Cine BRMX #4 – Diários de Motocicleta

 

“Viajar por viajar”

Divulgação

 

Imagine uma viagem com mais de 12.000 km em uma moto e com teu melhor amigo. Imagine que essa viagem vai mudar o rumo da tua vida pra sempre. Diários de Motocicleta é um Road Movie (filme de viagem), uma película argentina, dirigido pelo brasileiro Walter Salles, o mesmo diretor de Central do Brasil.

O filme conta a história de Ernesto Guevara (Gael García Bernal), o Che Guevara!, e seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de la Serna, o Palermo da famosa série espanhola La Casa de Papel). Ernesto deixa de lado o último semestre de medicina para viajar com o amigo em uma motocicleta, de Buenos Aires até Caracas na Venezuela, passando por Chile, Peru e Colômbia (essa é a rota da viagem que aconteceu de fato).

Os amigos vivem uma grande aventura na estrada, com pouco dinheiro, passando fome, enfrentando o frio de Bariloche, conhecendo pessoas e arrumando encrenca com a mulher do próximo. Um filme que te dá vontade de mandar uma mensagem pra aquele teu brother, convidando pra uma viagem sobre duas rodas. Falando em rodas, os dois se ferram com a “La Poderosa”, que era como eles chamavam a moto, sofrem acidentes, passam diversos perrengues, até que abandonam a motocicleta Norton de 500cc, e seguem viagem pegando caronas, caminhando e atravessando rios em balsas.

 

Mapa viagem de Ernesto Guevara e Alberto Granado. Fonte: futurismólogo.blogspot.com

 

Você vai assistir um filme de aventura que também é político. Contém diversas cenas simbólicas que representam a injustiça e a desigualdade social na América Latina, motivos que fizeram Che Guevara ser quem foi. É uma obra que ganha pontos em todos os aspectos técnicos: som, fotografia, trilha sonora, roteiro, elenco etc. Sou suspeito falar porque gosto muito da filmografia argentina.

Por isso, recomendo muito você assistir Diários de Motocicleta, e deixo aqui duas versões pra você assistir, uma dublada em português e outra com som original em espanhol (que vale mais a pena e é tranquilo de compreender). Também quero destacar que só assisti esse filme por indicação do Mau Haas, editor chefe deste portal que vocês tanto amam, e que completa 10 anos neste mês de abril de 2020.

 

Assista ao filme

 

 

Conheça mais sobre a história

Diários de Motocicleta é uma ficção baseada em fatos escritos no livro de memórias homônimas com o mesmo nome, com autoria de Ernesto Guevara. O estudante de medicina com 23 anos, e seu amigo Alberto Granado, bioquímico de 29 anos, partem de Buenos Aires, Argentina, em janeiro de 1952 em uma moto apelidada de “La Poderosa”. Eles desejavam explorar a América do Sul que conheciam somente pelos livros, e aproveitaram para comemorarem seus aniversários na estrada.

Alberto Granado (esquerda) com Ernesto Guevara (à direita) a bordo de sua jangada “Mambo-Tango” no rio Amazonas, em junho de 1952.

Ernesto Guevara (esquerda) segurando o guidão da Norton 500cc monocilíndrico.

Alberto Granado e a motocicleta da jornada, em 2011. Ele serviu como consultor para o longa dirigido por Walter Salles.

Sinopse: O filme narra a expedição de 1952, inicialmente por moto, em toda a América do Sul por Che Guevara (Gael García Bernal) era um jovem estudante de Medicina que, em 1952, decide viajar pela América do Sul com seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de la Serna). A viagem é realizada em uma moto, até que a moto quebra. Eles então passam a seguir viagem através de caronas e caminhadas, sempre conhecendo novos lugares.
Durante a viagem Ernesto Guevara e Alberto Granado percorrem:
Argentina: Buenos Aires, Miramar, Piedra del Águila, San Martin de los Andes, Lago Frías (Río Negro).
Chile: Temuco, Los Ángeles, Valparaíso, Deserto do Atacama.
Peru: Cuzco, Lima, Pucallpa, San Pablo.
Colômbia e Caracas – Venezuela.
A viagem vai de 4 de janeiro de 1952 a 26 de julho de 1952 e eles percorrem mais 12.425 km
Cartaz Divulgação do filme (2004)

Quem foi Che Guevara?

Ernesto Guevara foi um revolucinário marxista, médico, guerrilheiro, autor, diplomata e teórico militar argentino. Foi figura importante na Revolução Cubana, seu rosto estilizado tornou-se um símbolo popular e contracultural de rebeldia. Morreu com 39 anos, em 9 de outubro de 1967, na Bolívia.

Fontes que me ajudaram em algumas informações: Aqui e Wikipedia.