Jean Ramos, Fábio Santos e Ramyller Alves formam o time do Brasil para o MXoN 2016

paty2016_dom_mauhaas-82
Jean Ramos será o líder do time – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX

 

O time do Brasil para o Motocross das Nações 2016 terá Jean Ramos (Open), Fábio Santos (MX1) e Ramyller Alves (MX2). Os três nomes foram confirmados por Manuel Carlos Hermano, o Cacau, que pelo quinto ano consecutivo será o chefe da delegação brasileira nas “olimpíadas do motocross”.

– Ramyller é o futuro do Brasil no Nações junto com o Enzo, que ainda tem 16 anos, é bastante novo, mas já poderia ir a partir de 2017. Mas neste ano já temos três pilotos fortes. Ano passado não classificamos por muito pouco, estávamos dentro até na última volta. Acho que esse ano vai dar pra classificar porque os três são bons e têm experiência em pistas de alto nível – disse Cacau.

>>> Veja a história do Brasil no MXoN

O MXoN 2016 será na pista de Maggiora, Itália, nos dias 24 e 25 de setembro. O lendário circuito recebeu uma edição histórica do MXoN 30 anos atrás, quando os Estados Unidos venceram com David Bailey, Ricky Johnson e Johnny O’Mara sob os olhos de mais de 50 mil pessoas.

Com suas grandes subidas e descidas, a pista de Maggiora está localizada a cerca de 70 quilômetros a noroeste de Milão, quase na divisa com a Suíça e com a França.

 

:: Volta na pista de Maggiora

 

paty2016_dom_mauhaas-33
Será a segunda vez de Fabinho, 19 anos, no MXoN – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX

 

ramyller_2014_mauhaas-17
Ramyller, 18 anos, fará sua estreia pelo Brasil – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX

 

E aí, curtiu a escalação do time do Brasil para este ano?

 

:: Histórico dos times brasileiros no MXoN

1997 – Bélgica
Local: Nismes
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Cristiano Lopes (250cc); Gilberto ”Nuno” Narezzi (125cc); Rogério Nogueira (Open)

1998 – Inglaterra
Local: Foxhills
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Cristiano Lopes (250cc); Paulo Stedile (125cc); Rogério Nogueira (Open)

1999 – Brasil
Local: Indaiatuba
Posição final: 15º (por ser sede da competição, o Brasil teve sua vaga garantida para a final)
Equipe: Rafael Ramos (250cc); Paulo Stedile (125cc) e Cristiano Lopes (Open)

2000 – França
Local: Saint Jean D’Angely
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Massoud Nassar (250cc); Roosevelt Assunção (125cc) e Milton “Chumbinho” Becker (Open)

2001 – Bélgica
Local: Namur
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Paulo Stedile (250cc); Douglas Parise (125cc) e Massoud Nassar (Open)

2007 – Estados Unidos
Local: Budds Creek
Posição final: 16º
Equipe: Wellington Garcia (MX1); Leandro Silva (MX2) e Balbi Junior (Open)

2008 – Inglaterra
Local: Donington Park
Posição final: 14º
Equipe: Leandro Silva (MX1); Wellington Garcia (MX2) e Balbi Junior (Open)

2009 – Itália
Local: Franciacorta
Posição final: 14º
Equipe: Wellington Garcia (MX1); Swian Zanoni (MX2) e Balbi Junior (Open)

2010 – Estados Unidos
Local: Lakewood
Posição final: 18º
Equipe: Anderson Cidade (MX1); Cristopher “Pipo” Castro (MX2) e Balbi Junior (Open)

2011 – França
Local: Saint Jean D’Angely
Posição final: 27º
Equipe: Marcello ”Ratinho” Lima (MX1); Dudu Lima (MX2) e Balbi Junior (Open)

2012 – Bélgica
Local: Lommel
Posição final: 32º
Equipe: Gabriel Gentil (MX1); Rafael Faria (MX2) e Marçal Müller (Open)

2013 – Alemanha
Local: Teutschenthal
Posição final: 31º
Equipe: Rafael Faria (MX1); Hector Assunção (MX2) e Anderson Cidade (Open)

2014 – Letônia
Local: Kegums
Posição final: 27º
Equipe: Roosevelt Assunção (MXGP); Rodrigo Selhorts (MX2) e Thales Vilardi (Open)

2015 – França
Local: Ernée
Posição: 27º
Equipe: Thales Vilardi (MXGP), Fábio Santos (MX2) e Jean Ramos (Open)

2016 – Itália
Local: Maggiora
Posição:
Equipe: Fábio Santos (MXGP), Ramyller Alves (MX2) e Jean Ramos (Open)