Dudu Lima: “vou fazer a temporada mexicana completa”

Dudu Lima e um novo desafio em sua carreira: disputar a temporada 2020 completa do motocross mexicano, como piloto oficial de fábrica da Suzuki – Foto: @borellapro

 

Sem conseguir contrato com nenhuma equipe no Brasil, o paulista Eduardo “Dudu” Lima, um dos principais nomes do motocross brasileiro na atualidade, decidiu aceitar um novo desafio em 2020: disputar a temporada completa do motocross mexicano.

E ele começou com o pé direito, vencendo a primeira rodada do nacional de motocross do referido país. O BRMX conversou com Dudu para saber mais sobre as expectativas em torno desta nova experiência em sua carreira. Confira!

 

Foto: @lucasprado.eu

 

Como surgiu a oportunidade de correr no motocross mexicano? É somente pré-temporada para as competições no Brasil? Ou você vai ficar toda a temporada 2020 aí?

A oportunidade surgiu após uma ligação do pai do Pepê Bueno, o Fábio. Ele estava com o contato dessa equipe do México e ele acabou passando para mim sabendo que eu estava sem equipe. Fiz essa primeira corrida como piloto convidado, mas sabendo da possibilidade de ficar o ano todo. E sim, vou fazer a temporada mexicana completa.

 

Foto: @borellapro

Que competições você está disputando e em qual categoria? E como foram seus resultados até aqui?

Até agora não teve nenhuma corrida de alto nível. Eu só fiz uma corrida, que foi a primeira etapa do Mexicano de Motocross. Venci na MX1.

 

Foto: @lucasprado.eu

Você está correndo de Suzuki, moto que há anos vemos muito pouco ou quase nunca nas competições aqui no Brasil. Como é a moto e como você têm se sentido com ela até agora?

Sim, como você acabou de dizer, é uma moto muito difícil de se ver no brasil. E eu não tive nenhum apoio das fábricas brasileiras para conseguir essa moto, o que dificultou muito o meu trabalho. Mas a moto é muito boa e eu estou muito feliz de estar andando com uma Suzuki, talvez foi a única moto que não fui piloto de fábrica até hoje. A mudança foi boa para mim, estou mais motivado.

 

Foto: @borellapro

Quem são seus patrocinadores / apoiadores aí no México?

Vou correr pela equipe oficial Suzuki do México. Os patrocinadores ainda não estão 100% acertados, mas em breve vou divulgar todos no meu Instagram.

 

Foto: @lucasprado.eu

E como você sentiu o nível das corridas e dos pilotos nesta primeira etapa disputada? Quais as principais diferenças em relação ao motocross aqui do Brasil?

O nível no México é bem forte, tem alguns pilotos norte-americanos, isso elevou bastante o nível do esporte no país. A maior diferença e talvez a que eu mais senti foi o tempo de prova, duas baterias de 20 minutos cada. Isso me atrapalhou bastante porque venho há anos treinando e correndo provas de 30 minutos. Uma corrida de 20 minutos é completamente diferente, mas dentro de todas as dificuldades que encontrei acho que consegui me sair muito bem, pois venci a prova.

 

Foto: @borellapro