Leandro Silva volta a treinar depois de quase seis meses afastado da moto

Leandro Silva durante a temporada 2012 – Foto: Mau Haas / BRMX

Leandro Silva está de volta aos treinos com moto depois de se recuperar de uma lesão sofrida no dia 6 de abril deste ano.

Com o ombro direito fraturado por causa de uma queda em um treino, o paranaense de 25 anos viveu o período mais longo de toda sua carreira, que começou aos três anos de idade, longe das pistas.

– Vou voltar nesta quinta-feira se a chuva parar. Voltar na lama não seria nada bom porque a pista fica muito pesada e eu ainda não recuperei toda força – diz Leandro, se referindo ao tempo chuvoso desta quarta-feira em Curitiba, Paraná.

O piloto volta aos treinos de 250cc por ser uma moto mais leve e que não exige tanta preparação física. A força em seu braço ainda é limitada e alguns movimentos específicos ainda precisam do auxílio do fisioterapeuta. Mas os movimentos para pilotar estão todos recuperados.

– Vou seguir em fisioterapia por mais uns dois meses. A lesão de úmero é muito complicada. Se a pessoa não fizer fisioterapia e não tomar todos os cuidados que eu tomei, pode levar até três anos para recuperar 100% – explica o atleta.

O retorno às competições nacionais vai depender da melhora no desempenho durante os treinos.

– Acho que consigo ir na última etapa do Arena Cross (dia 9 de novembro) e talvez na última do Brasileiro de Motocross (marcada para o mesmo fim de semana). Mas, MX é mais pesado, exige mais, então vou ver como será a evolução – finaliza Leandro Silva.

No dia 6 de abril, Leandro caiu enquanto treinava em uma de suas pistas. Na queda, deslocou o ombro direito fraturando a cabeça do úmero. Em seguida, passou por cirurgia e tratamento.

– Caí em uma seção de costelas. Estava testando minha moto de corrida, tinha uma hora de uso. Caiu no neutro entre a segunda e terceira (marchas) e eu fui arremessado por cima do guidão. Bati como se batesse em uma parede – disse à época.

Quando voltar, Leandro fará sua estreia pela própria equipe, a LS Racing, após competir por sete anos pela equipe oficial Honda.