Confira o resultado final do ranking do motocros brasileiro em 2012, unindo Brasileiro de MX e Superliga Brasil de MX


Carlos Campano foi o \”rei\” do motocross brasileiro em 2012. Ganhou 18 das 28 baterias realizadas – Foto: Elton Souza /  BRMX

Depois a extinção da Superliga Brasil de Motocross, o assunto “união entre Brasileiro e Liga” voltou às mesas de discussão do motocross brasileiro.

Na opinião da maioria, inclusive dos pilotos entrevistados, o ideal para o Brasil seria um campeonato com dez ou doze etapas, assim como os “campeonatos modelo” – AMA MX e Mundial MX. Se SLBMX e BrasileiroMX fossem um campeonato só em 2012, teriam acontecido 14 rodadas com 28 baterias disputadas na principal classe – MX1/MX Pró.

O BRMX se adiantou e desde o início da temporada calculou um ranking com os campeonatos unificados. Fica a título de curiosidade, mas também traz uma projeção do que teria acontecido dentro das pistas se o Brasil vivesse uma “supertemporada”.

Vale lembrar que mesmo unindo os dois campeonatos, a participação de pilotos na principal categoria foi baixa. Apenas nove atletas se dedicaram integralmente aos campeonatos, e por isso o ranking só contabiliza estes pilotos.

O espanhol Carlos Campano foi soberano com 90% de aproveitamento nas 14 etapas e Antonio Jorge Balbi Junior o melhor brasileiro, com 74% de aproveitamento. Campano ganhou 18 das 28 baterias, enquanto seu principal concorrente no ano, Adam Chatfield, ganhou quatro corridas.

Confira os números!

:: Ranking Super Campeonato Brasileiro de Motocross
1) Carlos Campano – 630 pontos
2) Adam Chatfield – 583 pontos
3) Balbi Junior – 524 pontos
4) Leandro Silva – 452 pontos
5) Wellington Garcia – 430 pontos
6) Jean Ramos – 401 pontos
7) Marcello “Ratinho” Lima – 344 pontos
8) Humberto “Machito” Martin – 326 pontos
9) Roosvelt Assunção – 193 pontos
Clique para ver o ranking detalhado

Vitórias em baterias
Carlos Campano – 18 baterias
Adam Chatfield – 4 baterias
Balbi Junior – 2 baterias
Leandro Silva – 2 baterias
Wellington Garcia – 2 baterias