Jorge Prado já sabe o que fazer para brilhar no Mundial de Motocross 2017

151172_jorge_prado_ktm_250_sx-f_assen_2016
Jorge Prado tem uma longa preparação pela frente – Fotógrafo: Ray Archer

 

Um primeiro lugar na classificatória e um terceiro lugar na corrida marcaram a estreia de Jorge Prado no Mundial de Motocross, em Assen, Holanda. O jovem de 15 anos aproveitou o ótimo resultado e competiu nas últimas duas etapas do campeonato, realizadas nos Estados Unidos, assim como no Motocross das Nações, na Itália, após ser convocado pela Espanha – já que Iker Larranaga estava lesionado.

Prado tem contrato assinado com a Red Bul KTM até 2020. E, mesmo tão jovem, já mostrou que pode brilhar no Mundial de Motocross.

– Tudo ocorreu muito bem. Em Charlotte, nos EUA, não foi muito bacana, senti o cansaço da viagem e não estava 100%. Fisicamente estava melhor em Glen Helen. Não saí satisfeito, mas sei onde preciso melhorar e como tenho que trabalhar para o próximo ano. Por exemplo, sei que preciso de mais força na parte superior do meu corpo e nos ombros. Depois da lesão que sofri nesse ano, preciso me organizar – comentou o piloto.

Prado superou Ken Roczen e Jeffrey Herlings em seus anos de estreia – Roczen conseguiu o mesmo resultado na quinta corrida e Herlings na terceira. O espanhol agora segue firme nos treinos e na preparação física para a próxima temporada.

– Andei analisando os meus concorrentes para o próximo ano, o que é muito importante, assim como ter experiência em algumas pistas fora da Europa. Acho que posso fazer ainda mais, mas também não quero ficar obcecado, treinando dia e noite. Tenho que ser sensato. Será um longo ano e, no mínimo, estarei ainda mais preparado – concluiu o piloto.

 

151171_jorge_prado_staff_ktm_250_sx-f_start_assen_2016
Prado com alguns membros da equipe na Holanda – Fotógrafo: Ray Archer