Elton Becker, agora no freestyle motocross show, ainda pensa na volta às pistas de MX

eltonbecker
Dedicação ao FMX – Foto: FB Elton Becker

 

Faz pelo menos três anos que um boato sobre a volta de Elton Becker às pistas de motocross entra na pauta neste período de pré-temporada. No fim do ano passado, esse papo surgiu outra vez, inclusive com a afirmação de Milton “Chumbinho” Becker, irmão do Fúria Catarinense, dizendo que a possibilidade existia.

O BRMX então entrou em contato com Elton Becker, que atualmente mora em Rio do Sul, Santa Catarina, e há oito anos se dedica ao Motocross Freestyle Show, para saber a resposta da boca do próprio piloto.

– Se a regra da MX4 fosse igual a do ano passado, para pilotos com mais de 35 anos e junto do Brasileiro, eu faria com certeza. Mas agora vai ser separado, apenas pra quem tem mais de 40 (anos) e a coisa ficou mais complicada pra mim – adianta Elton Becker, multicampeão catarinense de motocross.

– A ideia era voltar a competir ao lado do Chumbo, numa boa, tentando repetir as dobradinhas que nós fazíamos anos atrás. Mas, com a mudança no regulamento, eu, com 38 anos, teria que andar na MX3, e a MX3 é forte. Eu não estou treinando. A MX4 dava pra encarar nestas condições, mas a 3… – explica.

– O motocross é onde eu me projetei. Talvez eu faça uma e outra corrida. Vai depender muito do Chumbo, do acerto que ele vai ter pra esse ano. Se eu conseguir conciliar, ir com ele, posso até fazer alguma etapa – sugere, ele que foi duas vezes vice-campeão brasileiro de MX.

mundial98eltonbecker
Mundial de Motocross em 1998 – Foto: FB Elton Becker

 

Em 2009, Elton foi campeão catarinense de motocross pela última vez, já na MX3. Desde então, leva uma vida mais sossegada, menos intensa quando o assunto é cuidado com o corpo, alimentação, treino físico. Para voltar ao circuito, precisaria de um preparo mais elaborado.

– Não me estresso mais como na época do motocoss. No freestyle  show, que não é o de competição, dá para curtir mais, a exigência é menor – diz.

A equipe Elton Becker Freestyle Show tem ainda Pablo Ristow – também uma figura conhecida no motocross – e Allisson Fogaça no time. No ano passado, os três realizaram 35 shows, agitando encontros de motos, festas de aniversário de cidades, divulgando o FMX por diversos cantos brasileiros.

– Me espelho muito no trabalho do Jorge Negretti, um cara correto, que faz manobras bem feitas e sabe seus limites. Eu gosto muito do freestyle. Até queria arriscar mais, fazer um backflip e essas manobras mais ousadas, mas com 38 anos é meio demais (risos). Também tenho que pensar no negócio, na família – conclui.

Sempre “boa praça” e atencioso com todo mundo, antes de desligar o telefone, Elton sugeriu que o BRMX publicasse uma fotografia recuperada há pouco de seu “baú”.

– Essa aí é da minha primeira corrida no motocross, na pista lá de Itapiranga (Santa Catarina, terra natal dos irmãos Becker). Eu sou o segundo, saltando empinado com uma CG 125cc que chamávamos de “Póta”. E ao lado da pista está o Frantz Griebeler (camisa azul e branca) e o Gambatto (camisa vermelha), duas pessoas que já apoiaram muito o motocross – recorda.

potaeltonbecker
Elton é o piloto saltando empinado, com a moto sem paralama dianteiro!