Lenda do motocross feminino, Tarah Gieger revela 5 dicas essenciais para os fãs do esporte

Tarah Gieger, oito vezes medalhista nos X Games, mostra quais atividades faz para alcançar grandes resultados na carreira – Foto: Paul Swanson / Red Bull

 

*Enviado por Gabriela Sirtoli / Assessoria Red Bull

 

Oito vezes medalhista dos X Games, Tarah Gieger é uma das mulheres mais premiadas na história do motocross. Apaixonada por velocidade desde a infância, a porto-riquenha abandonou o surf e, a partir dos 10 anos, começou a ter interesse pelo esporte sobre duas rodas. Em 2003, tornou-se profissional e, cinco anos depois, venceu a primeira corrida de supercross feminino do maior torneio radical do mundo.

Mesmo com tantas glórias, a atleta também se viu em situações complicadas, principalmente quando sofreu acidentes na pélvis e no pescoço. E, atualmente, Gieger é um exemplo de superação e desempenho aos fãs do motocross. Por isso, o BRMX separou algumas dicas da porto-riquenha que são fundamentais para todos que almejam melhorar o nível de pilotagem.

Foto: Paul Swanson / Red Bull

 

Treino de força

Quando faço o meu treino, eu escolho exercícios em que preciso engajar core e o equilíbrio. Então, quando estiver treinando perna, eu vou fazer agachamento utilizando uma perna, mantendo a outra apoiada a uma bola bosu. Eu gosto de trabalhar em ritmo lento. Você não tem que fazer com muito peso, mas tem de utilizar praticamente todos os músculos para que saia corretamente. A força no core é muito importante, principalmente quando você tem de segurar uma moto de cerca de 100kg entre as suas pernas.

 

Cardio

Para o motocross, o cardio é superimportante. Quando eu faço uma corrida off-road, que dura uns 90 minutos, minha frequência cardíaca estará acima de 170 batimentos por minuto, durante 85 minutos. Quando estou na academia, eu faço 5km e, depois, 1km intervalado na máquina SkiErg. Quando o tempo está bom, eu pedalo três dias por semana – talvez 32km. Em algumas oportunidades, eu pratico mountain bike, enquanto em outras, eu nado cerca de 2km.

 

Habilidades

Geralmente, eu piloto quatro vezes por semana durante algumas horas. Eu também faço sprints em trilhas de areia áspera. Eu piloto, por 10 minutos, o mais forte que eu posso. Então, descanso cinco minutos e volto a pilotar forte. Faço isso durante 90 minutos. Em outras ocasiões, eu vou fazer trilha. É aí que as minhas reações ficam afiadas. Eu tento me colocar em situação de corrida e me pergunto: “Se eu encontrasse essa situação, o que faria?”. Então, quando entrar na pista de corrida, eu sinto que já experimentei e tenho confiança para lidar com isso.

 

Nutrição

Eu preciso reter a comida por conta da quantidade de calorias que eu queimo durante um bloco de treinamento puxado. Eu tento manter uma boa alimentação, mas, na maioria das vezes, como o que eu posso encontrar. Eu como comida de verdade. Provavelmente, eu prefira um lanche a um shake de proteína. Quando viajo, tento beber muita água e, ultimamente, tomo bastante vitaminas.

 

Prevenção de lesões

Não é um esporte fácil. Não há como evitar acidentes, pois isso vai acontecer. Então, tento manter o meu corpo forte e flexível já que, se eu bater, eu consiga me recuperar mais rápido.