Balbi e Thales falam da expectativa para o GP Brasil do Mundial de Motocross 2013

Balbi Junior disputará vaga na MX1 – Foto: Marco Dotto / BRMX

Com menos de um mês para o GP Brasil de Motocross, marcado para os dias 18 e 19 de maio, em Penha, Santa Catarina, no Parque Beto Carrero World, o novo formato de corridas misturando MX1 e MX2 gera grande expectativa.

O BRMXfalou sobre o assunto e repercutiu com os pilotos brasileiros da MX2 na época que a Youthstream anunciou as mudanças. Inicialmente, a YS previa apenas baterias híbridas, e depois voltou atrás e manteve as classificatórias e pelo menos uma bateria individual de cada classe. Leia mais na matérias relacionadas ao lado.

Na última sexta-feira, 26, a assessoria de imprensa da Romagnolli Promoções e Eventos, organizadora do GP, também divulgou texto tratando do assunto.

Cada categoria disputará separadamente no sábado um treino livre, treino pré-classificatório e corrida classificatória. Já no domingo, haverá o warm-up, uma bateria da MX1 e outra da MX2, repescagem e a Super Final. Esta corrida, que terá duração de 35 minutos mais duas voltas, reunirá 40 pilotos, sendo os 20 melhores de cada classe.

Participam da Super Final os 10 melhores ranqueados no campeonato da MX1 e MX2 e os oito mais bem colocados na primeira bateria de cada categoria (sem contar os 10 primeiros na classificação geral de cada categoria, então já classificados). Além disso, os dois primeiros colocados de cada classe na repescagem correrão a bateria final.

Para Antonio Jorge Balbi Júnior, experiente piloto da MX1 com participações no Mundial de Motocross, Motocross das Nações, AMA Supercross e Motocross, e um dos postulantes a vaga brasileira na etapa, esta novidade elevará o nível da prova.

– Este novo formato é um grande desafio para todos os pilotos brasileiros. Para mim não é diferente, será uma motivação a mais. Teremos que lutar até o fim para conseguir correr a Super Final – diz o mineiro.

– Venho este ano bastante focado e bem fisicamente para conquistar um bom resultado. Meu objetivo é terminar as baterias na zona de pontuação do campeonato. Antes do GP Brasil, vou aos EUA para treinar e me preparar ainda mais. Estou confiante – complementa.

Piloto da categoria MX2 e em boa fase na temporada, o paulista Thales Vilardi aborda a possível oportunidade de correr ao lado de feras do motocross mundial e do aprendizado na prova unificada.

– Será uma ótima aula para os pilotos brasileiros da MX2. Teremos em uma única corrida grandes nomes estrangeiros das duas categorias. É um ótimo estudo. Espero fazer parte disso e poder desfrutar este momento – afirma.

O Honda GP Brasil de Motocross é uma realização da Romagnolli Promoções e Eventos, Federação Internacional de Motociclismo (FIM) e Youthstream. Patrocínio: Governo do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Esporte e Turismo, Fesporte e Mobil. Co-patrocínio: Prefeitura Municipal de Penha, Pirelli, Yamaha, X Motos, IMS Racing e Iveco. Apoio: Beto Carrero World, Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM) e Revista da Moto!

:: Confira a programação do evento

Sábado – 18/5
Treino livre MX2 (35 minutos): 9h30 às 10h05
Treino livre MX1 (35 minutos): 10h15 às 10h50
Treino pré-classificatório MX2 (30 minutos): 13h15 às 13h45
Treino pré-classificatório MX1 (30 minutos): 14h às 14h30
Corrida classificatória MX2 (20 minutos mais duas voltas): 15h45
Corrida classificatória MX1 (20 minutos mais duas voltas): 16h35

Domingo – 19/5
Warm-up (20 minutos) MX2: 9h às 9h20
Warm-up (20 minutos) MX1: 9h30 às 9h50
Corrida MX2: (35 minutos mais duas voltas): 12h10
Corrida MX1: (35 minutos mais duas voltas): 13h10
Repescagem MX1 + MX2 (20 minutos mais duas voltas): 14h30
Super Final MX1 + MX2 (35 minutos mais duas voltas): 16h10

*Horários das provas podem ser alterados pela organização

:: Informações da Super Final
(Máximo de 40 pilotos; 20 da MX1 e 20 da MX2):

– Os dez melhores do campeonato da MX1 e da MX2 (nota de corte será em relação a classificação geral do campeonato após a sexta etapa)
– os oito melhores pilotos da corrida da MX1 (excluindo os dez melhores do campeonato, que já estarão classificados) e da MX2 (excluindo os dez melhores do campeonato, que já estarão classificados)
– Os dois melhores pilotos da MX1 e da MX2 na Repescagem