Ator Matheus Abreu participa do Enduro da Independência 2020

Intérprete do “Tato” da novela Malhação vai acelerar a Honda CRF 250F durante os quatro dias da tradicional competição off-road do país – Foto: Janjão Santiago

 

A 38ª edição do Enduro da Independência conta com a participação do ator Matheus Abreu. Atualmente no ar, na TV Globo, como o “Tato” da novela “Malhação: Viva a Diferença”, que está sendo reprisada, o mineiro de 23 anos é um apaixonado por off-road. A tradicional prova de regularidade começou nesta sexta-feira, 4 de setembro, em Socorro, São Paulo, segue para Itajubá, Minas Gerais e finaliza em Caxambu, também em Minas, na próxima segunda-feira, 7 de setembro.

Matheus Abreu está acelerando a Honda CRF 250F, modelo de fabricação nacional. Ele disputa a prova em dupla, ao lado do piloto João Barbosa, da equipe Q4. Serão quatro dias de competição e um total de 635 quilômetros percorridos.

– Estou muito ansioso e bastante animado. Apesar de fazer bastante trilha, é a primeira vez que participarei de uma competição oficial e de grande tradição como o Enduro da Independência – diz Abreu.

– No ano passado fui na largada da prova em Ubatuba, São Paulo, conheci os pilotos, vi todas aquelas motos de perto, o que aumentou a vontade de encarar o desafio – relembra.

Aos 63 anos, 18 participações no Enduro da Independência e 162 troféus conquistados em provas regionais e nacionais, João Barbosa conta que viverá nesta edição da competição uma experiência diferente.

– O Matheus é conhecido como ator, mas também demonstra muito talento nas trilhas. Simples e humilde, já deu para perceber no nosso treino que ele acelera com energia e competência. É gratificante fazer dupla numa prova tão difícil e exigente, com um participante tão jovem, em meio a experiências de vida tão diferentes. O que fala mais alto é o espírito do nosso esporte – destaca Barbosa.

 

Sobre Matheus Abreu

Ele já foi os gêmeos protagonistas, Omar e Yaqub, na segunda fase da série “Dois Irmãos” (2017); o Tato da “Malhação: Viva a Diferença” (2017 e 2018), série vencedora do prêmio Emmy Kids Internacional 2018; o Maltoni, sacristão da novela “O Sétimo Guardião” (2018); e participou da “Dança dos Famosos”, no Domingão do Faustão (2019). No cinema, Matheus Abreu interpretou o Ângelo, em “O Segredo dos Diamantes” (2013); o William, em “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” (2014); e o Abel, em “Pureza” (2021).

Aos 23 anos, o ator mineiro é apaixonado por teatro, cinema, TV e duas rodas. Aventureiro, adora um vento na cara e a poeira típica de quem topa qualquer desafio off-road. Viaja de moto, faz trilhas e como todo bom trilheiro amador, comete também em algumas “roiadas”.

 

Sobre o Enduro da Independência

O Enduro da Independência foi disputado pela primeira vez em 1983, para recriar a última viagem de D. Pedro I, que partiu do Rio de Janeiro a Vila Rica, futura cidade de Ouro Preto, no ano de 1822. O roteiro ficaria conhecido como caminho novo da Estrada Real, pouco antes da proclamação da Independência, com o famoso grito do Ipiranga, em 7 de setembro de 1822.

Ao longo do tempo, o percurso do Enduro da Independência foi sendo adaptado em função da logística de organização, para acomodar a caravana itinerante, composta por pilotos, apoios, mecânicos, organizadores. Mesmo com novas trilhas, o evento sempre preservou o espírito cívico e de patriotismo inspirados pela Dia da Independência.

 

O que é Enduro de Regularidade?

Enduro de Regularidade é um tipo de competição motociclística fora de estrada, bastante difundida no Brasil. É uma prova de longa duração, em que a velocidade não é o fator preponderante. O piloto deve cumprir um roteiro pré-estabelecido e fornecido pela organização momentos antes do início da disputa, sob a forma de planilha, com indicação do caminho, composto por trilhas, estradas abandonadas, travessias de riachos e outros obstáculos. As informações são impressas através de símbolos e códigos, bem como a velocidade que se deve passar em cada trecho.

Vence o piloto que cumprir as determinações da planilha, de forma mais rigorosa e o mais próximo da velocidade indicada, sem se atrasar ou adiantar, mesmo que o percurso ofereça os mais variados graus de dificuldade.

A resistência física do piloto, a técnica e a perseverança, assim como a qualidade de seu equipamento, fazem a diferença. Para aferir o desempenho de cada participante, são instalados rastreadores por satélite, por todo o percurso, que acompanham em tempo real seu trajeto e performance, verificando eventuais desvios de rota e de velocidade.