Brasileiros conhecem percurso do International Six Days Enduro 2017

Collet e Pellin no reconhecimento

 

A equipe brasileira está na França para a disputa do International Six Days Enduro (ISDE) 2017. Os pilotos da Sacramento Racing, Gustavo Pellin e Diego Colett, chegaram antes e aproveitaram para caminhar pelo percurso e conhecer melhor os desafios que os aguardam em Brive-la-Gaillarde.

Com a presença de 700 competidores de diversas nacionalidades, o ISDE é considerado a Copa do Mundo da modalidade e será realizado entre os dias 28 de agosto e 2 de setembro.

– Está tudo muito bem organizado, tudo indica que a prova vai ser perfeita. O paddock é enorme e cada país tem o seu lugar indicado. A estrutura é gigantesca, com a presença de todas as grandes Seleções e fábricas do motociclismo. Há uma enorme quantidade de motorhomes estacionados, o público europeu tem essa cultura e vai comparecer em peso – relatou Pellin, atual bicampeão brasileiro de Enduro FIM (classe E3).

A Seleção Brasileira está de volta ao evento após 14 anos de ausência e ainda conta com os pilotos Bruno Crivilin, do Espírito Santo, e Rômulo Bottrel, de Minas Gerais. O quarteto acelera as motocicletas KTM na prova, que é destaque do calendário mundial off-road desde 1913. A primeira impressão em solo francês foi bastante positiva.

Serão seis dias de prova e muitos desafios, como mostra Colett.

– Só de caminhar pelas especiais (trechos cronometrados) a gente já percebe que vai ser divertido de acelerar. O chão é diferente, mas não escorrega, e apenas com a passagem de uma moto já formou canaletas. Imaginem como vai ser no dia da prova. A gente também viu que vão aparecer raízes no percurso e haverá pontos de altas velocidades, trechos acidentados e poucas pedras – contou o campeão nacional de Enduro FIM em 2012 (E2).

Pellin trouxe ainda mais detalhes.

– Há especiais com bastante single track no meio do mato, além de locais mais abertos, em gramados. A gente caminhou pelo percurso que irá receber as provas dos dois primeiros dias e, em seguida, cumpriu a pé o roteiro do quarto e do quinto dias de prova – explicou.

De acordo com o piloto, o clima dos bastidores está tranquilo.

– Chegamos com certa antecedência, justamente para ter tempo de conhecer o máximo possível sobre o desafio. Na hora em que todos estivermos concentrados para a largada, com certeza o coração vai bater mais forte – concluiu.