aqui no mundial. Agradeço muito a toda minha equipe, a Orange BH KTM América Racing, em especial ao Guto Constantino e ao Felipe Nacif. Sem dúvida nenhuma faço parte da melhor equipe de enduro que o Brasil já teve, é a que mais investe e luta pelo engrandecimento do nosso esporte. Agradeço também a todos os nossos patrocinadores, minha família e aqueles que torcem por nós –  comemorou o piloto.

Com o mundial e o brasileiro de enduro finalizados, ainda não é chegada a hora do descanso.

Crivilin retorna ao Brasil nesta terça, 16, para iniciar os preparativos para mais um grande desafio: representar o Brasil no International Six Days Enduro, que acontece no Chile, entre os dias 12 e 17 de novembro.

Em sua estreia na competição no ano passado, na França, Crivilin conquistou a medalha de ouro na principal prova do mundo, considerada as Olimpíadas do Enduro.

A Orange BH KTM América Racing tem o patrocínio de Kenda Pneus, ASW, Motul, ProX, Dragon, Gaerne Circuit, BMS, W-Tech, Stick´s, Durag, Solo, Exceed, MRPro, Academia PIC, e Alex design. É mais uma equipe de competição do Grupo Orange, líder em vendas no Brasil com as bandeiras KTM, Yamaha e Kawasaki. Possui uma loja com mais de 4.000 itens em acessórios e equipamentos para prática motociclista on e off Road, para uso urbano e recreativo. Motos novas, seminovas e consórcio.

Crivilin retorna ao Brasil nesta terça-feira, para iniciar a preparação para o Six Days, que acontece de 12 a 17 de novembro no Chile

Yamaha