Reinaldo Varela destaca principais dificuldades do Rally Dakar 2018​

Varela
Varela é um dos poucos brasileiros na disputa – Foto: BRP

 

A edição histórica de 40 anos do Rally Dakar promete roteiro repleto de desafios. Com início marcado para o dia 6 de janeiro de 2018, em Lima, Peru, os competidores encaram mais de oito mil quilômetros que levarão homens e máquinas ao extremo.

A prova ainda passa pela Bolívia e Argentina, palco da chegada no dia 20 de janeiro, em Córdoba.

– As dunas, as pedras e as grandes altitudes prometem ser as principais dificuldades – observou o piloto Reinaldo Varela, representante brasileiro na categoria para UTVs a bordo do veículo Can-Am Maverick X3.

O paulista terá o suporte do navegador catarinense Gustavo Gugelmin e da equipe Can-Am Divino Fogão/South Racing.

– Outro ponto importante será a navegação, já que é muito fácil errar o caminho no Rally Dakar. O entrosamento entre o piloto e o navegador deve ser considerado e é fundamental –  continuou Varela.

Em mais de 360 provas off-road disputadas, o experiente competidor participará do Rally Dakar pela sétima vez – a segunda delas a bordo de um UTV Can-Am.

– O Dakar já começa com cinco dias nas areias do Peru, sem dúvidas as dunas serão um grande desafio e irão marcar grande parte do roteiro. Estou muito confiante, porque os UTVs se dão muito melhor na areia do que os carros, que costumam atolar com mais frequência. O Can-Am Maverick X3 traz ainda mais tranquilidade e estará ‘em casa’ nas dunas – garantiu Varela.

Para ele, o obstáculo natural será prazeroso.

– Nesses anos todos de competição, aprendi a ler o terreno e respeitar muito as dunas. Será preciso pensar rápido e manter a consistência na pilotagem e na navegação para não ficar por lá – ensinou.

O piloto tem no currículo dois títulos mundiais da modalidade (classe T2) e outras duas taças de campeão no Rally dos Sertões, ambas entre os carros.

O trajeto do Rally Dakar 2018 alcança altitudes que superam os três mil metros, além de trechos marcados por muitas pedras.

– As altitudes serão a grande marca da corrida em solo boliviano, onde a parte física dos competidores estará em cheque pela falta de oxigênio. Até a chegada na Argentina, além do terreno arenoso, iremos enfrentar muitas pedras e trechos extremamente difíceis de transpor. Por conta da ampla distância do solo e do sistema de suspensão eficiente, o Can-Am Maverick X3 é perfeito para superar os pontos complicados de trial – finalizou Varela.

Confira o roteiro* completo dos UTVs no 40º Rally Dakar:

6/1/2018 – 1ª etapa
Lima / Pisco (Peru)

Deslocamento: 241 km
Especial (trecho cronometrado): 31 km
Total do dia: 272 km

7/1/2018 – 2ª etapa
Pisco / Pisco (Peru)
Deslocamento: 11 km
Especial (trecho cronometrado): 267 km
Total do dia: 278 km

8/1/2018 – 3ª etapa
Pisco / San Juan de Marcona (Peru)
Deslocamento: 207 km
Especial (trecho cronometrado): 295 km
Total do dia: 502 km

9/1/2018 – 4ª etapa
San Juan de Marcona / San Juan de Marcona (Peru)
Deslocamento: 114 km
Especial (trecho cronometrado): 330 km
Total do dia: 444 km

10/1/2018 – 5ª etapa
San Juan de Marcona / Arequipa (Peru) 

eslocamento: 665 km
Especial (trecho cronometrado): 267 km
Total do dia: 932 km

11/1/2018 – 6ª etapa
Arequipa (Peru) / La Paz (Bolívia)
Deslocamento: 445 km
Especial (trecho cronometrado): 313 km
Total do dia: 758 km

12/1/2018 – Dia de folga
La Paz (Bolívia)

13/1/2018 – 7ª etapa
La Paz / Uyuni (Bolívia)
Deslocamento: 301 km
Especial (trecho cronometrado): 425 km
Total do dia: 726 km

14/1/2018 – 8ª etapa
Uyuni / Tupiza (Bolívia)
Deslocamento: 86 km
Especial (trecho cronometrado): 498 km
Total do dia: 584 km

15/1/2018 – 9ª etapa
Tupiza (Bolívia) / Salta (Argentina)
Deslocamento: 512 km
Especial (trecho cronometrado): 242 km
Total do dia: 754 km

16/1/2018 – 10ª etapa
Salta / Belén (Argentina)
Deslocamento: 423 km
Especial (trecho cronometrado): 372 km
Total do dia: 795 km

17/1/2018 – 11ª etapa
Belén / Fiambalá / Chilecito (Argentina)
Deslocamento: 466 km
Especial (trecho cronometrado): 280 km
Total do dia: 746 km

18/1/2018 – 12ª etapa
Fiambalá / Chilecito / San Juan (Argentina)
Deslocamento: 269 km
Especial (trecho cronometrado): 522 km
Total do dia: 791 km


19/1/2018 – 13ª etapa
San Juan / Córdoba (Argentina)
Deslocamento: 559 km
Especial (trecho cronometrado): 368 km
Total do dia: 927 km

20/1/2018 – 14ª etapa
Córdoba / Córdoba (Argentina)
Deslocamento: 165 km
Especial (trecho cronometrado): 119 km
Total do dia: 284 km

TOTAL DE DESLOCAMENTOS: 4.464 km
TOTAL DE ESPECIAIS: 4.329 km
TOTAL DA PROVA: 8.793 km

 

Sobre a BRP – A BRP (TSX: DOO) é líder global no design, desenvolvimento, fabricação, distribuição e marketing de veículos powersports e sistemas de propulsão. Seu portfólio inclui os veículos para neve Ski-Doo e Lynx, as motos aquáticas Sea-Doo, os veículos off-road e roadsters Spyder da Can-Am e os sistemas de propulsão marítima Evinrude e Rotax, bem como os motores Rotax para karts, motocicletas e aeronaves recreativas. A BRP dá suporte a sua linha de produtos com peças, acessórios e vestuário. Com renda anual de CA$ 4,2 bilhões em mais de 100 países, a empresa conta com aproximadamente 8.700 colaboradores em todo o mundo.

Reinaldo ao lado do filho, Bruno – Foto: Victor Eleutério / DFotos