Antonio Cairoli comenta conquista do sétimo título mundial de sua carreira

Ao ganhar o sétimo título mundial, Antonio Cairoli colocou mais um degrau na construção da escada que pode colocá-lo na história como o maior piloto de GPs de todos os tempos.

Claro que antes dele chegar lá, o italiano precisa, no mínimo, alcançar os dez títulos mundiais e as 101 vitórias em Grande Prêmios de seu colega de KTM, Stefan Everts.

Mas ele já é o segundo maior campeão de todos os tempos. A sétima taça o fez ultrapassar Joel Robert, que foi seis vezes campeão da classe 250cc nos anos de 1964, 68, 69, 70, 71 e 72.

Por buscar ser o maior de todos os tempos, mesmo conquistando o título de 2013 no GP da Inglaterra, há poucos dias, Cairoli lamentou não ter vencido o seu 64º GP da carreira.

– Fiquei desapontado porque eu minha velocidade e meu condicionamento eram bons. Estou treinando muito bem e vou me esforçar nas duas últimas corridas. Comemorei demais (depois de vencer a primeira bateria) e acelerei muito a moto, e ela ficou meio engraçada depois. Larguei bem, mas depois de uma volta o problema começou. Perdi potência e a moto parou algumas vezes. Caí e recomecei, mas o problema piorou. Depois do título, isso não importa muito, mas eu queria ter vencido o GP – disse Cairoli depois da corrida.

Depois de vencer a primeira bateria, Cairoli foi rodeado de amigos e companheiros de equipe, que o levantaram e fizeram uma grande festa para comemorar a conquista do título de 2013.

– Foi muito legal. O time sempre prepara algo legal (para comemorar) e o ano tem sido muito bom. Foi mais fácil que eu pensei, porque no começo estava mais difícil, mais apertado, e eu achei que seria mais complicado. Estive sempre no pódio e esse foi o meu ponto forte. E os outros pilotos também cometeram erros, o que me ajudou – analisou.

Agora o campeão tem a última etapa do Mundial, na Holanda, e o Motocross das Nações, na Alemanha. Ambos são competições importantes para ele.

– Adoro a areia, e tenho que ganhar em Lierop (Holanda). Vou festejar um pouco, mas espero estar em forma para vencer. Cada ano é diferente para mim, sempre encontro uma motivação diferente, mas claro que o primeiro título é o mais importante. Desde que minha mãe se foi, todos os títulos são dedicados a ela. E claro que o MXoN é importante. Quero estar 100% e talvez conseguimos colocar a Itália no pódio – finalizou.

:: As vitórias em GP de Cairoli neste ano

GP da Tailândia
GP da Holanda
GP da Itália
GP do Brasil
GP da França
GP da Suécia
GP da Letônia
GP da Finlândia
GP da Alemanha