Balbi Junior, Wellington Garcia, Jean Ramos e Thales Vilardi são pré-selecionados pela CBM para representar o Brasil no Motocross das Nações 2013

Jean Ramos está entre AMA SX 2014 e MXoN 2013 – Fotos: Mau Haas / BRMX

Durante a terceira etapa do Brasileiro de Motocross 2013, em Sorriso, Mato Grosso, a CBM convidou Balbi Junior, Wellington Garcia, Jean Ramos e Thales Vilardi para representar o Brasil no MXoN deste ano, que acontecerá no fim de setembro, na Alemanha. 

Em uma reunião realizada na sexta-feira, 20 junho, com os pilotos e membros de suas equipes, a CBM informou as condições do convite.

As equipes terão que bancar integralmente a participação de seus pilotos, bem como organizar toda viagem, com hotel, transporte, alimentação, itinerário, e tudo mais. Além disso, terão que arcar com a passagem de um integrante da equipe da CBM.

O BRMX entrou em contato com representantes dos principais patrocinadores destes pilotos para saber se há interesse em mandar seus atletas para a Alemanha.

De acordo com levantamento prévio, para mandar um piloto (e seu mecânico) correr o Nações na Europa custa entre 30 e 50 mil reais. Isso para fazer as coisas bem feitas, com aluguel de uma moto “top”. 

As empresas ainda não tomaram a decisão final, mas devem dar a resposta definitiva para a CBM no dia 13 de julho, durante a quarta etapa do Brasileiro de Motocross, em Aracaju, Sergipe.

Segundo informou Wellington Valadares, chefe da equipe Honda, assim que a fábrica decidir, irá se pronunciar através da assessoria de imprensa.

– A X Motos do Brasil está analisando possibilidades, inclusive a de unir forças com outros parceiros. O Jean tem o projeto de participar do AMA SX novamente em 2014 e isso deve ser levado em conta. O orçamento para correr o Nações é alto. Estamos pensando, tentando achar uma solução que seja viável – define Cale Neto, diretor de competições da X Motos.

A Pro Tork se dispõe a arcar com as despesas de Balbi desde que o projeto seja \”com os melhores pilotos do Brasil\”, de nível equivalente ao do Balbi, conforme explicou Eduardo Appel, diretor da Broop, empresa de marketing que gerencia a pasta da fábrica paranaense.

Balbi iria para seu sexto MXoN na carreira – Foto: Mau Haas / BRMX

Os pilotos estão contentes com a possibilidade e, de forma generalizada, entendem que este é o jeito mais fácil de mandar os melhores do país para a competição.

– Fiquei feliz com o convite, feliz por poder representar a equipe, mas é um custo alto. Acredito que seria importante para o país ter os melhores pilotos lá. E também acredito que meus patrocinadores, até mesmo pelo histórico, estarão dispostos a me colocar lá – diz Balbi Junior, que participaria pela sexta vez da competição (esteve em 2007/EUA, 2008/Inglaterra, 2009/Italia, 2010/EUA e 2011/França).

– Tenho interesse de ir. Estou bem fisicamente e psicologicamente. Achei ótimo a maneira como escolheram. Mas tenho que esperar a definição da Honda. Meu contrato é apenas para as competições nacionais – diz Wellington Garcia, que iria para o seu quarto MXoN (participou em 2007, 2008 e 2009).

– Levantamos os custos e passamos para o patrocinador. Tenho vontade de ir. Todo piloto gostaria de estar lá. Mas tem o projeto do AMA SX também – diz Jean Ramos, que foi ao Nações em 2008, na Inglaterra, mas ficou no “banco de reservas”.

– Depois de Sorriso ninguém falou mais nada. Tenho que esperar a equipe decidir. Meu pai até já perguntou, mas ainda não temos nenhuma resposta. O que foi proposto é bom, cada um pode andar com sua moto e seu patrocínio, o que é justo – diz Thales, que seria o único “representante nato” da MX2. Thales chegou a viajar para o MXoN de 2010, nos EUA, mas não competiu porque estava machucado.

Thales Vilardi foi ao Nações em 2010, mas não correu porque estava machucado

O Motocross das Nações 2013 será realizado no dia 29 de setembro, em Teutschenthal, pista de solo duro na Alemanha.