“A pista mais difícil que andei na minha vida”, diz Pepê Bueno sobre corrida em Southwick

Pepê Bueno em Southwick – Foto: Cole Beach

 

Pepê Bueno viveu no sábado passado a sua segunda experiência no AMA Motocross. Depois de correr em RedBud uma semana antes, o brasileiro esteve em Southwick, uma pista de areia, em meio aos melhores pilotos dos EUA na categoria 250. E a batalha foi árdua.

– Foi a pista mais difícil que andei na minha vida. Areia, buraco, pesada. Precisa de um equipamento preparado. Sofri com os buracos, mas consegui andar bem – conta o paranaense.

Na primeira bateria, Pepê largou entre os 20, mas acabou envolvido na queda de Adam Cianciarulo, teve que parar para apertar o guidão e acabou na 27ª colocação. Na segunda bateria, largou muito bem, entre os 15 melhores, e se manteve no pelotão por algumas voltas, mas bateu com outro piloto e caiu. Com a chuva, sem óculos, acabou em 24º.

– Estava mais adaptado ao programa, fiz ajustes na moto, peguei alguns macetes pra andar na areia, liguei pro Serginho e ele me ajudou a melhorar o acerto da suspensão. Funcionou e consegui melhorar do treino para a corrida – conta.

 

O aprendizado que fica

Pepê com o pai, Fabio, no gate de largada – Foto: Cole Beach

 

Pepê volta ao Brasil nesta quarta-feira e se prepara para a segunda e terceira etapas do Brasileiro de Motocross que acontecerão em Santa Catarina e Minas Gerais, respectivamente. Volta com um grande aprendizado na bagagem.

– Se fizer uma boa pré-temporada, com tempo pra acertar a moto, pra treinar certinho, dá pra andar entre os 15. Tudo é diferente, então precisamos nos adaptar, mas os pilotos são humanos iguais a nós, não são super-homens. A minha confiança melhorou muito em relação a isso. O que eles têm é equipamento melhor, programa de treino melhor, e estão acostumados a pistas melhores e mais difíceis. Mas não é impossível de alcançar tudo isso – diz o piloto da 2B Kawasaki Racing.

– Aprendemos muito. Eles (pilotos) chegam de avião na sexta ou na quinta, treinam o físico na sexta. Sábado à noite pegam voo de volta pra casa, domingo tem treino físico, moto na segunda, mais treino na semana. Treinam quase todos os dias. E chegam na corrida preocupados apenas em competir, a estrutura já está lá. Isso faz a diferença – explica.

– Gostaria também de deixar um agradecimento à minha equipe no Brasil, a Kawasaki e ao Balbi, que me liberaram e me apoiaram a estar aqui nos Estados Unidos vivendo este sonho e aprendendo muitas coisas. Agradecer também ao Serginho (Suspensões) que foi fundamental para acertarmos a suspensão aqui. E aos meus pais, minha família, que proporcionaram tudo isso e estavam juntos comigo nesta experiência incrível – finalizou Pepê.

 

Mais EUA

Pepê Bueno – Foto: Cole Beach

 

No mês de agosto, Pepê retorna aos Estados Unidos para correr mais duas etapas do AMA Motocross. Ele disputará as corridas de Budds Creek, no dia 19, e Ironman, dia 26 de agosto.

 

 

Sorteio de camiseta

A camiseta que Pepê Bueno utilizou na segunda bateria em Southwick será sorteada entre os fãs do esporte. Para concorrer, basta preencher seus dados abaixo.