LESÕES: A importância da fisioterapia na recuperação

Confira abaixo algumas explicações da doutora Roberta Bueno, especialista em Fisioterapia Esportiva – Recovery, registrada no Crefito 45972.

Roberta também é a mãe do piloto Pepê Bueno, e tem vasta experiência no trabalho de recuperação.

Seja piloto profissional ou amador, lesões fazem parte da vida de quem pratica esportes. Confira estas dicas:

 

Como a fisioterapia esportiva pode auxiliar os atletas amadores e profissionais do Motocross?

A fisioterapia esportiva oferece diversas vantagens em todos os níveis de todos os esportes.
Com a fisioterapia esportiva é possível auxiliar, por exemplo, os atletas lesionados e os pós cirúrgicos, que precisam retornar às atividades o mais breve possível. Ela também é importante para a recuperação e preparação da musculatura para a próxima carga de treinos. Ou seja, a fisioterapia ajuda a relaxar por conta do estresse, da responsabilidade, da pressão.

 

Após uma cirurgia, quando o atleta deve começar a fazer fisioterapia? É preciso esperar um tempo ou ele pode começar mesmo sem conseguir movimentar o membro operado?

Deve começar o quanto antes. Se possível, no máximo dois dias após a cirurgia.
A segunda pergunta é muito comum e curiosa. Muita gente me pergunta sobre isso: se eu não posso nem me mexer, como vou fazer fisioterapia? Existem técnicas que aceleram o processo de cicatrização, reduzindo a dor e a inflamação. O maior de todos os objetivos é acelerar as células de regeneração, aquelas que de alguma forma foram afetadas, sejam elas ósseas ou musculares. E o quanto elas forem estimuladas, mais rápido será o retorno às competições.

 

O que o atleta pode fazer para ajudar a acelerar este processo?

A grande maioria dos tratamentos pós-operatórios são conservadores, mas essenciais para uma recuperação vantajosa e de sucesso. Eu costumo explicar para os atletas que não existe milagre, mas muita força de vontade, paciência e confiança no fisioterapeuta. Há casos em que o paciente precisa ficar algumas horas no consultório. Mas, juntos traçamos um protocolo para atingirmos o objetivo no menor prazo de tempo possível.

 

Por que a fisioterapia esportiva acaba sendo diferenciada das demais áreas de atuação?

Na grande maioria dos casos onde há necessidade de um retorno mais rápido, é necessário fazer fisioterapia todos os dias. Dependendo da complexidade da cirurgia, chegando até a 2 ou 3 vezes ao dia. Por isso, costumo dizer que é necessário muita paciência, força de vontade e confiança no profissional. Essa é a grande diferença. O profissional vive cada momento junto do paciente. Costumo pedir pra que eles me passem tudo que aconteceu durante o dia, qualquer desconforto, novidade, como passaram a noite… Nos primeiros dias de pós operatório, ou mesmo de uma fratura, a dor costuma perturbar e incomodar as noites de sono, e nós trabalhamos para combater estes episódios. Mas, nem sempre a técnica utilizada pra um tem o mesmo efeito em outro.

 

Para finalizar: por que você optou pela fisioterapia esportiva? Faz tempo que a Dra. trabalha com atletas? É qual a sua maior realização profissional?

Eu comecei a trabalhar com atletas em 2003. Até 2008, atendi atletas do tênis e da canoagem. Meu filho já competia no motocross e então comecei a atender atletas desta modalidade também. Permaneci durante alguns anos, tive que dar uma pausa por problemas de saúde na família, mas nunca deixei de atuar e ajudar muitos amigos que precisavam. Até porque meu filho ingressou no motocross com 4 anos e compete até hoje 🤣🤣. Junto dele acompanhei alguns cursos, treinadores, campeonatos fora do país, dentre eles Winter Olimpcs, Mini Os, Loretta Lynn’s, Mammoth, AMA Motocross, cursos em centros de treinamentos que dispunham e investem pesado nestes recursos. Então, resolvi retornar e ajudar na recuperação dos atletas do Motocross, porque esse é o meio que convivo diariamente e acompanho de perto por conta do meu filho. Mas atendo outros esportistas também ,como os pilotos da motovelocidade, ciclistas, praticantes da canoa havaiana, fisiculturistas, dentre outros. Costumo dizer que atendo o atleta e não o esporte que ele pratica. Minha maior realização profissional, sem sombra de dúvidas, é poder vibrar a cada conquista e a cada vitória junto deles.

 

Obrigado pelas dicas e explicações. Sucesso com os atletas! Sinta-se a vontade para deixar suas considerações finais.

Eu que agradeço o espaço e a oportunidade de poder falar um pouco sobre esse assunto que é bastante relevante. Às vezes surgem dúvidas e receios dos atletas,mas a fisioterapia esportiva tem evoluído muito, atingindo resultados bastante satisfatórios. Sempre que quiserem ou precisarem estou à disposição para mais esclarecimentos. Um grande abraço e o meu muito obrigado a todos que estão sempre dispostos a instruir, inovar e disponibilizar espaços como este para discutir assuntos muito relevantes e que muitas vezes acabam passando desapercebidos por falta de informação.

 

Roberta Bueno

– Graduação em Fisioterapia
– Especialização em Fisioterapia Dermato Funcional
– Pós Graduação em Fisioterapia Traumato-Ortopedia Clínica e Esportiva
– MBA-Gestão Hospitalar
– Participação em congressos e conferências EUA
– Congresso Internacional em Fisioterapia esportiva – San Francisco- CA
– Estágio supervisionado Georgia – Cairo MTF – Millssaps
– Terapia e reabilitação atletas de auto rendimento, Georgia- Cairo
– Diversos Simpósios Fisioterapia esportiva nos EUA.

 

Alguns atletas atendidos por Roberta Bueno

Pepê Bueno

 

Pepê Bueno e Jean Ramos

 

Ricardo Gonçalves, da motovelocidade

 

Jetro Salazar