Dakar 2019: brasileiros caem para a quarta posição na disputa dos UTVs

Yamaha
Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, com o Can-Am Maverick X3, em ação na oitava etapa do Rally Dakar 2019, no Peru

 

O sonho do bicampeonato do Rally Dakar ficou mais distante para a dupla Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, da equipe Monster Energy Can-Am.

Os brasileiros concluíram a etapa disputada nesta terça-feira, 15, entre San Juan de Marcona e Pisco, no Peru, na 15ª posição, caindo para o quarto lugar no ranking geral dos UTVs.

Os atuais campeões da prova, que estavam na liderança, agora possuem 1h22min55seg de desvantagem sobre os ponteiros, a dupla chilena Francisco Contardo e Álvaro Quintanilla, de acordo com os resultados extraoficiais.

Os competidores, bem como as 18 duplas mais bem classificadas do Rally Dakar, utilizam o UTV Can-Am Maverick X3 nas disputas.

Nesta oitava etapa, o trajeto incluiu 575 quilômetros de desafios – 360 deles de trechos cronometrados (especiais).

Varela e Gugelmin tiveram problemas na altura do quilômetro 96 da especial, quando passaram por um grande buraco que atingiu a suspensão do veículo.

A dupla ficou parada por cerca de uma hora e meia no local, até a chegada do UTV dos competidores Bruno Varela, filho de Reinaldo, e Maykel Justo, que tinham a peça de reposição e prestaram socorro.

– O título ficou mais distante. Mas o Rally Dakar é assim mesmo, um dia você está no céu, outro dia está no inferno – lamentou o navegador Gustavo Gugelmin.

– Estamos em quarto lugar agora, mas mesmo assim vamos acelerar em busca de melhores posições. Vamos atacar nesses dois últimos dias, andar de forma bem agressiva para recuperar o máximo possível – completou.

Gugelmin fez questão de ressaltar o bom desempenho na competição do Can-Am Maverick X3, modelo atual campeão da prova e grande destaque da categoria para UTVs.

– O incidente desta oitava etapa é algo normal, que acontece o tempo todo nas corridas. Mesmo com o impacto, após a substituição da peça, o Can-Am Maverick X3 seguiu perfeito, como de costume.

Nesta quarta-feira, 16, os competidores estão fazendo uma rota de 409 quilômetros, com saída e chegada em Pisco.

Serão percorridos 313 quilômetros de trechos cronometrados.

O último dia do roteiro está marcado para quinta-feira, 17, quando os campeões serão conhecidos na rampa de chegada na capital Lima, após mais de 5 mil quilômetros de desafios no total (cerca de três mil quilômetros de especiais).

Além de UTVs, a competição possui categorias para motos, carros, quadriciclos e caminhões.

 

Resultados da 8ª etapa (extraoficiais)

1 – #360 – Francisco Contardo / Álvaro Quintanilla (CHI) – 4:38:34 – Can-Am Maverick X3
2 – #398 – Cristian Baumgart / Alberto Andreotti (BRA) – 4:43:21 – Can-Am Maverick X3
3 – #358 – Gerard Guel / Daniel Carreras (ESP) – 4:48:38 – Can-Am Maverick X3
4 – #421 – Rodrigo Piazzoli / Jorge Diaz (CHI) – 4:51:21 – Can-Am Maverick X3
5 – #343 – Casey Currie (EUA) / Rafael Córdoba (ESP) – 4:53:09 – Can-Am Maverick X3

 

Classificação acumulada após oito etapas (resultados extraoficiais)

1 – #360 – Francisco Contardo / Álvaro Quintanilla (CHI) – 36:16:18 – Can-Am Maverick X3
2 – #421 – Rodrigo Piazzoli / Jorge Diaz (CHI) – 37:10:28 – Can-Am Maverick X3
3 – #358 – Gerard Guel / Daniel Carreras (ESP) – 37:24:27 – Can-Am Maverick X3
4 – #340 – Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin (BRA) – 37:39:13 – Can-Am Maverick X3
5 – #343 – Casey Currie (EUA) / Rafael Córdoba (ESP) – 38:19:48 – Can-Am Maverick X3

Yamaha