As primeira impressões – e explicações – do Rally dos Sertões 2012


Equipes utilizam a noite para terminar as preparações das motocicletas – Foto: Mau Haas / BRMX

Se trabalha muito, e até muito tarde no Rally dos Sertões.

Foi esta a primeira impressão deixada pela área de boxes no primeiro dia de cobertura do BRMX no “maior rali do mundo disputado dentro de um único país” – como o pessoal gosta de se referir ao Sertões.

Nesta sexta-feira, 17, véspera das primeiras disputas da vigésima edição da competição, às 22h30 os mecânicos ainda mexiam em motos, carros, caminhões, e provavelmente seguiriam noite adentro ajustando, consertando, revisando todo equipamento.

>>> Veja a galeria de fotos do Rally dos Sertões

Nos boxes montados no estacionamento de um grande shopping da capital maranhense, uma estrutura um pouco maior que a de uma etapa do Brasileiro de Motocross mostrava que a edição deste ano está menor, com um pouco menos de participantes do que em 2011, por exemplo.

O que mais se percebe, no caso das motos principalmente, é a falta de estrangeiros, que costumavam enriquecer as disputas. Talvez pelo Sertões ter deixado de valer como uma etapa do Mundial de Rally – somada a crise financeira da Europa –, eles ficaram no Velho Mundo.

Mas a mistura de motos com grandes carros, caminhões, quadriciclos e UTVs embeleza e dá robustez ao ambiente, o tornando grandioso. Marcas como Land Rover, BMW e Mitsubishi, tremulando suas bandeirolas, também contribuem para alavancar o glamour do evento.

Na preparação para os dez dias de corridas, os pilotos aproveitam a noite para estudar as planilhas, que dão as coordenadas do trajeto de cada etapa. Nela estão marcados quantos quilômetros eles devem percorrer antes de virar à esquerda – ou à direita – e contém avisos importantes, como grandes obstáculos, rios, e outros pontos de referência.

A primeira etapa acontece apenas no domingo, 19, com 365 quilômetros no total, sendo 176 quilômetros de especial. E se você ainda não está muito ambientado a um rali, é importante saber que uma etapa tem as seguintes regras básicas:

Há um trecho cronometrado no meio da etapa que é chamado de “especial”, e é nele que um piloto “soma pontos”. Basicamente, quem fizer a especial mais rápido, é quem está em vantagem no rali. Larga um por um, cronometrando por foto-célula.

Mas há regras a serem respeitadas nos trechos de deslocamento, que antecedem e sucedem uma especial. São, geralmente, radares e horário determinado para se chegar ao próximo acampamento. Então, quando um piloto larga para uma etapa de rali tem que ter em mente duas coisas: ser rápido na especial e terminar a etapa antes do tempo determinado pela organização.

No Rally dos Sertões 2012, serão 4.840 quilômetros no total, sendo 2.296 de trechos cronometrados – especiais.

Antes de largar para a primeira etapa, os competidores participam de duas provas: o prólogo e o Super Prime. Prólogo é uma tomada de tempo para a primeira definição de ordem de largada. Dele saem os oito melhores, que participam do Super Prime, uma competição de arena, com público nas arquibancadas, à noite, para definir a ordem de largada da primeira etapa entre os melhores.

Depois, cada etapa determina a ordem de largada do dia seguinte. A última rodada será dia 28 de agosto, quando o Sertões chega a Fortaleza, Ceará.

:: Programação para sábado, 18, em São Luís, Maranhão

10h – Prólogo
17h30 – Abertura portões arena Super Prime
19h30 – Cerimônia de Abertura Super Prime

:: Programação de etapas

19/08 – 1ª Etapa: São Luís (MA) – Barreirinhas (MA)
Deslocamento Inicial: 134 km
Trecho de Especial: 176 km
Deslocamento Final: 55 km
TOTAL: 365 km

20/08 – 2ª Etapa: Barreirinhas (MA) – Bacabal (MA)
Deslocamento Inicial: 1 km
Trecho de Especial: 148 km
Deslocamento Final: 365 km
TOTAL: 514 km

21/08 – 3ª Etapa: Bacabal (MA) – Barra do Corda (MA) – Etapa Maratona
Deslocamento Inicial: 106 km
Trecho de Especial: 149 km
Deslocamento Final: 19 km
TOTAL: 274 km

22/08 – 4ª Etapa: Barra do Corda (MA) – Carolina (MA)
Deslocamento Inicial: 8 km
Trecho de Especial: 309 km
Deslocamento Final: 206 km
TOTAL: 523 km

23/08 – 5ª Etapa: Carolina (MA) – Palmas (TO)
Deslocamento Inicial: 3 km
Trecho de Especial: 188 km
Deslocamento Final: 281 km
TOTAL: 472 km

24/08 – 6ª Etapa: Palmas (TO) – Alto Parnaíba (MA) – Etapa Maratona
Deslocamento Inicial: 207 km
Trecho de Especial: 468 km
Deslocamento Final: 5 km
TOTAL: 680 km

25/08 – 7ª Etapa: Alto Parnaíba (MA) – Bom Jesus (PI)
Deslocamento Inicial: 35 km
Trecho de Especial: 277 km
Deslocamento Final: 55 km
TOTAL: 368 km

26/08 – 8ª Etapa: Bom Jesus (PI) – Petrolina (PE)
Deslocamento Inicial: 3 km
Trecho de Especial: 335 km
Deslocamento Final: 289 km
TOTAL: 627 km

27/08 – 9ª Etapa: Petrolina (PE) – Iguatu (CE)
Deslocamento Inicial: 62 km
Trecho de Especial: 143 km
Deslocamento Final: 355 km
TOTAL: 560 km

28/08 – 10ª Etapa: Iguatu (CE) – Fortaleza (CE)
Deslocamento Inicial: 184 km
Trecho de Especial: 103 km
Deslocamento Final: 170 km
TOTAL: 457 km