Hector Assunção, Dudu Lima e Thales Vilardi brigam pelo título da MX2 na última etapa da Superliga Brasil de Motocross 2012


Hector Assunção e Dudu Lima são, respectivamente, primeiro e segundo colocados no campeonato – Foto: Mau Haas / BRMX

Três pilotos brigam diretamente pelo título da MX2 na Superliga Brasil de Motocross no próximo domingo, 15 de julho, quando acontece a última etapa do ano em Penha, Santa Catarina, no Parque Beto Carrero World.

Hector Assunção, Dudu Lima e Thales Vilardi estão separados por apenas 11 pontos na categoria, enquanto 50 pontos estarão em disputa.

O paranaense Rafael Faria, quarto colocado do campeonato, corre por fora. Tem 25 pontos a menos que o líder da competição, Hector Assunção, e teria que vencer as duas baterias – até agora não venceu uma sequer – além torcer por diversos resultados paralelos se quisesse ficar com a taça.

BRMX observou os números e conversou com os atletas para ver as expectativas. Todos dependem apenas de si. Vencer as duas baterias significa título garantido. Entenda a matemática!

+ 6 // Hector Assunção – Honda Mobil
Vive a situação mais confortável (ou não). Lidera com seis pontos de vantagem. Precisa ficar na frente de seus concorrentes, ou vencer uma bateria e garantir pelo menos o quarto lugar na outra. Assim chegaria a 259 pontos, marca que, nestas condições, é inalcançável pelos adversários. Outra possibilidade seria ficar em segundo nas duas, desde que Dudu Lima NÃO ganhasse as duas.

–  Por eu liderar a categoria, a pressão está colocada sobre mim. Creio que o campeonato será decidido no final da última bateria, pois o Dudu e o Thales estão muito bem. Mas estou tranquilo e sei das minhas condições. Quero ser campeão – revelou através da assessoria de imprensa da equipe.

– 6 // Dudu Lima – EMG Racing Kawasaki Rinaldi
Se ganhar as duas baterias, tira a diferença de seis pontos para Hector Assunção. Se Hector ficar em segundo nas duas, eles terminam empatados com 260 pontos.

O primeiro critério de desempate é o número de vitórias em baterias. Neste caso, também daria empate, com quatro vitórias para cada.  Mas o próximo e último critério de desempate é o resultado da última etapa, o que daria o título a Dudu Lima.

– Embora tenha me machucado e tenha sido prejudicado por isso em duas etapas, estou com uma expectativa boa. Voltei a ficar bem e fiz duas boas baterias em Sorriso, pelo Brasileiro. Está muito equilibrado – comenta Dudu.

– 11 // Thales Vilardi – Honda Mobil
Tem 11 pontos a menos que líder Hector Assunção, e cinco menos que Dudu Lima.

Se vencer as duas baterias, chegará a 255 pontos e terá que torcer para Hector ficar, no máximo, em terceiro nas duas. Daria empate, e Thales venceria no critério de vitórias em baterias, com 5×4. E ainda que Dudu Lima conquiste o segundo lugar nas duas baterias, Thales levaria o título para casa.
 
– Ganhei as duas baterias em Sorriso (pela quinta etapa do BrasileiroMX) e emendei duas semanas boas de treino. Sei que é difícil, mas tudo pode acontecer – diz Thales.

– Estou bem confiante, ainda mais que a previsão (do tempo) é boa, o que deixa a disputa mais bonita – completa, fazendo referência ao tempo chuvoso das duas corridas realizadas no Beto Carrero (Superliga em 2011 e GP Brasil em 2012).

Classificação do campeonato

MX2
1) Hector Assunção – 216 pontos
2) Dudu Lima – 210 pontos
3) Thales Vilardi – 205 pontos
4) Rafael Faria – 191 pontos
5) Anderson Amaral – 150 pontos
Classificação completa

As corridas terão transmissão ao vivo pelo BRMX em retransmissão da BRMTV. Fique ligado!