MX2: Às vésperas da estreia, Gustavo Pessoa conta os detalhes da preparação

Gustavo Pessoa com a moto de corrida

Gustavo Pessoa está prestes a estrear no Mundial de Motocross 2018 como piloto da Bike IT Kawasaki. A sua primeira corrida será no próximo fim de semana, 21 e 22, na República Tcheca.

Depois de duas semanas na Europa, o piloto brasileiro conversou com o BRMX nesta terça-feira, 17, para contar como tem sido a sua vida.

Morando no Norte da Inglaterra, tem treinado bastante em pistas de solo duro com cascalho, semelhantes ao que vai enfrentar na República Tcheca, na pista de Loket.

Tem como companhia diária Ash – representante da ASW na Inglaterra -, um rapaz mais velho que Gustavo diz ser “como um pai” e o acompanha em todos os momentos.

Nesta terça, quando falei com Gustavo, estavam voltando de um treino com toda equipe na pista de Matterley Basin, que recebeu a nona etapa do Mundial neste ano.

Foi o primeiro contato do brasileiro com sua moto de corrida, que é um tanto diferente da que ele vinha utilizando nos treinos.

– É uma moto de 3 marchas, impressionante. Muito diferente do que andei na minha vida inteira. Bem diferente, e ainda tenho que melhorar a adaptação. Praticamente não precisa mudar marcha, mas como estou acostumado, quero trocar e acabo perdendo tempo. Mas a equipe está confiante que vou conseguir me adaptar bem no fim de semana – conta Gustavo.

– Depende da pista, muda uma vez só de marcha na pista toda. É um negócio inexplicável. A minha moto de treino é uma moto mais simples, mas já estava contente com ela, que tem suspensão e motor muito bons. Mas a de corrida é outra moto. E vou aprender com ela. Tudo é aprendizado. Estou treinando o máximo pra dar meu melhor, mas sem pressão. Quero aprender e ir crescendo.

– Só esta moto já é uma nova realidade. Não andei com ela antes porque cheguei aqui e tive que me adaptar com a Kawasaki primeiro, e me senti muito bem. Eles falaram que nem parecia que andava de Honda antes. E agora o segundo passo é me adaptar com a moto de corrida – complementa.

Quando perguntei se seus tempos estavam parecidos com o de Tommy Searle, ele não quis dar detalhes, mas afirmou que fez voltas rápidas, próximas das do companheiro de time.

– Na corrida tudo é diferente. Girei rápido, perto dos tempos dele, mas não gosto muito de falar porque corrida tem muitos outros fatores – disse.

Na quinta-feira, 19, Gustavo viaja de avião até a República Tcheca, onde fará sua estreia pela equipe.

Neste ano, o brasileiro já correu uma etapa do Mundial, na Argentina, pela equipe Honda do Brasil. Conquistou 22-23 nas baterias.

Abaixo, confira outros assuntos comentados pelo piloto.

Tommy Searle

Tommy Searle e Gustavo Pessoa

Gustavo conta que se impressionou com a parceria do companheiro de equipe, vice-campeão mundial da MX2 em 2012.

– Treinei com o Tommy, ele vem pra cá (Norte) treinar conosco. Ele me surpreendeu, é muito gente boa, me deu dicas de onde melhorar. Fui na casa dele, fiquei um pouco lá. Nos demos muito bem.

Adaptação na Inglaterra

– Não tive problema nenhum com o inglês. E eles me receberam muito bem, aceitaram como um integrante da família. Todos já estão brincando comigo.

– Estou muito contente, me sentindo em casa. Ash toda hora me pergunta se estou bem, e eu sempre respondo que me sinto em casa.

– Tive a sorte de vir no verão. Eles falam que faz 25 anos que não fica tanto tempo sem chuva. Falam que eu trouxe o sol do Brasil. Isso também ajuda porque pude conhecer tudo com sol.

Locket

A estreia de Gustavo pela equipe Bike IT DRT Kawasaki será na pista de Locket, República Tcheca, a cerca de 1.200 km de Londres.

– Já me passaram que lá é chão duro com cascalho em cima. Escorrega bastante, é diferente o jeito de andar. No terreno duro já é difícil, e no cascalho fica mais sensível ainda. Focamos bastante nisso e não tive muitos problemas.

Próximos passos

Depois da corrida na República Tcheca, Gustavo pode passar um tempo na Bélgica para treinar em pistas de areia, já que a etapa seguinte é em Lommel.

– A equipe vai definir. Talvez vamos treinar na Escócia, aí mantenho minha morada aqui na Inglaterra.