Joaquin Poli permanece internado no Hospital Regional de São José, na Grande Florianópolis


Atendimento na pista avaliou a gravidade do acidente que envolveu o jovem piloto argentino – Foto: Elton Souza / BRMX

Joaquin Poli – AMA Racing Oils / MCR Racing – permanece internado no Hospital Regional de São José, na Grande Florianópolis, e seu quadro de saúde requer cuidados. De acordo com Richard Berois, chefe da equipe, Poli respira sem ajuda de aparelhos e se encontra fora da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mas não está descartada a possibilidade do jovem piloto argentino ser submetido à cirurgia.


– Pelo relatório médico, não houve perfuração de pulmão e do fígado, como se pensou inicialmente. Somente ocorreu uma lesão nesses órgãos pela forte pancada, que acabou resultando na fratura de algumas costelas – afirma Berois.

Na manhã desta segunda-feira, 30 de abril, Poli será avaliado novamente e, dependendo de seu quadro, os médicos decidirão se ele passará por cirurgia ou permanecerá em observação.

– O socorro rápido foi fundamental para evitar mais complicações com o nosso piloto. A vinda do helicóptero acelerou o processo de deslocamento do Joaquin para o hospital e isso fez com que ele recebesse atendimento certo em pouco tempo – comenta Marcio Massaneiro, diretor da equipe.

Joaquin Poli caiu nas primeiras voltas durante a primeira bateria da categoria MX2 realizada no domingo, 29, pela segunda etapa do Brasileiro de Motocross 2012. Ele foi socorrido pela equipe de emergência que estava no Motódromo Arthur Jacowicz, em Canelinha, e no intervalo entre as baterias, o helicóptero do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, pousou dentro do circuito.

Atualização às 16h30

O boletim médico na tarde desta segunda-feira, 30 de abril, apontou uma melhora expressiva no quadro de saúde de Joaquin. Ele está consciente, respira sem auxílio de equipamentos e diminuiu o risco de ser submetido à cirurgia. O piloto permanece internado, com dreno no fígado, mas o sangramento foi controlado. 


– Joaquin deve ser mantido no centro de tratamento semi-intensivo por mais quatro ou cinco dias, enquanto permanece sob observação médica. Seu fígado ainda está inchado, mas ele está bem e hoje, o Richard pôde conversar com ele no quarto – informa Massaneiro em telefonema ao BRMX.

A informação foi passada pelo diretor da equipe em telefonema ao BRMX