Honda, KTM e Husqvarna anunciam times para Supermotocross Cup 2016

144942_Ryan_Dungey_KTM_450_SX-F_Glen_Helen_2016
Dungey será o líder da KTM – Fotógrafo: Cudby S.

 

Os times para Supermotocross Cup 2016 começam a ser revelados. A Honda puxou a fila na semana passada anunciando um trio europeu com Gautier Paulin, Evgeny Bobryshev e Tim Gajser para defender suas cores no dia 8 de outubro, na Alemanha.

Neste sábado, 6, foi a vez das irmãs KTM e Husqvarna revelarem seus times com europeus e norte-americanos. A KTM vai de Ryan Dungey, Marvin Musquin e Jeffrey Herlings, enquanto a Husq entra no jogo com Max Nagl, Zach Osborne e Jason Anderson.

Se você ainda não sabe o que é a Supermotocross Cup 2016, saiba que no dia 8 de outubro de 2016, na Arena Veltins, na Alemanha, acontecerá pela primeira vez esta nova competição proposta pela Youthstream, a mesma empresa que organiza o Mundial de Motocross. O evento acontecerá uma semana depois do Motocross das Nações, que este ano será na Itália.

O preço do ingresso mais barato da SMX Cup é 45 Euros (cerca de 220 Reais) e o mais caro é 90 Euros (aproximadamente 450 Reais).

>>> Clique aqui para comprar ingresso

Na “Copa de Supermotocross dos Pilotos”, todas as equipes de fábrica participarão com dois pilotos na MXGP e dois pilotos na MX2. Parecido com o Nações, o campeão do fim de semana será a equipe (Kawasaki, KTM, Husqvarna, Honda, Yamaha, Suzuki, etc) e não um piloto somente.


O evento também terá três corridas, nas quais cada equipe terá três pilotos na pista, que será de motocross apesar de ser dentro de um estádio. Será transmitido pela TV. As equipes terão ajuda de custo para participar e os pilotos receberão prêmios em dinheiro.

Já está confirmada a presença dos sete fabricantes: Honda, Yamaha, Suzuki, Kawasaki, KTM, Husqvarna e TM.

 

Times para Supermotocross Cup 2016

Honda

Gautier Paulin
Tim Gajser
Evgegy Bobryshev

 

KTM

Ryan Dungey
Marvin Musquin
Jeffrey Herlings

 

Husqvarna

Max Nagl
Jason Anderson
Zach Osborne

 

Algumas regras da SMX Cup

– Cada equipe/fábrica poderá escolher quatro pilotos para participar. Um deles será o “coringa”.

– O coringa pode correr qualquer uma das três corridas. O chefe de equipe determinará sempre antes de cada bateria quais serão os três pilotos a alinhar no gate. Como em outros esportes coletivos, como futebol, basquete, vôlei, haverá um reserva que pode entrar no time antes de cada corrida.

– O chefe da equipe escolherá um dos quatro pilotos para participar da “Superpole”, duas voltas rápidas que definirão a ordem de escolha do gate nas corridas. O coringa, por exemplo, pode ser convocado exclusivamente para fazer o melhor tempo na Superpole.

– Não haverá distinção de moto. A equipe decide se quer correr de 450, 250, ou até mesmo de dois-tempos. Todos os pilotos podem utilizar a mesma cilindrada de moto, se desejarem. Ou seja, será uma categoria “Open”.

– Haverá prêmio em dinheiro para os pilotos vencedores. 50 mil euros para o primeiro; 30 mil euros para o segundo; 20 mil euros para o terceiro. As três melhores equipes também receberão valores iguais, respectivamente.

– Os dois piores resultados de cada time serão descartados. Serão nove resultados por time (três pilotos em cada corrida).

– No mesmo dia e na mesma pista também acontecerá duas competições para jovens pilotos. Uma 125cc dois-tempos aberta para todos e outra 125cc dois-tempos apenas para Yamaha, que será a Yamaha 125 Cup.