Conheça os detalhes sobre o roteiro do Rally dos Sertões 2013

Yamaha

* Texto assessoria de imprensa Honda Racing

Começa a contagem regressiva para o início das atividades do Rally dos Sertões, uma das maiores provas off-road do planeta e etapa do Campeonato Mundial de Rally Cross Country.

A 21ª edição da prova terá 4.157 quilômetros de percurso total, sendo o maior da história em trechos cronometrados – total de 2.578 km – no roteiro Goiânia-Goiânia, que passará por oito cidades dos estados de Goiás e Tocantins.

A Honda, que mais uma vez patrocina a maior competição off-road do mundo realizada em um único país, contará com uma equipe oficial. A Equipe Honda Mobil de Rali será representada por cinco pilotos: Jean Azevedo, Dário Júlio, Nielsen Bueno e os irmãos Guto e Ike Klaumann.

– Vai ser um rali bastante duro, principalmente na etapa Maratona, que vai somar cerca de 600 quilômetros na temida região do Jalapão, no Tocantins. Vai ser um grande teste de resistência para o equipamento e também para nós, pilotos – prevê Jean Azevedo, cinco vezes campeão da prova.
 
Dário Júlio espera surpresas na etapa entre Palmas,TO e Minaçu, em Goiás.

– Ali teremos muitas serras e vários tipos de piso. E os campeões de 2013 poderão ser definidos depois desse dia – disse. Dário foi vice-campeão no ano passado.

N no dia 23 de julho, têm início as verificações técnicas e administrativas de pilotos, navegadores, equipes e dos carros, motos, caminhões, quadriciclos e UTVs. Antes da largada é feita uma checagem de documentos e pagamentos das inscrições por parte das equipes e participantes.

O prólogo, que definirá a ordem de largada da primeira etapa, ocorrerá no dia 25 de julho na capital goiana. A prova de abertura será no dia seguinte, no trecho entre Goiânia e Pirenópolis, também em Goiás.

A Equipe Honda Mobil de Rali tem o patrocínio de Pirelli, ASW, BRC, Master & CIA, Oakley e SIG Visual.


:: Confira as etapas e os comentários da direção técnica da prova

 
1ª etapa: 25/07, quinta-feira
Goiânia, GO
Prólogo
 
2ª etapa: 26/07, sexta-feira
Goiânia, GO – Pirenópolis, GO
Deslocamento Inicial: 133 km
Trecho de Especial: 84 km
Deslocamento Final: 32 km
TOTAL: 249 km

– É uma especial bastante curta, específica para o ajuste dos equipamentos dos competidores nesta primeira etapa. É um caminho que começa sinuoso com muitos mata-burros, lombas e deps, seguindo por um trecho mais rápido e com travessias de riachos. A prova entra em uma parte mais travada com muitas descidas e subidas íngremes, chegando à uma zona de trial muito dura. Nos últimos quilômetros, a especial fica mais tranquila com estradas de média velocidade, seguindo assim até o final.

 
3ª etapa: 27/07, sábado
Pirenópolis, GO – Uruaçu, GO
DI: 37 km
TE: 287 km (183 km para caminhões)
DF: 89 km
TOTAL: 414 km

– O rali começa para valer. Após um rápido deslocamento, a especial começa com estradas mais travadas de fazendas, seguindo por trechos de velocidade média mesclando com algumas trilhas de visual incrível por cristas e serras. A prova entra em uma região de canaviais onde a velocidade aumentará muito e com um piso extremamente favorável a isso. Depois de um deslocamento por asfalto e um abastecimento para motos, quadriciclos e UTVs, a prova volta a ficar travada e assim segue até o fim.
 
4ª etapa: 28/07, domingo
Uruaçu, GO – Porangatu, GO
DI: 31 km
TE: 233 km (180 km para caminhões)
DF: 25 km
TOTAL: 289 km

– É uma etapa de quilometragem baixa, mas o ritmo continua a crescer. A especial começa com piso bom com velocidades variando de média a alta, alternando trechos de piçarra com estradas com cascalho. Entramos em um trecho com longas retas, mas onde o piso não ajuda muito. A especial começa a ficar travada e sinuosa com estradas de fazenda e trilhas, seguindo assim até o abastecimento de motos, quadriciclos e UTVs. Na última parte a prova fica travada, entrando nos 20 quilômetros finais com retas maiores com muitas deps e erosões.
 
5ª etapa: 29/07, segunda-feira
Porangatu, GO – Natividade, TO [Etapa maratona]
DI: 82 km
TE: 295 km (135 km para caminhões)
DF: 110 km
TOTAL 487 km

– Mais um dia completo. A especial começa por estradas menores com muitas erosões e deps em uma região montanhosa. Depois segue por um pequeno trecho de trial, e logo à frente começam estradas de piso bom e sinuoso, seguindo por partes de alta velocidade até o abastecimento de motos, quadriciclos e UTVs. Depois disso a especial volta a ter trechos bem travados e segue por vários quilômetros alternando estradas de pedra, areia e muita piçarra. No trecho final, ela fica bem rápida e sinuosa.
 
6ª etapa: 30/07, terça-feira
Natividade, TO – Palmas, TO
DI: 27 km
TE: 355 km (182 km para caminhões)
DF: 43 km
TOTAL: 424 km

– Esta é a etapa mais rápida do rali. Começa com estradas sinuosas com um piso predominantemente de piçarra e cascalho, seguindo por trechos de alta com longas retas. Teremos um pequeno trecho de areia até o abastecimento para os competidores CBM/FIM, e a prova continua rápida quebrando o ritmo por duas vezes, entrando em estradas menores e bastante sinuosas. Na parte final da especial, a prova volta a ficar rápida com um piso bom muito bom, até uma descida de serra, que encerra o trecho.

7ª etapa: 31/07, quarta-feira
Palmas, TO – Palmas, TO
DI: 109 km
TE: 514 km (142 km para caminhões)
DF: 123 km
TOTAL: 746 km

– Temos o dia mais longo do rali e uma das maiores especiais da história do Sertões. Ela é completíssima, com todos os tipos de terreno, iniciando com estradas de média velocidade com muitas erosões e deps, seguindo por trechos mais travados com muitas pedras, pontes de toras e areia. Travessias de rios e riachos serão uma constante nesta etapa fantástica. Seguiremos por estradas de cascalho com longas retas até entrarmos definitivamente nas areias do Jalapão. Teremos dois abastecimentos para motos, quadriciclos e UTVs e um abastecimento para os carros. A prova volta a ficar travada com um pequeno trecho de trial, seguindo sinuosa e com um piso melhor até o fim.

8ª etapa: 01/08, quinta-feira
Palmas, TO – Minaçu, GO
DI: 312 km
TE: 333 km (258 km para caminhões)
DF: 20 km
TOTAL: 666 km

– Depois de um longo deslocamento inicial, teremos mais uma especial de respeito. Começa rápida com piso de cascalho muito bom, seguindo por estradas menores e bem sinuosas, com muitas deps, lombas, riachos e pedras. Fica rápida novamente até o abastecimento. O piso continua rápido até chegarmos a uma região montanhosa com subidas muito íngremes, trechos de trial, visuais incríveis e uma longa descida de serra. O último trecho é bem travado, com várias pontes de toras, deps, trilhas e pedras até o final.

9ª etapa: 02/08, sexta-feira
Minaçu, GO – Goianésia, GO
DI: 32 km
TE: 264 km (231 km para caminhões)
DF: 253 km
TOTAL: 550 km

– Mais um dia para ficar na memória de todos os participantes, porque vai ser mais um estágio completíssimo. Começa com uma subida de serra sinuosa com deps e lombas, atravessando uma zona de garimpo e seguindo por um trecho muito rápido até o abastecimento das motos, quadris e UTVs. O piso fica travado com trilhas e caminhos menores, passando por estradas de fazenda, direcionando para a última parte da prova com velocidades mais altas, mas com muitas lombas até o fim.

10ª etapa: 03/08, sábado (Final)
Goianésia, GO – Goiânia, GO
DI: 7 km
TE: 123 km
DF: 160 km
TOTAL: 290 km

– Após oito etapas duríssimas, chegou a hora de desacelerarmos um pouco. A especial começa rápida por canaviais com piso extremamente bom e muitas lombas, seguindo por trechos de serra com visuais fantásticos e retornando para estradas de fazenda com muitas deps e pedras até o final da especial.

Total de trechos especiais (cronometrados): 2.488 km
Total de prova: 4.115 km   
60% de trechos cronometrados

Yamaha