Jorge Prado, jovem piloto espanhol, sonha com o título da MX2 no Mundial de Motocross 2017

jorgeprado_rayarcher (3)
Sonho do espanhol Jorge Prado é correr nos EUA – Fotógrafo: Ray Archer

 

Jorge Prado, espanhol de apenas 15 anos, é uma promessa do motocross mundial. O piloto tentou estrear no Mundial de MX2 em Lommel, na Bélgica, mas uma lesão no ombro lhe impediu de correr as provas de domingo. No sábado, chegou a fazer 17º na corrida classificatória.

Apesar de estar ansioso por essa estreia – que deve acontecer em Assen, Holanda, dia 28 de agosto -, Prado, que atualmente vive na Bélgica, também sonha em se mudar para os Estados Unidos depois de uma ou duas temporadas de Mundial.

O piloto pôde conhecer o país de Ryan Dungey no início de 2016, e ficou encantado com as pistas e o estilo de vida que os pilotos levam. Simpático e muito animado, Prado conversou com o site norte-americano RacerX para comentar sobre os planos para o futuro.

Confira!

 

Por que os Estados Unidos?
Jorge Prado: Desde pequeno, meu sonho sempre foi ir pra lá. E parece que uma boa parte dos pilotos da Europa querem e tentam ir também. Eu sempre gostei das pistas e dos estádios. Assisto o Supercross nos vídeos e acho que viveria uma grande experiência.

Há também a diferença do estilo de vida. Se você estiver na Califórnia, você vive intensamente o motocross.
Jorge Prado: Sim, é bem diferente. Na Califórnia é muito mais fácil para treinar de moto, enquanto na Bélgica você precisa de uma série de preparações, e tem o clima também. Eu faria uma série de atividades que, se eu estivesse na Bélgica, teria que esperar o verão chegar. No inverno, muitos pilotos viajam para a Espanha ou Itália, por conta do clima. Ou eles apenas vão para os Estados Unidos, como eu fiz.

Sua família se mudou da Espanha para a Bélgica com você. Agora indo para os Estados Unidos, vai ser uma outra grande mudança.
Jorge Prado: Sim. Já foi uma grande mudança sair da Espanha e ir para a Bélgica, mas com um voo de duas horas estávamos em casa. Se formos para os Estados Unidos, será outro nível de mudança e vai ficar complicado viajar e visitar a família. Sabemos que será um grande passo.

 

jorgeprado_rayarcher (2)
“Vencer o Mundial de MX seria muito bom, mas vencer nos EUA seria maravilhoso” – Fotógrafo: Ray Archer

 

E sobre a KTM? Ter esse contrato facilita a ida aos EUA, ao invés de precisar se transferir para outra fábrica.
Jorge Prado: Com certeza, nós sabemos que é a melhor escolha ir para lá com a KTM. Estou com eles há quatro anos e estou muito feliz (e com contrato até 2020).

Você foi para os EUA no último inverno para conhecer as pistas. A KTM sempre esteve aberta para essa possibilidade ou foi algo difícil de conseguir?
Jorge Prado: Eles estavam abertos à essa oportunidade porque foi a primeira vez que realmente treinei e pude conhecer as pistas lá – e conferir alguns eventos do AMA Supercross. Então aproveitei muito a oportunidade, tanto para assistir aos eventos, quanto para treinar no supercross. Foi uma experiência inesquecível. Agora sabemos como tudo funciona e o que precisamos fazer. Era muito estranho não ver as pessoas somente de carro nas ruas! Levei um tempo, mas me acostumei e no final estava adorando.


Sua cabeça deve estar lidando com várias coisas: vencer na Europa, se preparar para a MX2, pensar no supercross e ainda tem a questão da escola. São vários assuntos para lidar…
Jorge Prado: Sim, está mesmo! No próximo ano, estamos planejando fazer o Mundial de Motocross e vai ser difícil conciliar os estudos quando formos para lugares como a Tailândia, Catar e Indonésia. Vou precisar faltar a escola e vai ser difícil de dedicar 100%. Vamos dar o nosso melhor.

O plano é ficar no Mundial de Motocross por um ano? Mesmo se você for campeão ou chegar perto?
Jorge Prado: Não, isso não está certo. Se eu vencer no ano que vem, gostaria de ficar mais um ano na MX2 e me mudar quando sentir que é o momento certo.

Há algum plano de correr a Monster Energy Cup ou o Red Bull Straight Rhythm no próximo ano?
Jorge Prado: Honestamente não, porque acaba exigindo um grande tempo para estar preparado. No próximo ano estarei focado no Mundial para estar cada vez melhor na temporada.

Você imagina como pode impactar o motocross na Espanha? Seria um grande passo ser o primeiro espanhol a conquistar títulos.
Jorge Prado: Nunca nenhum espanhol venceu lá (EUA), então acho que será um marco para o país. Vencer o Mundial de Motocross já seria muito bom, mas vencer nos Estados Unidos, com toda a mídia, seria maravilhoso. E a Espanha precisa crescer na modalidade.

 

jorgeprado_rayarcher (1)
Jorge Prado tem apenas 15 anos e um futuro brilhante – Fotógrafo: Ray Archer