De 350cc, Enzo Lopes passa por mais uma classificatória do Loretta Lynn 2017

lynn
Enzo Lopes correrá o SX Amador de Daytona na próxima semana – Foto: Gary Johnson

 

Enzo Lopes passou da primeira fase classificatória para o Loretta Lynn MX 2017 nas categorias Open Pro e 250A. O brasileiro já conseguiu a vaga na fase regional no Sudoeste, no começo de fevereiro, e no Noroeste, durante o fim de semana de Carnaval.

No sábado Enzo ficou com o primeiro lugar geral da categoria 250A, com parciais de 2-1, fazendo o melhor tempo de volta nas duas baterias. No domingo, competindo pela primeira vez com uma moto KTM 350 SX-F, disputou as duas baterias da categoria Open Pro, para pilotos com motos de até 450 cilindradas. Garantiu sua classificação com o segundo lugar na geral, com parciais de 2-2 nas baterias.

– Ainda estou me adaptando à nova moto, treinei com ela apenas duas vezes antes de ir para a corrida. Disputar a categoria Open Pro com uma moto de 350cc faz uma boa diferença, porque apesar da potência não ser muito maior que a da 250cc, você não precisa ser tão agressivo nas curvas, não precisa acelerar tanto como na 250cc – comentou Enzo sobre suas experiência de pilotar pela primeira vez uma moto de 350 cilindradas.

 

Resultados da classificatória

 

Desafio no Daytona Amateur Supercross

No próximo fim de semana, 4 e 5 de março, Enzo participa de mais uma classificatória no Texas (área Centro-Sul), já a caminho de Daytona, Flórida, onde o piloto disputará o Ricky Carmichael Daytona Amateur Supercross. A competição, que está em sua oitava edição, acontece nos dias 12 e 13 de março, logo após a nona etapa do AMA Supercross, na mesma pista idealizada por Ricky Carmichael.

 

Sobre o Campeonato Loretta Lynn

Loretta Lynn MX é a maior competição de motocross amador do mundo. Acontece anualmente desde 1982 no Rancho da cantora country Loretta Lynn, no estado do Tennessee, Estados Unidos.

O campeonato serve como base de lançamento para os maiores nomes do motocross e supercross profissional. Aconteceu assim com Ricky Carmichael, Ryan Villopoto e Ryan Dungey, entre tantos outros.

Seu sistema classificatório consiste, na primeira fase, de 57 provas (chamadas de classificatórias de área), e de 13 classificatórias regionais, de onde saem os melhores pilotos para o campeonato principal, em agosto.

Para garantir sua vaga no Loretta, o piloto precisa se classificar em pelo menos uma área e depois em uma regional, mas muitos pilotos competem em mais de uma classificatória de área e depois passam por mais de uma regional, já em preparação para os embates no Loretta.