Cairoli e Tonus vencem GP Brasil do Mundial de Motocross 2014

Yamaha
cairolivence
Cairoli venceu as duas baterias da MXGP – Foto: Mau Haas / BRMX

 

O italiano Antonio Cairoli e o suíço Arnaud Tonus foram os grandes nomes neste domingo, 30, do GP Brasil de Motocross, válido pela terceira etapa do Mundial de Motocross 2014. O heptacampeão venceu pelo segundo ano consecutivo a prova brasileira, realizada pela terceira vez em Penha, Santa Catarina, no Beto Carrero World. Já Tonus se aproveitou da ausência de Jeffrey Herlings, bicampeão da MX2 e até então líder da competição, e garantiu sua primeira vitória na carreira.

Outro destaque foi o clima. Prevista desde o início da semana, a chuva até apareceu, porém de forma fina e sem prejudicar o evento. Na pista, os pilotos de mais de 20 países tiveram que lidar com duas situações: circuito seco e molhado, o que deu mais emoções às baterias.

>>> Confira a classificação do campeonato!
>>> VÍDEO: melhores momentos
>>> VÍDEO: tombos

>>> VÍDEOS: pegas

Com o resultado, Cairoli, da Red Bull KTM, aumentou a vantagem na liderança da MXGP diante de Gautier Paulin, da Monster Energy Kawasaki. O italiano possui 142 pontos contra 112 do francês, que finalizou o dia em quarto.

Na MX2, comemoração efusiva do suíço de 22 anos, que além de vencer pela primeira vez uma prova no Mundial de Motocross, assumiu a primeira posição no campeonato. O piloto da CLS Kawasaki Monster Energy tem 112 pontos, seguido de Glenn Coldenhoff, da Rockstar Energy Suzuki Europe, com 110. Herlings perdeu três posições na classificação geral e caiu para o quarto lugar, com 97 pontos.

 

Cairoli sobra nas duas baterias da MXGP

MXGP 2014 - Brasil -domingotardeMau-42
Cairoli se concentrando pro show! – Foto: Mau Haas / BRMX

 

Na primeira bateria, Antonio Cairoli mostrou porque já venceu sete vezes o Mundial e é o atual líder do ranking. Com alta performance, o piloto sobrou na pista. Largou na quarta colocação, mas na quinta das 16 voltas da prova assumiu a liderança. Chegou abrir 15 segundos do segundo colocado, o belga Jeremy van Horebeek, da Yamaha Factory. Em terceiro lugar finalizou outro belga, Clement Desalle, da Rockstar Energy Suzuki.

O melhor brasileiro foi Balbi Junior, da Pro Tork 2B Kawasaki, em 18º. Mas era Carlos Campano o piloto local que mais impressionava. Após largar em 15º, o piloto da Yamaha Grupo Geração ganhou posições e chegou a brigar pelo 11º posto com Rui Gonçalves. Porém, quando Campano tentava a ultrapassagem no português, acabou caindo e abandonando a prova.

– Estava me sentindo bem, girando tão rápido quanto os pilotos que estavam na minha frente e achava que poderia chegar em oitavo no fim da bateria. Mas caí na hora que iria ultrapassar Gonçalves e senti uma dor forte no joelho. Cheguei a pensar que tinha machucado a perna de novo. Tomei um susto. Por isso, para não colocar nada em risco, resolvi não correr a segunda bateria – disse o espanhol.

Já na segunda bateria, novo domínio do italiano. Cairoli largou em terceiro e, com calma e tranquilidade, fez as ultrapassagens sobre Clement Desalle (para assumir o segundo lugar) e Gautier Paulin (que liderou a primeira parte da prova). Sob chuva fina, ele chegou 5,2 segundos à frente do francês Gautier Paulin na bandeirada final. Mais uma vez, Balbi foi o representante nacional que saiu melhor, em 20º.

– Depois de um sábado horrível, demos a volta por cima, fazendo um bom trabalho. Consegui andar próximo de alguns estrangeiros, briguei por posições, enfim, foi um grande aprendizado e treino para o Brasileiro, que inicia no próximo mês. Meus principais adversários do nacional estavam aqui, então, deu para ter noção do que irei enfrentar nesta temporada. Me sinto confiante para brigar pelo título de 2014 – disse Balbi.

 

MXGP – bateria 1
1. Antonio Cairoli, ITA, KTM
2. Jeremy van Horebeek, BEL, Yamaha
3. Clement Desalle, BEL, Suzuki
4. Max Nagl, ALE, Honda
5. Evgeny Bobryshev, RUS, Honda
6. Gautier Paulin, FRA, Kawasaki
7. Todd Waters, AUS, Husqvarna
8. Joel Roelants, BEL, Honda
9. David Philippaerts, ITA, Yamaha
10. Rui Gonçalves, POR, Yamaha
11. Jake Nicholls, GBR, KTM
12. Xavier Boog, FRA, Honda
13. Kevin Strijbos, BEL, Suzuki
14. Steven Frossard, FRA, Kawasaki
15. Shaun Simpson, GBR, KTM
16. Davide Guarneri, ITA, TM
17. Pascal Rauchenecker, AUT, Husqvarna
18. Balbi Junior, BRA, Kawasaki
19. Tanel Leok, EST, TM
20. Matiss Karro, LAT, KTM
21. Jean Ramos, BRA, Honda
22. Herjan Brakke, NED, Kawasaki
23. Klemen Gercar, SLO, Honda
24. Thales Vilardi, BRA, Yamaha
25. Rafael Faria, BRA, Yamaha
26. Richard Berois, BRA/URU, KTM
Carlos Campano, Julien Bill e Anderson Cidade não terminaram a prova

 

MXGP – bateria 2
1. Antonio Cairoli, ITA, KTM
2. Gautier Paulin, FRA, Kawasaki
3. Clement Desalle, BEL, Suzuki
4. Jeremy van Horebeek, BEL, Yamaha
5. Max Nagl, ALE, Honda
6. Kevin Strijbos, BEL, Suzuki
7. Rui Gonçalves, POR, Yamaha
8. Matiss Karro, LET, KTM
9. Steven Frossard, FRA, Kawasaki
10. Todd Waters, AUS, Husqvarna
11. Joel Roelants, BEL, Honda
12. Xavier Boog, FRA, Honda
13. Shaun Simpson, GBR, KTM
14. David Philippaerts, ITA, Yamaha
15. Jake Nicholls, GBR, KTM
16. Davide Guarnieri, ITA, TM
17. Tanel Leok, EST, TM
18. Herjan Brakke, NED, Kawasaki
19. Augusts Justs, LAT, Husqvarna
20. Balbi Junior, BRA, Kawasaki
21. Jean Ramos, BRA, Honda
22. Evgeny Bobryshed, RUS, Honda
23. Anderson Cidade, BRA, Yamaha
24. Thales Vilardi, BRA, Yamaha
25. Richard Berois, BRA/URU, KTM
26. Pascal Rauchenecker, AUT, Husqvarna
27. Rafael Faria, BRA, Yamaha
28. Julien Bill, SUI, Honda
29. Klemen Gercar, SLO, Honda
Carlos Campano não largou na segunda bateria. Preferiu se poupar para o Brasileiro MX.

 

MXGP – Soma das baterias
1. Antonio Cairoli
2. Clement Desalle
3. Jeremy Van Horebeek
4. Gautier Paulin
5. Max Nagl
6. Rui Golçalves
7. Todd Waters
8. Kevin Strijbos
9. Joel Roelants
10. Steven Frossard
11. David Philippaerts
12. Xavier Boog
13. Jake Nicholls
14. Evgeny Bobryshev
15. Matiss Karro
16. Shaun Simpson
17. Davide Guarnieri
18. Tanel Leok
19. Antonio Balbi
20. Pascal Rauchenecker
21. Herjan Brakke
22. Augusts Justs
23. Jean Ramos
24. Anderson Cidade
25. Thales Vilardi
26. Richard Berois
27. Rafael Faria
28. Julien Bill
29. Klemen Gercar
30. Carlos Campano

 

Tonus e Coldenhoff vencem na MX2

tonus
Arnaud Tonus – Foto: Mau Haas / BRMX

 

Com técnica apurada e estilo agressivo, o suíço Arnaud Tonus venceu de ponta a ponta a primeira bateria da MX2. A superioridade foi tamanha que Tonus cruzou a linha de chegada com 13,6 segundos de vantagem para o segundo colocado, seu companheiro de equipe, o francês Dylan Ferrandis. Na terceira colocação finalizou outro francês, Romain Febvre, da Wilvo Nestaan Husqvarna. O melhor brasileiro foi Rodrigo Lama, em 19º lugar.

Na prova seguinte, Glenn Coldenhoff saiu com a vitória. O holandês completou a corrida com pouco mais de sete segundos de vantagem para Tonus, o segundo colocado. Já o terceiro lugar foi de eslovaco Tim Gajser, da Honda Gariboldi. Hector Assunção, da Honda Mobil, chegou a andar entre os 11 primeiros, porém acabou na 17ª colocação e, assim, foi o melhor brasileiro da MX2 no fim de semana.

– É bom sair como melhor brasileiro da categoria, mas sei que poderia conseguir mais. Fiquei satisfeito com meu desempenho na segunda corrida, porque andei por algum tempo no ritmo dos estrangeiros. Deu para sentir a pegada deles e levarei mais esta experiência na minha carreira – contou Hector.

 

MX2 – bateria 1
1. Arnaud Tonus, SUI, Kawasaki
2. Dylan Ferrandis, FRA, Kawasaki
3. Romain Febvre, FRA, Husqvarna
4. Max Anstie, GRB, Yamaha
5. Glenn Coldenhoff, HOL, Suzuki
6. Aleksadr Tonkov, RUS, Husqvarna
7. Valentin Guillod, SUI, KTM
8. Petar Petrov, BUL, Yamaha
9. Jose Butron, ESP, KTM
10. Jeremy Seewer, SUI, Suzuki
11. Tim Gajser, ESL, Honda
12. Jordi Tixier, FRA, KTM
13. Julien Lieber, BEL, Suzuki
14. Luke Styke, AUS, Yamaha
15. Mel Pocock, GBR, KTM
16. Roberts Justs, LAT, Husqvarna
17. Thomas Covington, USA, Kawasaki
18. Kei Yamamoto, JPN, Honda
19. Rodrigo Lama, BRA, TM
20. Magne Klingsheim, NOR, Yamaha
21. Anderson Amaral, BRA, Kawasaki
22. Fabinho Santos, BRA, Honda
23. Viacheslav Golovkin, RUS, KTM
24. Endrews Armstrong, BRA, Honda
25. Caio Lopes, BRA, Honda
26. Alessandro Lupino, ITA, Kawasaki
27. Maxime Desprey, FRA, Honda
28. Livia Lancelot, FRA, Kawasaki
Após cair na largada com Anderson Amaral, Hector Assunção não terminou a prova.

 

MX2 – bateria 2
1. Glen Coldenhoff, HOL, Suzuki
2. Arnaud Tonus, SUI, Kawasaki
3. Tim Gajser, ESL, Honda
4. Max Anstie, GRB, Yamaha
5. Valentin Guillod, SUI, KTM
6. Jeremy Seewer, SUI, Suzuki
7. Aleksandr Tonkov, RUS, Husqvarna
8. Alessandro Lupino, ITA, Kawasaki
9. Jose Butron, ITA, KTM
10. Dylan Ferrandis, FRA, Kawasaki
11. Romain Febvre, FRA, Kawaaki
12. Jordi Tixier, FRA, KTM
13. Mel Pocock, GBR, KTM
14. Luke Styke, AUS, Yamaha
15. Julien Lieber, BEL, Suzuki
16. Roberts Justs, LAT, Husqvarna
17. Hector Assunção, BRA, Honda
18. Magne Klingsheim, NOR, Yamaha
19. Kei Yamamoto, JPN, Honda
20. Rodrigo Lama, BRA, TM
21. Fabio Santos, BRA, Honda
22. Viacheslav Golovkin, RUS, KTM
23. Caio Lopes, BRA, Honda
24. Thomas Covington, USA, Kawasaki
25. Endrews Armstrong, BRA, Honda
26. Petar Petrov, BUL, Yamaha
27. Maxime Desprey, FRA, Honda

 

MX2 – Soma das baterias
1. Arnaud Tonus
2. Glenn Coldenhoff
3. Max Anstie
4. Dylan Ferrandis
5. Tim Gajser
6. Valentin Guillod
7. Romain Febvre
8. Aleksandr Tonkov
9. Jeremy Seewer
10. Jose Butron
11. Jordi Tixier
12. Mel Pocock
13. Luke Styke
14. Julien Lieber
15. Alessandro Lupino
16. Petar Petrov
17. Roberts Justs
18. Kei Yamamoto
19. Hector Assunção
20. Magne Klingsheim
21. Thomas Covington
22. Rodrigo Lama
23. Fabio Santos
24. Viacheslav Golovkin
25. Caio Lopes
26. Endrews Armstrong
27. Anderson Amaral
28. Maxime Desprey
29. Livia Lancelot

Yamaha