CBM emite nota de esclarecimento sobre problemas da segunda etapa do Brasileiro de Motocross 2014

CBM emite nota de esclarecimento
Segurança dos pilotos foi o ponto mais discutido da rodada – Foto: Mau Haas / BRMX

 

O presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), Firmo Alves, emitiu uma nota nesta quinta-feira, 5, falando sobre os problemas ocorridos durante a segunda etapa do Brasileiro de Motocross 2014, realizada nos dias 31 de maio e 1º de junho, em Pedra Bonita, Minas Gerais. Leia o texto na íntegra:

 

Nota de esclarecimento – 2ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross

A CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) vem por meio desta esclarecer sobre os contratempos ocorridos na 2ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, realizada em Pedra Bonita (MG), no último fim de semana,  31 de maio e 1 de junho.

A segurança dos pilotos sempre é tida como prioridade para a CBM. Este é o primeiro item que a entidade analisa ao planejar uma prova. Apesar da distância da pista de Pedra Bonita até um hospital com estrutura não ser tão grande, cerca de 40 km, entendemos que por causa das condições da estrada precisaríamos de um meio mais ágil de resgate.

Apesar do imprevisto conseguimos disponibilizar um helicóptero UTI para a prova no domingo. A aeronave já deveria fazer o atendimento no sábado, mas infelizmente não ocorreu como o planejado. A CBM não mediu esforços para cumprir a programação do sábado, prova disso é que dois helicópteros foram viabilizados, no entanto os únicos dois helicópteros disponíveis locados não tinham tamanho suficiente para fazer a remoção do piloto e o UTI só estaria disponível para o domingo, por isso a decisão de adiar a programação do sábado para o domingo. Mesmo nos dias de hoje é difícil encontrar à disposição um helicóptero UTI para locação.

No domingo conseguimos fazer a prova com dois helicópteros, sendo um para resgate simples e outro UTI, com equipe completa. Além disso, tivemos ainda seis ambulâncias, quatro de remoção e duas UTI.

Infelizmente os investimentos no motociclismo ainda são baixos para a execução de provas do porte do Campeonato Brasileiro de Motocross. Para realizar as etapas, a CBM precisa do apoio de terceiros que sediam a competição. Muitas vezes, nem tudo o que é acordado é cumprido. No entanto, a Confederação buscou solucionar o caso para respeitar o seu compromisso e não prejudicar equipes e pilotos.

A CBM tem buscado fazer o melhor. Se os envolvidos no esporte analisarem a temporada 2013, poderão notar que o Campeonato vem em uma crescente. Fechamos o calendário no ano passado em Senador Canedo (GO) e abrimos a competição este ano em Três Lagoas (MS) da forma que buscamos executar todas as etapas. Nas duas provas citadas tudo ocorreu como gostaríamos. Conseguimos disponibilizar boa estrutura de box para pilotos e equipes e uma pista de bom nível técnico.

A intenção da Confederação sempre é e será a melhor para o esporte. Trabalhamos para conseguir melhorar cada vez mais. Mas infelizmente, como já dito, por falta de recursos, às vezes somos submetidos a algumas condições para cumprir com as oito etapas da Temporada. A prova de Pedra Bonita não foi como os pilotos gostariam, apesar da pista diferenciada e do belo local, típico do motocross, muito menos como a  CBM  gostaria. Primamos pela qualidade e esperamos que daqui para frente consigamos executar as etapas com um alto nível técnico, de segurança e de estrutura.

Firmo Henrique Alves – presidente da CBM